terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A três passos da guerra civil

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Gelio Fregapani

Os rumos que seguimos apontam para a probabilidade de guerra intestina. Falta ainda homologar no Congresso e unir as várias reservas indígenas em uma gigantesca, e declarar sua independência. Isto não poderemos tolerar. Ou se corrige a situação agora ou nos preparemos para a guerra.

Quase tão problemática quanto a questão indígena é a quilombola. Talvez desejem começar uma revolução comunista com uma guerra racial.

O MST se desloca como um exército de ocupação. As invasões do MST são toleradas, e a lei não aplicada. Os produtores rurais, desesperançados de obter justiça, terminarão por reagir.

Talvez seja isto que o MST deseja: a convulsão social. Este conflito parece inevitável.

O ambientalismo, o indianismo, o movimento quilombola, o MST, o MAB e outros similares criaram tal antagonismo com a sociedade nacional, que será preciso muita habilidade e firmeza para evitar que degenere em conflitos sangrentos.
[...]

A crise econômica e a escassez de recursos naturais poderão conduzir as grandes potências a tomá-los a manu militari, mas ainda mais provável e até mais perigosa pode ser a ameaça de convulsão interna provocada por três componentes básicos
— a divisão do povo brasileiro em etnias hostis;
— os conflitos potenciais entre produtores agrícolas e os movimentos dito sociais;
— e as irreconciliáveis divergências entre ambientalistas e desenvolvimentistas.
[...]

A ameaça de conflitos étnicos, a mais perigosa pelo caráter separatista

A multiplicação das reservas indígenas, exatamente sobre as maiores jazidas minerais, usa o pretexto de conservar uma cultura neolítica (que nem existe mais), mas visa mesmo a criação de "uma grande nação" indígena. Agora mesmo assistimos, sobre as brasas ainda fumegantes da Raposa-serra do Sol, o anúncio da criação da reserva Anaro, que unirá a Raposa/São Marcos à Ianomâmi. Posteriormente a Marabitanas unirá a Ianomâmi à Balaio/Cabeça do Cachorro, englobando toda a fronteira Norte da Amazônia Ocidental e suas riquíssimas serras prenhes das mais preciosas jazidas.

O problema é mais profundo do que parece; não é apenas a ambição estrangeira. Está também em curso um projeto de porte continental sonhado pela utopia neomissionária tribalista. O trabalho de demolição dos atuais Estado-nações visa a construção, em seu lugar, da Nuestra América, ou Abya Yala, idealizado provavelmente pelos grandes grupos financistas com sede em Londres, que não se acanha de utilizar quer os sentimentos religiosos quer a sede de justiça social das massas para conservar e ampliar seus domínios.
[...]

Falta ainda homologar no congresso e unir as várias reservas em uma gigantesca e declarar a independência, e isto não poderemos tolerar. Ou se corrige a situação agora ou nos preparemos para a guerra.

O perigo não é o único, mas é bastante real. Pode, por si só, criar ocasião propícia ao desencadeamento de intervenções militares pelas potências carentes dos recursos naturais — petróleo e minérios, quando o Brasil reagir.

Quase tão problemática quanto a questão indígena é a quilombola
[...]

Tem gente se armando, tem gente se preparando para uma guerra. Temos de abrir o olho também para esse processo, que conduz ao ódio racial. Normalmente esquerdistas, talvez desejem começar uma revolução comunista com uma guerra racial.

Certamente isto vai gerar conflitos, mas até agora o movimento quilombola não deu sinal de separatismo.

Os Conflitos Rurais — talvez os primeiros a eclodir.

O MST se desloca como um exército de ocupação, mobilizando uma grande massa de miseráveis (com muitos oportunistas), dirigidos por uma liderança em parte clandestina. As invasões do MST são toleradas e a lei não aplicada. Mesmo ciente da pretensão do MST de criar uma "zona livre", uma "república do MST" na região do Pontal do Paranapanema, o Governo só contemporiza; finge não perceber que o MST não quer receber terras, quer invadi-las e tende a realizar ações cada vez mais audaciosas.

É claro que os produtores rurais, desesperançados de obter justiça, terminarão por reagir. Talvez seja isto que o MST deseja; a convulsão social, contando, talvez, com o apoio de setores governamentais como o Ministério do Desenvolvimento Agrário. Segundo Pedro Stédile: "O interior do Brasil pode transformar-se em uma Colômbia. A situação sairá de controle, haverá convulsões sociais e a sociedade se desintegrará."
Este conflito parece inevitável. Provavelmente ocorrerá num próximo governo, mas se ficar evidente a derrota do PT antes das eleições, é provável que o MST desencadeie suas operações antes mesmo da nova posse.
[...]

