domingo, 27 de julho de 2014

2015 promete...


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

A recente resolução do Banco Central no sentido de turbinar o crédito é claramente eleitoreira, o que demonstra de maneira inequívoca que os tentáculos do Planalto estão mais entranhados na Instituição do que "supõe nossa vã filosofia", como anunciava Shakespeare.

"Nossa vã filosofia", a que orienta o pensamento do cidadão comum, considera difícil entender como uma economia que reconhecidamente se engalfinha com a ameaça inflacionária, represada mas diariamente constatada no dia a dia, pela persistente dissipação da renda da população e pelo aumento facilmente observado da sua inadimplência, toma a decisão de estimular o consumo. 

Justificá-la sob o pretexto de que é necessária para a revitalização da indústria e de outros setores cujos índices de crescimento se mostram declinantes, é como injetar num organismo infeccionado um antibiótico que, sabidamente, dentro de pouco tempo terá sua eficácia neutralizada por bactérias mais resistentes. 

É óbvio então que o governo, ao interferir na autonomia do Banco Central, aposta no período que resta de atuação do remédio e, quando este deixar de ser eficaz, com estimativa para imediatamente após a eleição, aplicar soluções que, pela sua urgência, deveriam ser adotadas há muito mais tempo e que não o foram em nome da manutenção do poder. 

Portanto, seja quem for o vencedor das eleições de outubro, uma conclusão é inevitável: 2015 promete.  


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

Nenhum comentário: