sexta-feira, 25 de abril de 2014

Espionagem, fogo amigo e delações de aliados presos neutralizam petistas no descaminho da reeleição


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Informações preciosas obtidas por alta espionagem privada, inconfidências no invejoso “fogo amigo” petista e delações seletivas, premiadas ou não, feitas à Polícia e á Justiça Federal por presos ou condenados em vários escândalos. Estas são as armas letalmente usadas, de agora até a campanha reeleitoral, para destronar o PT do poder. Esta é a explicação encontrada por membros da cúpula petista para o estouro de escândalos em profusão contra personagens estratégicos que rodeiam Luiz Inácio Lula da Silva e demais companheiros que loteiam o grande condomínio da República Sindicalista do Brasil.

A desgraça vem a conta-gotas. Uma incômoda CPI da Petrobras, a incontrolável Operação Lava Jato e a retomada da Operação Porto Seguro, devem trazer novas revelações comprometedoras para detonar o PT. Assim que parte do PMDB saltar para algum barquinho da oposição, o PTitanic ficará totalmente abandonado, à deriva. O problema será como desinfestar a máquina estatal, aparelhada pela criminosa petralhada ou pelos seus meros componentes da “boquinha”. Além de tenso e violento, o processo tende a gerar alto desgaste para o próximo governo – seja ele qual for.

O escândalo Pasadena – que ganha destaque para atingir diretamente a gerentona Dilma Rousseff – é apenas a pontinha do escatológico iceberg. A inevitável CPI da Petrobras será apenas a abertura da porta da privada dos 12 anos de desgoverno petralha. Tem também as pouco claras compras das refinarias Nansei (Japão) e San Lorenzo (Argentina). O desastre de planejamento e gastos superfaturados na refinaria Abreu e Lima (Pernambuco) e no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (em Itaboraí).

Merecem atenção da CPI, da PF, do MPF e da Justiça as caixas pretas da Petrobras Internacional Finance Company (Pfico), Petrobras Global Finance BV e as misteriosas aplicações no fundo BB Milenium. Sem falar na Gemini, nas joint ventures com as empreiteiras, nas Plataformas holandesas alugadas a preços exorbitantes, na Conta Combustível que nunca fecha, num empréstimo milionário para a Oi e nos segredos ocultos desde o fechamento de capital da Br Distribuidora, primeiro ato no comecinho do primeiro governo Lula, em 2003).

A Petrobras ganha destaque negativo porque perdeu mais de R$ 200 bilhões em valor de mercado, só no desgoverno da gerentona Rousseff. A estatal de economia mista tem uma dívida líquida de R$ 221 bilhões. O endividamento da empresa já alcança 36% do valor patrimonial. Há 11 anos a Petrobras não consegue cumprir suas metas internas de produção. Mas a principal bronca de investidores é a fábrica de prejuízos com a conta combustível. A empresa importa gasolina e diesel a preços acima do valor repassado aos consumidores – que já pagam um absurdo em impostos por combustível batizado com álcool.

Muitos outros icebergs de corrupção colocam o PTitanic em uma gelada, até a hora do afundamento final. As revelações bombásticas, desestruturadoras dos políticos e empresários a eles ligados, parecem incontroláveis. A cúpula petista já sabe que é alvo fácil de uma guerra assimétrica. Os ataques, nem tanto de surpresa, vêm de todos os lados. Mais apavorantes que as ações de inimigos ou oposicionistas são as traições internas. Membros do esquema que caem em desgraça judicial abrem o bico e, querendo ou não, comprometem os demais comparsas em efeito dominó. Os petralhas se transformaram em um tumor combatido por um retrovírus mutante.

A única certeza é que se trata de uma campanha de destruição financiada de fora para dentro. A governança do crime organizado no Brasil, que antes beneficiava seus grandes investidores, fugiu completamente do controle. A má gestão, a corrupção sistêmica e as falhas imperdoáveis de planejamento inviabilizam ou geram alto risco de fracasso para a maioria dos negócios mi ou bilionários. Por isso, a Oligarquia Financeira transnacional resolveu apostar seus recursos em novos cavalos. Os burros do páreo atual – espertos apenas para acumular riquezas na base da vagabundagem e da roubalheira – serão inevitavelmente trocados por novas marionetes políticas.

