segunda-feira, 21 de abril de 2014

O Clube Militar como Ator Político


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Marco Antonio Felício da Silva

O Clube Militar é uma associação civil, não subordinada a quem quer que seja, a não ser a sua Diretoria, eleita por seu quadro social, tendo mais de cento e vinte anos de gloriosa existência. São anos de luta, determinação, conquistas, vitórias e de participação política efetiva em casos relevantes e de inflexão da História Pátria.

Há vários anos que esta face do Clube está oculta.

Hoje, o País vive situação de descalabro político e moral. O governo está entregue a uma quadrilha que exaure a Nação. É, pois, momento de nos inspirarmos nas tradições da “Casa da República” e imprimir um novo modelo ao Clube que, sem deixar de ser  um lugar de lazer, volte a ser ator político de cunho nacional, ativo fórum de debates, influenciando politicamente e contribuindo para a defesa dos interesses das FFAA e do País.

O Clube Militar não pode se vergar diante de pressões de qualquer natureza, como também não pode se intimidar por assumir papel de ator político, dando vez e voz aos militares. Deve se opor à propagação de uma nova e mentirosa estória que desonra as Forças Armadas e transforma heróis em bandidos e bandidos em heróis, apoiando, de todas as formas, os militares que combateram a subversão comunista. Deve propugnar comportamento ético para os homens públicos e defender a dignidade dos militares, hoje, também, ferida e constrangida com salários aviltados e cortes orçamentários.

Não podemos nos esquecer de que Política Externa, em qualquer país que aspira agir como potência, defendendo interesses variados, sem deles abrir mão, se faz com Diplomacia e Forças Armadas.

Isso não ocorre no Brasil, pois, temos governo incapaz, sem planejamento, inclusive de Nação, e falta de visão estratégica, reflexo de anos de inconsequente ação política sob a liderança de homens medíocres e irresponsáveis como os de hoje.

Portanto, a defesa dos interesses maiores do País leva a que defendamos a existência do Estado de Direito, hoje uma balela, e de Forças Armadas, modernamente equipadas, com real capacidade operacional e poder de dissuasão, com seus integrantes remunerados de acordo com a excelsa missão que cumprem.

O Clube Militar, pelas suas tradições e atuação, pela abrangência nacional e pelos quadros que possui, sem perder a sua característica de clube de lazer, aliado a outras organizações civis que congregam militares, tem as melhores condições de traduzir, publicamente,  o resultante de  nossa união, das ideias e ações originárias de estudos de temas inerentes aos interesses nacionais e de debates respectivos, possibilitando, entre outras coisas, o conhecimento externo do pensamento militar, a erradicação de estereótipos e o surgir de representação de militares da Reserva e de reformados no Congresso Nacional, onde se decidem os destinos da Nação.

Tudo isso deve ser feito de forma integrada e coordenada, sem que o Clube se imiscua em política partidária. Isso, também, não significa transformar o Clube em sindicato, o que não é, e jamais o será, pois, incompatível com o procedimento do estamento militar, por formação e por crença em valores perenes.

O meu compromisso é de priorizar a coesão da categoria militar e de forjar um novo modelo para a “Casa da República” que, ao lado do lazer, de acordo com as suas tradições, dará vez e voz, de natureza Política, aos militares.

“A Instituição será maculada, violentada e conspurcada diante da leniência de todos aqueles que não pensam, não questionam, não se importam e não se manifestam”

ELES QUE VENHAM. POR AQUI, NÃO PASSARÃO!

Marco Antonio Felício da Silva, General na reserva, é candidato à Presidência do Clube Militar pela chapa Tradição, Coesão e Ação.

Um comentário:

Anônimo disse...

A maioria do povo brasileiro não quer saber deste modelo político de quadrilhas que saqueiam os cofres da nação. Somente aqueles que roubam os cofres públicos é que interessam por este governo de bandidos. Não é por acaso que temos 39 ministérios. São apenas pessoas compradas para dar apoio a este desgoverno corrupto. Queremos as Forças Armadas bem equipadas, bem remuneradas e respeitadas para defender os interesses do Brasil. Queremos também as Forças auxiliares bem equipadas e bem remuneradas e com liberdade para combater os verdadeiros criminosos que são aliados do governo. Não será com este massacre, este linchamento moral de todos os militares, tanto das Forças Armadas quanto das Forças Auxiliares é que teremos um país desenvolvido.
É muito importante acabar com esta estória mentirosa que desonra as Forças Armadas. É tão mentirosa que o Brasil está presenciando a desordem e a bandidagem que tomou conta do governo e do país.
Avante, grandes homens, os brasileiros precisam de vocês outra vez.