terça-feira, 29 de abril de 2014

A grande causa


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

O abandono de crianças e adolescentes até 15 anos, por pais viciados; 
o espantoso número de homicídios que faz do país um dos líderes nesse tipo de crime em todo o mundo; 

os roubos e furtos, com incidências também em ascensão; 

a quantidade assustadora de armas e munições em poder dos bandidos; 

a intimidação cada vez mais frequente de populações inteiras que vêem suas rotinas diárias alteradas, escolas obrigadas a interromper suas atividades, com o comércio recebendo ordens tentaculares de fechar as portas; 

a ousadia dos grandes assaltos, sendo os ataques com explosivos a caixas fortes de bancos, os mais chocantes; 

os constrangedores e apavorantes arrastões;
as manifestações, às vezes deflagradas por motivos injustificáveis, seguidas de incompreensíveis destruições de meios de transporte coletivo, comandadas não se sabe por quem, evidências da aguda falta de confiança da população na justiça e no poder público.

Estes são alguns dos panoramas desagradáveis que estão colocando o Brasil, às vésperas do maior acontecimento esportivo do planeta, no noticiário internacional e expondo sua verdadeira cara e suas mazelas, até então disfarçadas pela demagogia e falta de transparência do governo e da classe política, pródigos em discursos bravateiros  que não convencem mais ninguém. 

Muitas das verdadeiras causas de todo esse preocupante cenário convergem para o tráfico de drogas cujo fluxo encontra por aqui condições de se desenvolver, dada a leniência das leis , o desaparelhamento das forças de segurança e a enorme porosidade das fronteiras, desguarnecidas. 

Se os vários setores da sociedade não se coordenarem para enfrentar o problema o quanto antes, com seriedade e de maneira responsável e corajosa,  já que o tempo é aliado dos grandes contraventores e controladores do comércio ilícito, estaremos hoje colocando em risco a estabilidade das futuras gerações, nossos filhos e netos. 


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

Um comentário:

Loumari disse...

Portanto se supõe que a UNICEF foi fundada com objectivo de vir em socorro as crianças desfovorecidas! E hoje a questão é: o que é feito desta instituição?

Este ramo das Nações Unidas colectam milhões e milhões de dolars de dons privados, para o resultado como este delatado neste artigo aqui. E dizem ser salvadores. Todos mentem.