domingo, 30 de março de 2014

Cadê a quadrilha que estava aqui?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Guilherme Fiúza

Nelson Rodrigues foi novamente convocado por Dilma Rousseff. Sempre que tira os olhos do teleprompter, a presidente sofre em sua árdua missão de fazer sentido. Nelson foi o primeiro a satirizar essa esquerda parasitária escondida atrás de bandeirolas do bem. Hoje talvez o dramaturgo acrescentasse ao “padre de passeata” a “presidenta de teleprompter”. Alguém precisa avisar à assessoria de Dilma quem foi Nelson Rodrigues. Era mais honesto quando ela traficava a imagem de Norma Bengell.

Ao assinar contratos de concessão de rodovias, Dilma citou o companheiro Nelson para dizer que “os pessimistas fazem parte da paisagem, assim como os morros, as praças e os arruamentos”. Por que não acrescentar: assim como as estradas estouradas, os aeroportos em ruínas e o sistema elétrico em estado de coma. A paisagem da infraestrutura brasileira hoje é tão impactante que fica até difícil enxergar nela os pessimistas — mesmo que eles desfilem pelados contra a mentira da conta de luz barata, e o desfalque de 12 bilhões de reais do contribuinte para sustentá-la.

Dilma tem razão: não há motivo para pessimismo. Basta olhar a situação dos seus amigos mensaleiros. Eles montaram um duto de dinheiro público para o partido governista, na maior engenharia já vista para roubar o Estado de dentro do Palácio do Planalto. Mas o otimista, ao contrário do pessimista, sempre espera pelo milagre. E ele veio: rasurando a sua própria decisão, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o bando do mensalão, famoso pela monumental arquitetura do valerioduto, não era uma quadrilha.

O esquema que envolvia ministro de Estado, tesoureiro e presidente de partido, banqueiro, funcionário público graduado e outros companheiros fiéis, todos ligados por um mesmo despachante e uma mesma base operacional, agindo de forma orquestrada e sistemática para o mesmo e deliberado fim, não constituía uma quadrilha. Agora o Brasil já sabe: só há quadrilha quando os criminosos que fazem tudo isso juntos são pessimistas perdidos na paisagem.

O discurso épico do ministro Luís Roberto Barroso, inocentando os otimistas do crime de formação de quadrilha — e liberando-os da prisão em regime fechado — é um marco de esperança para os bandoleiros solidários, que abominam as trampolinagens individualistas e neoliberais. E assim chega ao fim o julgamento do mensalão, com a sentença histórica prenunciando os novos tempos: agir em bando com estrelinha no peito não é quadrilha, é socialismo.

Foi emocionante ver os ministros Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli — os já famosos Batman e Robin do PT no Supremo — voando com suas capas em defesa de Barroso e do seu Direito lírico. Todo esse otimismo permitia antever a chegada da sobremesa: a absolvição de João Paulo Cunha (o Mandela brasileiro) do crime de lavagem de dinheiro.

A tese vencedora, mais uma vez esgrimida com arte por Barroso, foi de que o então presidente da Câmara dos Deputados participou da corrupção sem saber que o dinheiro que recebia era sujo. Era o dinheiro do mensalão, operado por seus companheiros de cúpula do PT, mas ele, assim como Lula, não sabia. Os otimistas são distraídos mesmo.

O ministro Luís Roberto Barroso chegou a dizer que João Paulo não sabia da origem ilícita do dinheiro porque não fazia parte da quadrilha. Logo retificou, dizendo que o réu não fora denunciado por formação de quadrilha. Nem precisava esclarecer, todo mundo já sabe que quadrilha não existe. Inclusive o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, considerando-se o seu rolezinho na prisão da Papuda para visitar José Dirceu, o chefe da ex-quadrilha.

Disse Agnelo: “Eu sou governador, vou ao presídio a qualquer hora e visito quem eu quiser.” Está certo. Se Deus e a quadrilha não existem, tudo é permitido. Agnelo deve ter ido levar umas palavras cruzadas a Dirceu.

