segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Sobre a Comissão no DOI-CODI

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Humberto de Luna Freire Filho

Este texto foi publicado no Fórum dos Leitores do Estadão.com.br, assinado por Renato Khair, em 25/08/2013:

“A COMISSÃO NO DOI-CODI: É inaceitável a atitude autoritária e antidemocrática do Exército brasileiro de impedir a entrada dos integrantes da Comissão da Verdade no local onde funcionava o famigerado DOI-Codi, o centro de torturas durante a ditadura militar. Quem não deve não teme. O Exército precisa ter transparência e se adequar aos tempos de democracia, cidadania e liberdades cívicas. O Exército brasileiro deveria pedir desculpas pelas torturas, assassinatos e crimes cometidos durante os anos de chumbo nos porões da ditadura militar que assolou o Brasil por longos 21 anos e ser o primeiro interessado em abrir as suas portas e os seus arquivos, num Estado Democrático de Direito. E deveria tomar a iniciativa de fazê-lo justamente para que tais fatos não sejam esquecidos e jamais voltem a se repetir no nosso país. Cabe agora ao ministro da Defesa, Celso Amorim, determinar tal autorização para que a Comissão da Verdade atue livremente e cumpra a sua nobre missão. Tortura nunca mais! - Renato Khair - renatokhair@uol.com.br – São Paulo”.

Minha resposta ao pobre subserviente:

Meu caro, sou profissional liberal da área da saúde. Não sou porta voz de militar, mas acredito que eles só irão dar permissão para que essa escória, a qual deram o nome de "comissão da verdade", visite as instalações militares, quando a quadrilha governante, composta de terrorista, torturadores, assaltantes de banco, sequestradores, assassinos de civis e arrombadores (as) de cofres visitarem as masmorras de Cuba e trouxerem um relatório sobre os noventa mil mortos no "paredon" e sobre os presos políticos que morreram e morrem em greve de fome sob o comando da múmia caribenha, ídolo desses hipócritas que defendem os Direitos Humanos e que, para comprovar o mau caratismo, acabam de contratar escravos a serviço de uma ditadura, que em 50 anos destruiu um país.

EM TEMPO: o nanico físico e moral, Celso Amorim, depois de desmoralizar o Itamaraty, levando o Brasil para a esfera do que há de mais podre na política internacional, não tem autoridade para falar de democracia nem de dar ordens para as FFAA.




Humberto de Luna Freire Filho é Médico e Cidadão Brasileiro sem medo de corruptos.

5 comentários:

Anônimo disse...

Amorim é frouxo.
Se borra de medo dos fardados decadentes.
Deveria ir pessoalmente ao quartel, acompanhado das mesmas pessoas que foram barradas pelos generais arrogantes e ordenar o acesso às instalações que pertencem ao governo.
Tem que colocar esses trogloditas no seu devido lugar, antes que eles se julguem no direito de barrar o acesso até desse arremedo de ministro.

Anônimo disse...

Amorim é frouxo.
Se borra de medo dos fardados decadentes.
Deveria ir pessoalmente ao quartel, acompanhado das mesmas pessoas que foram barradas pelos generais arrogantes e ordenar o acesso às instalações que pertencem ao governo.
Tem que colocar esses trogloditas no seu devido lugar, antes que eles se julguem no direito de barrar o acesso até desse arremedo de ministro.

Anônimo disse...

Amorim é frouxo.
Se borra de medo dos fardados decadentes.
Deveria ir pessoalmente ao quartel, acompanhado das mesmas pessoas que foram barradas pelos generais arrogantes e ordenar o acesso às instalações que pertencem ao governo.
Tem que colocar esses trogloditas no seu devido lugar, antes que eles se julguem no direito de barrar o acesso até desse arremedo de ministro.

Marcos Roberto G. F. Saraiva disse...

Amorim não tem moral para encarar os generais, os quais não chegam a ser tão arrogantes quanto os membros dessa famigerada Comissão da INverdade, que se nega a julgar os CRIMES HEDIONDOS cometidos pela esquerda armada durante o período chamado de "anos de chumbo". A propósito, quem gastou mais chumbo no referido período?

Marco Antonio Vieira disse...

Para um médico tão consciente de sua cidadania, o seu comentário é apenas evasivo. Xinga todo mundo mas não apresenta argumentos. A alusão ao regime cubano é uma meia verdade, um sofisma, um desvio do foco. Agora mesmo, um cubano pode estar reclamando da ingerência cidadã nas razões do Estado Cubano. E um médico cidadão pode estar revidando com a falta de transparência dos remanescentes da ditadura que governou por mais de vinte anos um grande país sulamericano.