sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Oposição da Incerteza: os mudos e os calados

Werner Heisenberg em 1927

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

Uma das coisas mais incríveis, e também divertidas, de se observar cada vez que um de nós (monstros “fascistas”) ousa se insurgir contra o discurso petralha que infecta todo meio intelectual brasileiro é a capacidade desse mesmo meio de fazer algo para nós impossível – a unificação e organização da oposição.

Isso mesmo! Chega a ser cômico escrever isso, mas não tenho absolutamente nenhuma dúvida de que a oposição brasileira (que deveria chamar-se oposição.com.br.) só existe quando identificada pelo PT. Ela – a oposição – lembra aquelas aulas de Química do segundo grau em que o professor, explicando Heisemberg e o seu “Princípio da Incerteza”, afirma que determinadas partículas comportam-se de uma maneira que depende de como olhamos para ela. A oposição “existe se o PT olha pra ela. Se ele não olha; ela não existe”... Nasceu no Brasil a “Oposição da Incerteza”...

Começo esse artigo dessa maneira para, mais uma vez, repetir aquilo que venho escrevendo “há séculos” - NÃO EXISTE OPOSIÇÃO AO PT NO BRASIL! A oposição ao PT é aquilo que o próprio PT identifica como oposição, ou seja: qualquer pessoa ou partido político que discorde dele. Existe problema nisso?? É claro que existe! Nada mais perigoso do que deixar o inimigo definir nossas características, estabelecer quais são nossos próprios valores, e situar-nos na própria História – Mao Tse Tung escreveu sobre isso!

Desde Carlos Lacerda até Fernando Henrique Cardoso, o PT usa e abusa de comparações para rotular como oposição tudo que não lhe serve. Ao fazê-lo, toma um cuidado todo especial: não definir em absoluto um conjunto de valores culturais e de comportamento que poderia fornecer à oposição as condições para ela ser exatamente isso: oposição!

Não há, vou insistir mais uma vez, política dissociada de cultura. Se aceitarem isso que escrevi como verdade, busquem na sociedade brasileira um conjunto de valores culturais coesos e com representação política organizada e verão que ele não existe. Ninguém, mas absolutamente ninguém mesmo, se opõem organizadamente a ideia de que a Terra está “aquecendo”, que o “SUS é o sistema de saúde ideal”, e de que a “família com pais homossexuais” pode ser uma alternativa viável.

Não estou dizendo, vejam bem, que não existem pessoas que não se oponham a isso que escrevi. Tenho certeza de que elas existem! O que não existe é representação política delas. É uma “vergonha” dizer isso que escrevi acima em qualquer roda de “amigos civilizados” (segundo o conceito de “civilização” petista). Há um constrangimento incrível..um medo de passar-se por “fanático radical”...uma sensação de que vamos ficar “sozinhos” que não permite à absolutamente ninguém expressar divergência do politicamente correto.

Enquanto esse clima de medo..essa sensação de abandono persistir, insisto que não vai haver oposição nem muito menos “direita” alguma no Brasil a não ser quando o próprio PT faz questão de identificar sua existência. Há que se construir, portanto, imediatamente a chamada “cultura de oposição”. Um conjunto de valores e um grupo de pessoas que oponha-se ao PT por princípio; não por conveniência no momento de disputa do governo.

Eu já expliquei a diferença entre poder e governo. Não vou voltar ao tema. Recomendo que aqueles que, como eu, querem o fim do PT construam em primeiro lugar uma teoria do poder; só depois pensem em alcançar o governo. Não há, atualmente no Brasil, poder capaz de opor-se ao PT. Isso é verdade desde a década de 1980. Ou entendemos isso; ou estamos perdidos.

Observem que a luta contra os petralhas é de uma desigualdade incrível..A cultura inteira e toda a visão ...toda maneira de entender a realidade está nas mãos deles. A oposição não acaba quando todas as pessoas perdem o direito de resposta. Ela desaparece quando restringe-se a muito poucos a mera capacidade de fazer perguntas!

Essa é a diferença fundamental entre a ralé petista e o Regime Militar... Nesse sentido há que se entender a distância gigantesca entre as duas ditaduras...
Os militares calaram uma certa parte do Brasil...O PT deixou o país inteiro mudo.

PORTO ALEGRE, 15 DE AGOSTO DE 2013 AVC (antes da vinda dos cubanos)


Milton Simon Pires é Médico.

5 comentários:

Anônimo disse...

Perfeito.
enquanto a oposição for um psdb da vida, o pt será o poder por muito tempo, e isso se ainda existir brasil.

Félix Jarreth disse...

Caro Dr. Milton

O seu texto é um dos melhores que já escreveu. Tanto assim é que tomo a liberdade de transcrevê-lo no meu Blog.
Abs.
Félix

Anônimo disse...

Se bem me lembro, houve uma "negociação" na época do Figueiredo, conduzida pelo Ulysses e pelo Tancredo para que a Lei da Anistia incluísse que todo mundo seria "anistiado", tanto os torturadores quanto os terroristas. Foi a condição para os militares saírem do poder - vocês não jogam m... em nós e nós não perturbamos mais vocês.
E a Justiça, mais uma vez foi ignorada.
AMBOS deveriam sofrer processos pelos crimes e excessos.
Na Argentina, a Junta dos generais foi a julgamento. Aqui, não.
Com essa atitude, liberou geral para todo mundo que cometeu crimes. A Lei de Anistia foi a maior piada jamais feita neste país. O resultado está aí. Terroristas ocupam a. Presidēncia da República, e militares ficam de bico fechadinho pra não mostrar os esqueletos dentro do armário.
Porque decidiram acobertar coisas que foram CRIMES, deixaram a esquerda CRIMINOSA se aboletar no poder.
Covardia geralmente dá nisso. Quem tem hombridade responde pelas suas ações. Ao se recusar a fazer isso, deram o OK para os terroristas, comunistas e bandidos tomarem o poder.

Milton Simon Pires disse...

ABRAÇO, FÉLIX..

FICOU MUITO FELIZ..

MILTON PIRES

Anônimo disse...

O PSDB e comunista, conduzido por dois comunistas,Fernando Henrique Cardoso e José Serra e Aecio Neves é um bundão!Ora, esses degenerados nunca vão ganhar do PT!