segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Escolhas Erradas do Brasil

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Arlindo Montenegro

A verdade é que detesto corridas de carro. O barulho e a voz do locutor oficial me ferem os ouvidos. Barulho... Os altos decibéis me provocaram ânsia de vômito. Mas a coisa a dizer é outra.

Pelo que dizem por aí, falta pouco para o Brasil ser admitido à OPEP, com a profusão de petróleo fino, grosso... Encontrado em novas jazidas e anunciadas com rufar de tambores Com a refinaria em sociedade com a Venezuela socialista bolivariana, com os preços da gasolina e do diesel sempre em alta, com a mistura de álcool e os carros “flex”, com a grana do pré sal para a educação...

Tudo isto e muito mais que os “nossos” governantes estão projetando, nos encaminha para o sonho de Stefan Zweig: seremos “o país do futuro”. Estamos fazendo “crescer o bolo para repartir depois”, como prometia o economista Delfim Neto há quase meio século, no tempo em que a Caterpillar “do Brasil”, com seus técnicos americanos, pesquisava o “vegetrol” (hoje biodiesel) em segredo, no Paraná.

Como dois mais dois são quatro, presume-se que este país vai investir em educação, no futuro, tanto quanto Taiwan, Coréia do Sul, Japão. Recursos do pré sal. O que deixa a gente com a pulga atrás da orelha é que os países ricos do hemisfério norte, embora sejam majoritários na exploração de tanto petróleo, associando-se à Petrobrás multinacional, pesquisam e investem na direção oposta das energias alternativas.

Naquele leilão de um só lance a Shell, os chineses e sei lá quem mais, levam uma vantagem jamais vista em contratos de partilha, nos quais, normalmente, os países exportadores “ficam com 80% do óleo produzido”. Nas contas do ex-presidente da Associação de Engenheiros da Petrobrás, Fernando Siqueira, dos quarenta por cento que dizem ter sobrado para o Brasil, restarão no final das contas e divisão de royalties uns 18%... Um negócio “da China”!

No salão de Frankfurt a Mercedes Benz apresentou seu modelo novo e econômico, o S-500, um carro híbrido, sem luxo, que percorre 100 km com 3 litros de gasolina. Motor V6, elétrico, turbinado, com baixa emissão de gases depois de rodar 30 km. A Audi, lançou o modelo “Sport Quattro”, híbrido, tração nas 4 rodas, 8 velocidades e consumo de 2,5 litros de combustível para rodar 100 km. A Volks lançou seu modelo elétrico, o “e-UP” com 82 cavalos que percorre 160 km com uma carga de bateria.

Outros fabricantes bem conhecidos apresentaram modelos diferenciados: Citroen mostrou o modelo “Cactus”, movido a ar comprimido, que roda 34,5 km com um litro de combustível. A Ford da Europa desenvolveu o “Focus Eletric”, com bateria de lítio que pode ser carregada em 3 a 4 horas. Os chineses, associados com a Daimler-BYD, estão vendendo na China, Europa e Estados Unidos, o modelo elétrico “Denza”.

Mesmo com toda a verdura politiqueira que a propaganda espalha pelo Brasil, estas tecnologias vão demorar a chegar por aqui. Temos muito petróleo pra o consumo doméstico! O que garante que ainda poderemos entupir mais as ruas metropolitanas e as estradas com os modelos ultrapassados e poluentes, garantindo mais lucros para as “montadoras”, mais IPVA e multas de trânsito para o Estado, mais pedágios, mais acidentes...

Em resumo, o governo joga na guerra do trânsito para a redução da população. Joga no desprezo à saúde para a redução da população. Joga com as drogas para a redução da população. Joga com o crime organizado em “guerrilhas” com nomes como PCC, Comando Vermelho, e outros, para a redução da população.

Joga com o contrabando de armas de guerra para reduzir o poder de intervenção policial. Joga com a justiça morosa e interpretada, com presídios superlotados que formam mais criminosos, controlados por chefes que comandam seus “fiéis”, confortavelmente instalados em presídios de “segurança máxima”

Este governo democrático pra inglês ver cumpre à risca o catecismo dos controladores da economia global, cujas declarações e documentos de reuniões em seus clubes e associações semi-secretas, informam sobre a intenção de promover a morte de mais da metade dos habitantes deste planeta até o ano 2050.

Prepare-se para viver no mundo onde todas as “alucinações” da ficção científica poderão ser transfiguradas em realidades, onde todos os caminhos estarão abertos e disponíveis para o desenvolvimento pleno das capacidades que o cérebro humano possui e ainda não utilizou. Computadores e implantes poderão, em futuro próximo, criar “cyborgs”, homens-máquina, para a guerra ou para atividades pacíficas.

Por enquanto, vamos continuar pensando viver num país livre e democrático. Vamos continuar pensando que as eleições podem dar passagem para administradores honestos. Vamos continuar pensando que os recursos decorrentes da produção agro pastoril, exploração mineral, biodiversidade, águas...

São insuficientes e devemos recorrer ao FMI, Banco Mundial... E outros controladores do sistema financeiro globalizado que acorrenta o planeta.


Arlindo Montenegro é Apicultor.

3 comentários:

Fabrizio Albuja disse...

Muito bom artigo. Pena que a maioria do pessoal que vota não faz a menor ideia do conteudo do texto, aliás não saberiam interpretar. Eles foram hipnotizados por um tal de cartão "bolsa família".

Anônimo disse...

Nessa altura o nove dedos só falava na OPEP, no Pré-sal e não havia nenhum prefeito que não andasse histérico a reclamar sobre os royalties e os montantes a que tinham direito.

Gente política estruturalmente tão pequenina!

Analfabetos funcionais completos.

Marcio Cardozo disse...

Quanto a esta questão de redução da população mundial, alguns sites de Ufologia já abordaram este tema quando falaram do assunto "chemtrails" ... pesquisem na internet.