quinta-feira, 19 de junho de 2014

O pequeno grupo de facínoras: carta ao Ancelmo Gois

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

Você hoje escreveu na sua coluna que o DOI/CODI da rua Barão de Mesquita era composto por "um pequeno grupo de facínoras". Não! Você está equivocado.

 O DOI  era composto por um pequeno grupo de militares e civis, mandados para lá, constitucionalmente, para defender a Pátria de "um pequeno grupo de facínoras", que já em 1966, em Recife, com a bomba colocada no Aeroporto, iniciaram o terrorismo, os sequestros de pessoas e de aviões e os justiçamentos de seus próprios companheiros.

Antes, muito antes, em 1961, um outro "pequeno grupo de facínoras", ainda no governo constitucional de João Goulart, foi mandado à China receber treinamento de terrorismo. O que esse "pequeno grupo de facínoras", a que Você se referiu,  fez,  não foi mais do que defender a Pátria do terrorismo comunista, que matou o Soldado Mario Kosel Filho, o Cap Chandler, o Capitão da PMSP, no Vale da Ribeira (assassinado a coronhadas), os policiais federais que davam segurança a dois embaixadores sequestrados, e que matoau a título de "justiçamento" vários de seus próprios companheiros.

Muitos dos que sequestraram, jogaram bombas, mataram ou somente pegaram em armas (como a presidentA), hoje estão aí, desempenhando cargos públicos bem remunerados, depois de anistiados e recompensados financeiramente. Enquanto isso, a família do Soldado Mario Kosel recebe 350 reais por mês, segundo a imprensa.

É verdade o que escrevi acima?


Quero ver se no dia 26 de junho, data do assassinato do Soldado Mario Kosel Filho pela organização terrorista da qual fazia parte a atual presidentA,  Você irá lhe prestar alguma homenagem em sua coluna de fofocas..


Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

3 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, texto impecável. Se o Ancelmo não podia escrever a verdade, deveria no mínimo ter ficado de boca fechada.

Ronald disse...

Muito pertinente o post publicado. Já há algum tempo que visito a coluna deste paspalho com o único objetivo de ver o que um jornal como O GLOBO permite ele publicar.

Algumas matérias são absolutamente sórdidas e canalhas, bem ao estilo desse nordestino ( mais um ) que escapou da fome e da seca...

Em minhas andanças pela Zona Sul do Rio de Janeiro venho orando para encontrar pessoalmente esse pulha e orando ainda mais para que eu consiga contar até 10 para não partir o focinho deste babaca em dois mesmo sabendo que estarei sujeito a processos judiciais por agressão e lesão corporal. Entretanto acho que qualquer indenização que eu tenha que pagar terá um gostinho especial porque não importa o quanto seja, a porrada que eu lograr êxito em dar na cara deste vagabundo ficará para sempre.

Acho que o verdadeiro facínora foi o pai deste marginal que fornicou uma cadela qualquer a qual defecou o dejeto humano em epígrafe para este infectar e contaminar o Brasil.

Ele é tão escroque e safado que não publica meus comentários.

Coisa de covarde e moleque !

Deixa estar ! Uma hora eu esbarro com ele e então será lindo vê-lo sentir o peso das minhas mãos e das minhas botas no seu focinho.

Prof. Irapuan Teixeira disse...

Parabéns!!! Perfeito!!! Vou compartilhar no meu Blog. Excelente!!!