A três passos da guerra civil

O ambientalismo, o indianismo, o movimento quilombola, o MST, o MAB e outros similares criaram tal antagonismo com a sociedade nacional, que será preciso muita habilidade e firmeza para evitar que degenere em conflitos sangrentos.
[...]

Uma vez iniciado um conflito, tudo indica que se expandirá como um rastilho de pólvora. Este quadro, preocupante já por si, fica agravado pela quase certeza de que, na atual conjuntura da crise mundial o nosso País sofrerá pressões para ceder suas riquezas naturais — petróleo, minérios e até terras cultiváveis — e estando dividido sabemos o que acontecerá, mais ainda quando uma das facções se coloca ao lado dos adversários como já demonstrou o MST no caso de Itaipu.

Bem, ainda temos Forças Armadas, mas segundo as últimas notícias, o Exército (que é o mais importante na defesa interna) terá seu efetivo reduzido. Será proposital?
Que Deus guarde a todos vocês.


Gelio Fregapani é escritor e Coronel da Reserva do EB, atuou na área do serviço de inteligência na região Amazônica, elaborou relatórios como o do GTAM, Grupo de Trabalho da Amazônia.

15 comentários:

Anônimo disse...

Já que o país não avança, não temos um projeto de nação e muito menos políticos sérios que se divida o brasil. Problemas gravíssimos de violência urbana, e outros tantos. O exemplo do estado do Tocantins que após ter sido separado de Goias teve um grande avanço. Essa pode ser uma boa saída pra nossa escatologia.

Anônimo disse...

CLEONICE I FERREIRA, ILUSTRE CORONEL GELIO FREGAPANI, CREIO EU QUE O MAL SE CORTA PELA RAIZ E O QUE FOI FEITO FOI O CONTRÁRIO, FOI FOMENTADO EM EFEITO DOMINÓ. QUEM É MESMO O CRIADOR DOS MOVIMENTOS CITADOS PELO SR? O MAIS TRÁGICO E QUE O POVO SABE MUITO BEM QUEM SÃO OS RESPONSÁVEIS.O QUE ESTÁ FEITO NÃO TEM VOLTA MAIS. O MÚSICO CHICO DISSE QUE DESCOBRIU PELA REDE QUE ERA ODIADO.O POVO CAIU!!!!!!! AS OVELHAS SE PERDERAM! POR QUE? E NINGUÉM SE COMOVEU, ASSISTIU TUDO COMO SE FOSSE UM ENTARDECER, UM PÔR DE SOL. NÃO ERA. ERAM NUVENS ESCURAS NOS CÉUS( ENTENDE POR CÉUS, GOVERNOS). AGORA SÓ DEUS SABE O QUE ACONTECERÁ. NÃO HÁ CAMINHO DE VOLTA PARA OS" APARTHADS". MINHA ADORADA AVÓ GUILHERMINA DESCENDENTES DE GERMÂNICOS QUE ERA FAZENDEIRA EM MG, SEMPRE DIZIA QUE ÁGUAS PASSADAS NÃO MOVE MOINHO. POR SER SÁBIA ERA MUITO RESPEITADA ,POIS TODOS NA CIDADE QUE FAZIA DIVIZA COM SUAS TERRAS A CONHECIAM .O AMANHÃ SERÁ TÃO TENEBROSO PARA TODOS OS POVOS, DIGO POVOS EM SENTIDO MUNDIAL, QUE A IDADE DAS TREVAS, SERÁ CHAMADA DE IDADE DA LUZ. QUE DEUS O ILUMINE, ESTENDO OS VOTOS AO SR, JORNALISTA JORGE SERRÃO .

Anônimo disse...

CLEONICE I FERREIRA , HÁ UM ENGANO A RESPEITO DO COMENTÁRIO DO ANÔNIMO DAS 11:35 . O ESTADO DO TOCANTINS NÃO TEVE AVANÇO . CONTINUA DO MESMO JEITO. SOFRE COMO OS OUTROS ESTADOS BRASILEIROS. E SÓ IR LÁ E VER COM OS PRÓPRIOS OLHOS. EMQUANTO A EUROPA PROCURA A UNIÃO PARA RESOLVER SEUS PROBLEMAS. EXISTE QUEM ACREDITA EM DIVISÕES .LAMENTÁVEL.