Os detonadores atendem por vários nomes – na hipótese levantada pela cúpula petista. Marcos Valério, Roberto Jefferson e Henrique Pizzolato têm informações explosivas do escândalo do Mensalão. Alberto Youssef, seu sócio Paulo Roberto Costa e muitos doleros carregam as bombas da Operação Lava Jato. Tudo pode respingar, como um acido ativo, em gente e empresas poderosas. As vitimais recentes, até agora, são o futuro ex-deputado André Vargas e o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Cotadas como próximas vítimas – que ainda não aparecem no noticiário, mas já têm seus nomes lembrados no submundo dos lobistas: Guido Mantega, Antônio Palocci, José Dirceu e gente muito próxima de Luiz Inácio Lula da Silva, incluindo seus parceiros de negócios.

Silenciadores


Padilha vai pra casa...

O Globo informa que um relatório da Polícia Federal sobre uma parte da Operação Lava-Jato pode complicar a situação do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT, e do deputado Cândido Vacarezza (PT-SP).

O ex-ministro se enrolou de vez por ter indicado o executivo Marcos Cezar Ferreira de Moura para a diretoria do Labogen, laboratório que tem entre seus sócios o doleiro Alberto Youssef, o principal alvo da Operação Lava Jato.

Escolhido para firmar um contrato de R$ 31 milhões com o Ministério da Saúde, o Labogen só perdeu o negócio depois que as relações suspeitas entre André Vargas e Youssef foram tornadas públicas.

Dólar Furado


Conversas indiscretas

Escutas legais em conversas de André Vargas revelam que Marcos Ferreira fora indicado para a direção do Lobogen por Alexandre Padilha.

A investigação também descobriu que  que o deputado Cândido Vacarezza participou de uma reunião em Brasília com Youssef e André Vargas para tratar de negócios com o doleiro.

Teria também participado do encontro Pedro Paulo Leoni Ramos, ex-ministro do governo do ex-presidente Fernando Collor de Mello.

Collor salvo

A impunidade e a injustiça, por lentidão ou incompetência na instrução do processo judicial, proporcionaram ontem um espetáculo dantesco no Supremo Tribunal Federal.

O hoje senador Fernando Collor de Mello foi absolvido das acusações de peculato, corrupção passiva e falsidade ideológica – 22 anos depois de afastado da Presidência da República, em 2 de outubro de 1992.

Collor já tinha sido absolvido pelo STF em 1994 no processo de corrupção também por falta de provas de seu envolvimento com a arrecadação ilegal de dinheiro comandada por Paulo César Farias, o ex-tesoureiro da campanha presidencial.

Que demora...

A denúncia do Ministério Público – pedindo a condenação de Collor pela assinatura de contratos fraudulentos com empresas de publicidade quando era presidente, entre 1990 e 1992 - foi recebida na Justiça comum em 2000.

O caso chegou ao STF apenas em 2007 e ficou parado no gabinete da relatora, a ministra Cármen Lúcia, de 2009 a 2013.

A demora para julgar foi tanta, que os crimes de corrupção passiva e falsidade já estavam prescritos.

Reclamação

Ao final do julgamento de ontem, o Presidente do STF, Joaquim Barbosa, lamentou as prescrições antes mesmo do julgamento, e se recusou a votar:

“Isso é um retrato de como funciona a justiça criminal brasileira, com tropeços, com mil dificuldades. É isso. Esse caso chegou aqui em 2007. Vocês tirem suas conclusões”.

Pior que ouvir isto foi o desabafo da vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko, que defendeu a condenação de Collor:

“É aterrador como se desvia recursos públicos neste país”.

Parecido com o Mensalão...

O esquema denunciado pelo Ministério Público tinha vários pontos de semelhança com o mensalão do governo Lula, condenado pelo STF.