O companheiro Nelson Rodrigues dizia que a única forma possível de consciência é o medo da polícia. A desinibição da ex-quadrilha mostra que, para o PT, Nelson está definitivamente superado.

O recado de Dilma aos pessimistas servia também como resposta às críticas feitas à sua política econômica no aniversário de 20 anos do Plano Real. Os autores do plano disseram que esse negócio de esconder inflação com tarifas inventadas e esconder déficit público com maquiagem de contas não vai acabar bem. Mas depende do ponto de vista.

As pesquisas apontam a reeleição de Dilma em primeiro turno, com toda a política monetária do crioulo doido, a infraestrutura em petição de miséria, a pilhagem do mensalão e do pós-mensalão, a contabilidade criativa, as ONGs piratas penduradas na floresta de ministérios, a sangria do BNDES para a Copa dos malandros e grande elenco de jogadas solidárias.

Isso não vai acabar bem para a paisagem brasileira. Mas não tem problema, porque os companheiros otimistas estão a salvo dela.


Guilherme Fiúza é Jornalista. Originalmente publicado em Globo em 15 de Março de 2014.

Um comentário:

Anônimo disse...

Mesmo com o apoio de todos os partidos barriga de aluguel, no sanado, congresso, supremo federal e supremo eleitoral os ptbostas guardam seus planos e desejos secretos ate dos amigos, tanto e que na reunião dos ptbostas no planalto não tinha ninguém dos partidos amigos que ajudam no desgoverno do pt. Isso significa que eles não confiam nem nos amigos. Esta na hora das coligações de ajuda ao pt abrirem os olhos porque assim como o pt foi traído por varias pessoas que compõem a liga eles podem a qualquer momento trair os amigos que os ajudam na pilantragem. O que eles pensam no mundinho medíocre deles e que eles são os maiores, os salvadores da pátria, os heróis que estão salvando o pais. Quanto foram presos eles montraram a real personalidade que eles tem. A união deles e qualquer coisa indescritível eles não denunciam uns aos outros, cuidam, defendem com unhas e dentes mas so ao próprio pt os coligados que se danem quando tiverem oportunidade vao esfaqueá-los pelas costas. E assim que eles agem na calada da noite e em segredo. A nação que não pensa que se o barco virar que eles vao ficar aqui para pagar a conta, vao fazer o que fizeram nos anos sessenta pegar a mala com os dinheiros roubados e vao se mandar, deixando o terreno minado para o povo, inclusive todas as benesses que eles andaram dando sem motivos não vao voltar para os cofres públicos. Alerta, nossas fronteiras estão abertas para tudo que e parasita do mundo, cocaleiros, chincheiros, chefes de estados dos merdasul de nações que não deram certo. Agora com nossas fronteiras abertas e o surto de gente que vem de outros países para a copa vai entrar em território nacional tudo quanto e gato e cachorro, os estádios que foram feitos em doze capitais, não sei porque tantos, inclusive para capitais que não tem quase movimento de futebol, pode ser tática para desviar a atenção dos brasileiros dos problemas da nação. Pior do que tudo nossa nação possui a melhor reserva em tudo A floresta amazônica sonho de tudo quanto e agiota, trambiqueiro, falsificador, agentes de outras nações a serviço dos embustes e das estocadas para tirar o que nos pertence. Começaram com a petrobras, fiquem de olho porque com a fiscalização da internete o único que nos tira do marasmo eles vao ficar dominando tudo ate venderem a floresta amazônica, que pode curar muitas doenças com suas plantas e que esta muito movimente nestes dias por estrangeiros. O pais esta com as forças armada sucateadas. O povo esta desprotegido nosso congresso, senado, justiça não nos representa. Nossas atitudes de hoje vai responder no futuro por tudo que vier para nos de bom e de ruim, ressalvo que ate agora para nos so sobraram as contas o resto e briga de cachorro grande para pegar o osso.