quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

O Poder do Cargo não se Transmite à Pessoa

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio Ribas Paiva

No trato da coisa pública, a ninguém é dado ser intolerante ou complacente. Há que ser justo.

Nessa medida, estabelecida pela lógica, pela moral, pela ética e pelo artigo 37 da Constituição Federal, qualquer arroubo de personalismo, no exercício do “munus” público, é usurpação do poder do cargo e configura ilícito administrativo ou, dependendo do fato, abuso de autoridade.
Todo servidor público deve conduzir-se com absoluta urbanidade e impessoalidade, tendo como parâmetro a lei, devendo separar o poder do cargo da sua pessoa.

Por tudo isso, deve-se condenar as egolatrias de alguns ministros,  juízes, promotores, policiais e outros servidores públicos que, talvez inadvertidamente, usurpam o poder do cargo, assumindo posturas majestáticas, onde quer que se encontrem: nos gabinetes, na sociedade e, até no seio familiar.

Esses desvios de postura e personalidade revelam carência de conscientização cívica ou desequilíbrio psicológico. Os Poderes do Estado pertencem aos cidadãos, individual e coletivamente e, portanto, todos os funcionários do Estado, são servidores públicos; do faxineiro ao Presidente da República.

Qualquer desvio desse procedimento, por menor que seja, deve ser repudiado e punido. Quanto mais importante o cargo exercido, maior a responsabilidade, e mais nítidos os deveres do servidor e as exigências quanto a sua postura pessoal, frente às pessoas.

Esse proceder respeitoso e urbano é impositivo, não admitindo qualquer flexibilização ou condescendência. Obriga a todos, que tratam da coisa pública.

Por sua vez, os cidadãos devem respeito aos servidores, reservando-lhes um tratamento formal e urbano.

Observados esses parâmetros, as relações povo poder, certamente serão menos traumáticas e mais produtivas, dignificando a todos e forjando a nação brasileira.
                    

Antônio José Ribas Paiva, Advogado, é Presidente da Associação dos Usuários de Serviços Públicos. A análise Swot do Desgoverno Petralha é uma piadinha intelectual do jornalista e professor Fabrizio Albuja.

3 comentários:

Afonso Mota disse...

O sistema educacional brasileiro nunca teve o viés de preparar seu povo para o exercício do poder. Algumas escolas privadas se preocuparam com isso, mas os que assim tiveram essa formação foram banidos do SISTEMA e principalmente por serem idealista (Ford em uma frase explica o porque). É sempre bom ter conhecimento de algo que já deveria ter sido discutido há mais de 50 anos. rsrsrs... Simples assim e nada complexo. Saudações patrióticas.

Anônimo disse...

CLEONICE I FERREIRA; O QUE É O SISTEMA? VOCÊ SABE? NÃO É SIMPLES ASSIM. É MUITO ,MAS MUITO COMPLEXO. OS CIDADÕES EDUCADOS E DE CONCIÊNCIA PATRIÓTICA NÃO FORAM BANIDOS, JAMAIS SERÃO. EM CURTÍSSIMO PRAZO, OS APHARTAID CRIADOS NO NOSSO BRASIL,E AQUELES QUE ESTÃO SE ALEGRANDO MUITO COM TANTO ANTI-PATRÍOTISMO SENTIRÃO LAMENTOS ,CHORO E RANGER DE DENTES.HA DE DESCOBRIR QUE QUANDO A ESMOLA É DEMAIS,O SANTO DESCONFIA. TARDE DEMAIS. SABERÃO QUE FORAM SOMENTE MASSA DE MANOBRA. EM UM VÍDEO POSTADO NO SITE VERDADE SUFOCADA "UM EX AGENTE DA KGB EXPLICAVA COMO SÃO UTILIZADAS PESSOAS SEM COMPETÊNCIA, SEM CONCIÊNCIA E OUTROS ADJETIVOS, PARA OBJETIVOS DE INTERESSES QUE NÃO É SÍMPLES ASSIM E MUITO COMPLEXO. AFIRMAVA O MESMO QUE JÁ ESTAVA TERMINADO"TODO O TRABALHO NAS AMÉRICAS" E QUE TODOS OS QUE SERVIRAM DE MASSA DE MANOBRA SERÃO ESMAGADOS COMO " BARATAS", ACREDITAVA SER MUITO DIFÍCIL QUE CONSIGA ESCAPAR QUALQUER PESSOA QUE SERVIU AO "SISTEMA".AFIRMAVA QUE NENHUM PAÍS QUEREM ESSAS PESSOAS . PESQUIZEM NA INTERNET, E PODERÃO VER NA ÍNTEGRA TODA A EXPLICAÇÃO NO VÍDEO.PORTANTO NADA SIMPLES ASSIM E MUITO COMPLEXO. QUE DEUS O ABENÇOE E LHE DÊ MUITA PAZ ILUSTRE JORNALISTA JORGE SERRÃO. DESCULPE-ME POR UTILIZAR TANTO ESPAÇO NO SEU BLOG. É UMA LÁSTIMA VER PATRÍCIOS SE ALEGRANDO COM ILUSÕES TÃO NEFASTAS.

Anônimo disse...

Bonito texto, mas infelizmente não aplicável ao "modelo tupiniquim". É só observar declarações de alguns "servidores" de alta plumagem, principalmente na TV, paa que constatemos o contrário. Infelizmente.