Segundo a denúncia, agências de publicidade eram contratadas por meio de concorrências ilegalmente direcionadas.

Em troca do favor, as empresas pagavam propina a assessores diretos do então presidente.

Parte do dinheiro desviado teria sido usado para custear a pensão a um filho tido por Collor fora do casamento, mas como nada ficou comprovado...

Festança

Os oito ministros presentes à sessão concordaram que não havia prova suficiente para condenar Collor por peculato.

Outros cinco o absolveram de corrupção passiva e falsidade ideológica, mesmo que os crimes já estivessem prescritos.

Os ministros Teori Zavascki, Rosa Weber e o presidente do STF, Joaquim Barbosa, se recusaram a julgar os crimes prescritos

No Twitter, Collor festejou: “ABSOLVIDO: Pela 2ª vez, o STF absolve o senador @Collor de acusações a ele imputadas durante o processo de impeachment... Os ministros do STF entenderam que não há provas contra o ex-presidente da República. @Collor é inocentado no STF por unanimidade de votos. Ministros consideraram que não há provas contra o ex-presidente:http://migre.me/iUKPI “.

Festival de CPIs


Desculpa aos navegantes

Por motivos técnicos, hoje não publicaremos os habituais artigos de nossos colaboradores.

A partir de sábado, esperamos retornar à situação de normalidade.

Inclusive, publicando nossa página mais cedo, e não tão tardiamente como nesta sexta-feira.

Sumidinha


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 25 de Abril de 2014.

11 comentários:

Kozel® disse...

http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2014/04/novas-provas-de-bcorrupcao-na-petrobrasb.html

Marcio disse...

Pois é, Vargas, seu azar é ter se deixado descobrir e os cumpañeros não toleram, totalmente vedado, vira boi-de-piranha, como disse o Vicentinho, "sujar" o partido - de forma alguma, emporcalhar a legenda.
De tão límpido que é o partido PT que deveria trocar as insígnias da foice e martelo por um buquê de lírios brancos, mais adequado para sua bandeira.

Unknown disse...

CARO JORNALISTA SERRÃO

TÍTULO - O SOMBRA - A DEMOCRACIA E O POVO INOCENTE ÚTIL
PRA FRENTE BRASIL
FALANDO A VERDADE
A FALÊNCIA DA DEMOCRACIA
A DEMOCRACIA SÓ NÃO FALIU AINDA PORQUE O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL ESTÁ COM A MAIORIA DOS SEUS MINISTROS DOMINADOS POLITICAMENTE PELO GOVERNO FEDERAL, POR INDICAÇÃO DOS DIRIGENTES DO PT E SEUS COLIGADOS, NAS FIGURAS DOS POLÍTICOS CORRUPTOS ELEITOS E RÉUS DO MENSALÃO, DO SR. LULA, DO SR. RUI FALCÃO.
O CONGRESSO NACIONAL É COMPOSTO PELO SENADO E CÂMARA DE DEPUTADOS, FEDERAL
Presidente do Senado Federal
Renan Calheiros
O atual presidente do Senado Federal do Brasil é o senador Renan Calheiros, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) de Alagoas. Eleito para a Presidência do Senado em fevereiro de 2013, Renan Calheiros ocupa o cargo pela segunda vez. Em 2007, ele renunciou à Presidência da casa após uma série de denúncias de corrupção, no caso que ficou conhecido como Renangate
Presidente da Câmara de Deputados federal
A Câmara dos Deputados do Brasil, assim como o Senado Federal, faz parte do Poder Legislativo da União. São 513 deputados, que através do voto proporcional, são eleitos e exercem seus cargos por quatro anos.
Atualmente seu presidente é o deputado Henrique Eduardo Alves, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) do estado do Rio Grande do Norte. A Câmara dos Deputados está localizada na praça dos Três Poderes, na capital federal.