Patury disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Dividir o Brasil nunca!!! Sou o primeiro a me voluntariar para combater os traidores da Pátria. Com muito suor e sangue nossos antepassados formaram o Brasil, esse país gigantesco e cheio de riquezas.

Anônimo disse...

Ow anônimo 6:21, que suor e que sangue tivemos que derramar por esse país???? Nunca tivemos que lutar por nada, nem independência, nem república e nem na ditadura....
Pelo amor de deus, não fale merda.

Anônimo disse...

CLEONICE I FERREIRA, SR,PATURY EU MORO EM GOIÂNIA-GOIÁS DESDE 1970,NOS ANOS 80 QUANDO LEVANTARAM DEBATES PARA DIVIDIR O ESTADO DE GOÍAS EM DOIS ESTADOS: NORTE SERIA O ESTADO DO TOCANTINS E O SUL GOÍAS. FUI TOTALMENTE A FAVOR, POIS SE TRATAVA DO DESENVOLVIMENTO DO NORTE DE GOÍAS, HOJE ESTADO DO TOCANTINS. OUTRA QUESTÃO MUITO DIFERENTE É DIVIDIR A PÁTRIA. FUI CASADA COM UM PERÍTO CRIMINAL QUE QUERIA COMPRAR ARMA, SUA FUNÇÃO PERMITIA, EU DISSE A ELE QUE O DIA QUE A ARMA ENTRASSE DENTRO DA MINHA CASA, EU SAÍRIA COM MEUS TRÊS FILHOS. NUNCA ENTROU UMA ARMA DENTRO DA MINHA CASA. HOJE DIANTE DA GRAVE SITUAÇÃO DO BRASIL, SE HOUVER UMA CONVOCAÇÃO POR PARTE DAS FFAA PEDINDO VOLUNTÁRIOS,ATENDEREI IMEDIATAMENTE, E GARANTO QUE TENHO UMA PONTARIA EXCELENTE. LUTAREI COM NOSSOS SOLDADOS. LUTAR PELA NOSSA PÁTRIA E FILHOS É A ÚNICA COISA QUE VALE MIL VIDAS.QUE DEUS O ILUMINE. ILUSTRE JORNALISTA JOGE SERRÃO HOJE POSTEI TRÊS VEZES, ME DESCULPE.AGRADECIDA.

Anônimo disse...

Mas a divisão da pátria já está acertada há tempos... e mais há acordo na ONU que se houver intervenção militar no Brasil a ONU já está autorizada a invadir o país, para evitar que isso se concretize. Será que esta informação é verdadeira? Quem assinou esse acordo? Quem pode trazer a luz esse documento?
Saudações.

Anônimo disse...

O povo deste país está cansado de ser roubado . Não sou fascista,mas apenas a guerra pode dar forças ao povo como na frança na queda da bastilha. Os jovens estão unidos contra esses corruptos.lembre da qui de minas na nossa bandeira está a frase "liberdade ainda que tardia" de Tiradentes o nosso heroí.

antoni disse...

Vc é quem diz merda amigo.
Se vc voltar nos fatos históricos, verá que muitos brasileiros morreram pelo Brasil. Procure saber sobre a batalha do Jenipapo, depois procure sobre os maragatos. A república em que vivemos quer pessoas como ti. Sem conhecimento algum da história do seu povo e do seu país

antoni disse...

Vc é quem diz merdas.
Se procurar nos fatos históricos, verás que seus antepassados brasileiros perderam muito sangue para que vc pudesse dizer que é brasileiro. Vide batalha do jenipapo, procure sobre os maragatos e estude a invasão e bombardeio de São Luís antes de falar o que não conhece. A república quer pessoas como vc. Ignorantes da história

Anônimo disse...

Gostaria que aqueles que postam seus comentários leiam um pouco mais de história do Brasil. A nossa nação se lutou contra a invasão estrangeira: Holandeses, Franceses e por último em 1865 contra a invasão dos paraguaios, aqui pela região sul.São
Borja, Itaqui, Uruguaiana RS meus antepassados deram seu sangue por esta Pátria.

Anônimo disse...

Nao tem mais conversa tem que ser com as arma

Anônimo disse...

VIVA OS ESTADOS DO SUL

Anônimo disse...

VIVA OS ESTADOS DO SUL