terça-feira, 29 de julho de 2014

Obrigado, meu Exército!


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Pinto Monteiro

A Diretoria do Conselho Nacional de Oficiais R/2 do Brasil esteve reunida na Capital Federal. O Sistema CNOR, formado por vinte Associações Regionais, foi recebido pelo Comando do Exército e, ao longo de três dias, desenvolveu uma intensa programação onde, além de quatorze horas de trabalho interno, foram realizadas visitas ao Quartel-General do Exército e ao Ministério da Defesa. A nossa comitiva era composta pelo Presidente do CNOR, dezesseis Presidentes de Regionais, nove Diretores e Chefes de Departamentos e, na condição de observadores, onze oficiais da reserva de várias origens, totalizando um efetivo de trinta e sete participantes.

O Sistema CNOR completou, em 2014, dezessete anos de atividades. Desde a sua criação, em 22 de abril de 1997, já realizou quinze Encontros Nacionais de Oficiais da Reserva, de Manaus a Porto Alegre. Temos cadastrados, cerca de dez mil oficiais.

Quando a história do CNOR for contada, certamente a reunião ora realizada em Brasília terá um lugar de destaque. O fundador e patrono dos Órgãos de Formação de Oficiais da Reserva, Tenente-Coronel Luiz de Araújo Correia Lima, vitimado precocemente na Revolução de 1930, teve mais um reconhecimento da Força quanto ao acerto dos seus ideais de criação dos OFOR.

Somos “A Reserva Atenta e Forte”, proclama a nossa canção. Desde 1927, passaram pelos órgãos de formação mais de cem mil jovens universitários. O Exército nos recebe ainda meninos e nos transforma em oficiais e em líderes. Na ativa, onde hoje permanecemos por até oito anos, estamos presentes em grande número, suprindo a necessidade de oficiais subalternos, tanto na condição de combatentes quanto nas áreas técnica e de saúde. Na Reserva, somos formadores de opinião e, quase sempre, ocupamos posição relevante no segmento civil da sociedade. A formação castrense nos incutiu os princípios, valores e atributos inerentes ao oficialato. As diferentes atividades que hoje desenvolvemos são fortemente influenciadas por nossa alma de militar. Herdeiros cívicos de Correia Lima, temos a honra de, afetivamente, representar o Exército em todas as camadas da sociedade brasileira. E o fazemos como a mais nobre das missões.

O Comando da Força nos acolheu em Brasília como filhos diletos e companheiros de ideais. Se a legislação atual, ao reverso daquela editada logo após a II GM, revogou a nossa condição de militar da reserva, o Exército Brasileiro recebeu os oficiais R/2, integrantes da diretoria do Sistema CNOR, com o respeito, a consideração e a dignidade de verdadeiros irmãos de armas.

A jornada do CNOR em Brasília teve momentos de intensa emoção. O tratamento e a hospitalidade que nos foram dispensados, desde pelo Comandante da Força até os jovens soldados-permanências do Comando Militar do Planalto, foi digno das mais nobres tradições do invencível Exército de Caxias, a que temos um indisfarçável orgulho de pertencer.

Ao retornarmos dessa inesquecível jornada, o sangue verde-oliva que corre em nossas veias, revigorado, nos impulsionará, inexoravelmente, ao cumprimento da missão dos verdadeiros brasileiros na DEFESA DA PÁTRIA - no sentido mais amplo da expressão - ao mesmo tempo em que renovará, em corações e mentes, o juramento do aspirantado.

OBRIGADO, MEU EXÉRCITO!

 “Patriotismo, União, Lealdade, Trabalho - Assim Atua a Reserva Atenta e Forte”.


Sérgio Pinto Monteiro, 2º Ten R/2 Art, é Presidente do Sistema CNOR, e convida para o “XVI ENCONTRO NACIONAL DE OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO - BELÉM - de 03 a 09 de NOVEMBRO”.

3 comentários:

Anônimo disse...

"Obrigado, meu Exército!"

Porque obrigado?? Talvez, seja por causa disso:

http://www.defesanet.com.br/armas/noticia/16146/ARMAS---EB-Suspende-Registros-para-Colecionadores--Tiro-e-Caca-Desportivo--/

Ajudando no desarmamento do desgoverno petralha né? Muito obrigado mesmo, bando de canalhas!

Anônimo disse...

Anônimo das 6:32, você foi realista no comentário. É isso mesmo!
É de um ridículo inadmissível esse tom encomiasta desse bando de parasitas enquanto o país caminha para o abismo que já se mostra irremediável. Simplesmente ridículo!Sempre cantando as glórias de um Exército que já deu sobejas provas de não mais existir...Quem lê publicações realistas de gente na reserva, como as do blog do Licio Maciel, sabe da dolorosa realidade de infiltração e venalidade de boa parte dos milicos na ativa. Começo a me convencer de que esta gente está ganhando até muito diante de sua utilidade para a nação. Fora os que se envolvem em negócios escusos e estão sob investigação, como certo Almirante...
Resta agora a pergunta: quando é que vai cair a ficha do bando de desesperados e tolos que ainda grita por uma intervenção que nunca vai vir? Eu acho que isso só acontecerá no dia em que os milicos receberem os merecidos bofetes na cara de seus chefes cubanos. Enquanto isso, eles continuam com essa retórica afrescalhada, soltando as mesmas notinhas aviadadas de donzela vacilante, confiando ainda que com eleição a situação do país será resolvida. Isto é, os da reserva, aqueles mesmo que quando estavam na ativa, num passado não muito distante, não deram um pio sequer sobre o aviltamento e sucateamento das FFAAs. Os da ativa, especialmente os que estão nos comandos, querem sombra e água fresca e ficar bem com os "príncipes" que lhes alçaram àquela posição, apenas aguardando as ordens. Homúnculos! Merecem a destruição que está por vir.

Anônimo disse...

Anônimo das 6:32, você foi realista no comentário. É isso mesmo!
É de um ridículo inadmissível esse tom encomiasta desse bando de parasitas enquanto o país caminha para o abismo, que já se mostra irremediável. Simplesmente ridículo!Sempre cantando as glórias de um Exército que já deu sobejas provas de não mais existir...Quem lê publicações realistas de gente na reserva, como as do blog do Licio Maciel, sabe da dolorosa realidade de infiltração e venalidade de boa parte dos milicos na ativa. Começo a me convencer de que esta gente está ganhando até muito diante de sua utilidade para a nação. Fora os que se envolvem em negócios escusos e estão sob investigação, como certo Almirante...
Resta agora a pergunta: quando é que vai cair a ficha do bando de desesperados e tolos que ainda grita por uma intervenção que nunca vai vir? Eu acho que isso só acontecerá no dia em que os milicos receberem os merecidos bofetes na cara de seus chefes cubanos. Enquanto isso, eles continuam com essa retórica afrescalhada, soltando as mesmas notinhas aviadadas de donzela vacilante, confiando ainda que com eleição a situação do país será resolvida. Isto é, os da reserva, aqueles mesmo que quando estavam na ativa, num passado não muito distante, não deram um pio sequer sobre o aviltamento e sucateamento das FFAAs. Os da ativa, especialmente os que estão nos comandos, querem sombra e água fresca e ficar de bem com os "príncipes" que lhes alçaram àquela posição, apenas aguardando as ordens. Homúnculos! Merecem a destruição que está por vir.