QUANDO O PRESIDENTE DO SENADO RENAN CALHEIROS E DO CONGRESSO NACIONAL, PARTIDO PMDB, ALIADOS DO GOVERNO FEDERAL, RESOLVE BOICOTAR E CONSTRUIR UMA BARREIRA DE CONTENÇÃO CONTRA A APURAÇÃO LEGÍTIMA DA CPI DA PETROBRAS,(MARCHA PROGRAMADA PARA BRASILIA, CRIANDO UM FATO NOVO E AS CONDIÇÕES QUE ATENDA O SEU OBJETIVO FINAL QUE É A IMPLANTAÇÃO COMUNISMO SOCIALISTA NO BRASIL), CUJO PATRIMÔNIO EMPRESARIAL, ESTÁ SENDO DILAPIDADO POR MEMBROS DO PARTIDO DO GOVERNO PT E SEUS COLIGADOS.
AO INCENTIVAR A SUA MILITÂNCIA NA PESSOA DO SR. MINISTRO GILBERTO CARVALHO A PARTIR PARA A VIOLÊNCIA ( EM 2013 O BICHO VAI PEGAR), O GOVERNO PERDEU A RAZÃO E PARTIU PARA A GUERRA.
ISTO É UMA VERGONHA NACIONAL E UM MAU EXEMPLO PRO POVO INOCENTE ÚTIL QUE NÃO SABE MAIS EM QUEM CONFIAR, A VIOLÊNCIA É ESTIMULADA E A GUERRA CIVIL SE ALASTRA EM TODOS OS ESTADOS BRASILEIROS.
O POVO INOCENTE ÚTIL PODE CONCLUIR QUE A DEMOCRACIA ESTÁ CORRENDO UM SÉRIO RISCO DE UMA CONVULSÃO INTERNA ENTRE SEUS TRÊS PODERES CONSTITUÍDOS E INDEPENDENTES( PODER EXECUTIVO, PODER JUDICIÁRIO E PODER LEGISLATIVO).
ESTÁ É UMA BRIGA QUE O POVO INOCENTE ÚTIL NUNCA CONHECEU NA VIGÊNCIA PACÍFICA DE UM REGIME DEMOCRÁTICO.
A ÚNICA MANEIRA DE DAR UM BASTA NESTA BADERNA QUE SE ENCONTRA A DEMOCRACIA NO BRASIL É NO DIA DAS ELEIÇÕES, NÃO COMPARECER AS URNAS, SUJEITAS A FRAUDES PARA VOTAR E COLOCAR NA RUA TODOS POLÍTICOS CORRUPTOS E OS NÃO CORRUPTOS,(PRESIDENTE, GOVERNADORES, SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS) MAS CONIVENTES COM OS SEUS PARTIDOS, NO OLHO DA RUA E PARTIRMOS PARA UMA NOVA ELEIÇÃO COM GENTE NOVA, COM CORAGEM, HONRA, AUSTERA, HONESTA, QUE PENSAM EM SERVIR AO POVO INOCENTE ÚTIL, SEM SE SERVIR DELE.

Anônimo disse...

Quando e que vao pegar o chefe da quadrilha?

Anônimo disse...

Parece que a questão de Petrobras hoje é o que condimenta todos os molhos. Apropósito: Como termniou a questão da VARIG?

Anônimo disse...

Enquanto o chefão não for pego a roubalheira vai continuar.

Anônimo disse...

Datena, meta o pau no prefeito, e diz que ele liga direto pro dona da Band pra reclamar, Raquel foi silenciada no SBT, a denuncia do Dep. Jair Bolsonaro é verdadeira, a censura é pior que no tempo da Ditadura.

Anônimo disse...



25/04/2014
às 16:09
Janot é contra quebra de sigilo em investigação sobre telefonema de Dirceu

Por Gabriel Castro, na VEJA.com:
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deu parecer contrário ao pedido de quebra de sigilo telefônico feito pelo Ministério Público do Distrito Federal para investigar se o ex-ministro José Dirceu utilizou um telefone celular na prisão. Se concedida, a solicitação da promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa obrigará as empresas de telefonia celular a fornecer dados sobre ligações feitas não só na área do presídio da Papuda, onde está Dirceu, mas também no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional e no Supremo Tribunal Federal. O período citado vai de 1º a 16 de janeiro.

Janot argumenta que o pedido da promotora é descabido. “A pretensão de quebra de sigilo, nos termos em que foi feita, viola princípios da proporcionalidade”, afirmou o procurador em seu relatório. O chefe do Ministério Público Federal também aponta um “descompasso” entre o pedido feito e o objetivo alegado. O caso ainda vai ser analisado pelo ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF).

Sindicância
A apuração sobre o telefonema de Dirceu tem por base as afirmações do secretário da Indústria, James Correia. Em janeiro, ele relatou ter conversado com o petista por telefone – e depois recuou. A sindicância aberta pelas autoridades penitenciárias do Distrito Federal não comprovou a conversa de Dirceu com James Correia. Por isso, alegando que as providências administrativas foram “insuficientes”, a promotora Márcia solicitou a quebra do sigilo telefônico com base em coordenadas geográficas.

Para investigar o possível telefonema, a promotora pediu que as cinco principais operadoras de telefonia móvel informem as chamadas efetuadas e recebidas por meio de Estações de Rádio Base (ERBs) que captam os sinais de duas áreas identificadas pela promotora. Uma corresponde ao presídio da Papuda, onde está Dirceu. A outra é a do Palácio do Planalto. Neste caso, as antenas que transmitem os dados de telefonia celular também cobrem a área do Congresso e do STF, além da Esplanada dos Ministérios.

A Advocacia-Geral da União reagiu contra o pedido da promotora e apresentou uma queixa disciplinar contra Márcia Milhomens ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), alegando que ela teria ultrapassado suas atribuições legais ao pedir os dados de telefonemas feitos na Praça dos Três Poderes.
Por Reinaldo Azevedo

Anônimo disse...

Vem por ai um Golpe de Estado efetuado pelo PT, PC do B, os chefes das Forças Armadas e o ministro da defesa tudo com ajuda cubana!

Aliás, nossos generais viraram cubanos! A covardia è imensa!

"ALERTA BRASIL: Aprovado projeto sobre trânsito de forças estrangeiras no Brasil

O Plenário aprovou, por 270 votos a 1, o Projeto de Lei Complementar 276/02, do Executivo, que permite ao presidente da República delegar ao ministro da Defesa a concessão de permissão para o trânsito e a permanência temporária de forças estrangeiras no Brasil sem autorização do Congresso Nacional, nos casos previstos.

(...)"

http://illuminatielitemaldita.blogspot.com.br/2014/04/aprovado-projeto-sobre-transito-de.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+IlluminatiAEliteMaldita+(ILLUMINATI:+A+ELITE+MALDITA)

=================================

"APROVADO NA CÂMARA PROJETO QUE AUTORIZA EXECUTIVO A DECIDIR SEM OUVIR O CONGRESSO SOBRE TRÂNSITO E PERMANÊNCIA DE FORÇAS ESTRANGEIRAS NO BRASIL

(...)

Um avião cubano ou venezuelano pode pousar no Brasil e desovar as temíveis "Avispas Negras", corpo de combate especial cubano que atualmente age na Venezuela em apoio ao chavismo.

(...)"

http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/04/aprovado-na-camara-projeto-que-autoriza.html

Brasileiro confiante disse...

Jornalista Jorge Serrão. Há algum tempo tenho visitado este blog. Por ele tenho me inteirado de noticias relevantes e críticas muito bem articuladas. Continuarei seu leitor. Parabéns.

Brasileiro confiante disse...

Ao Unknown (12:51h) Discordo, radicalmente, do caro leitor aí embaixo. Nós não temos de boicotar eleições. Os eleitores do governo que aí está comparecerão e o elegerão novamente, e é isso que temos de impedir. Ora, na medida em que nós, os insatisfeitos, nos omitirmos de votar na oposição, o boicote beneficiaria os adversários oficiais. Assim, o nosso comparecimento nas urnas para mudar o Brasil é a única solução e por isso é indispensável.