quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Em nome do medo


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

Outro dia escrevia eu sobre a “questão dos inimigos”....sobre o que eu supunha que pudessem pensar de mim e sobre essa certa coincidência... sobre essas espécies de acidentes que fizeram com que eu e certas pessoas tivéssemos sofrido uma colisão..um certo tipo de batida de frente que, ao que tudo indica, ninguém queria ou planejava.

Seguindo essa linha de “prosa psicológica”, movido eu por alguma espécie de “depressão” ou “fase psicanalítica” cujos motivos não tenho a mínima ideia de quais possam ser, resolvo hoje escrever sobre “respeito”...sobre esse artigo que, numa tentativa de inverter Descartes, eu diria que deve ser aquele que Deus distribuiu da pior forma já que cada um de nós pensa que sempre há alguém que lhe deve o devido respeito e está, descaradamente, em falta conosco.

Sobre respeito, digo o seguinte: nada mais infeliz do que tentar cobrá-lo de alguém. Sempre tive a impressão de que, ao fazer isso, o respeito já havia saído..já havia partido como aqueles ônibus do interior que deixando a rodoviária são perseguidos por algum carro ou moto levando um passageiro atrasado... Nunca vi ônibus nenhum parar nessa situação..Nunca vi o respeito, quando cobrado tardiamente por uma das partes, ser entregue ao seu devido merecedor.

Imagino, quando penso em quem nos governa, que há de chegar o dia em que essa legião de vagabundos alcoólatras, intelectuais gayzistas e sindicalistas pedófilos que, junto com o crime organizado, formaram o Partido dos Trabalhadores vai entender o que escrevi no início desse artigo. 

Imagino inclusive que alguns... uma certa minoria que utiliza um pouco mais do que a histeria como combustível de discurso político consiga me entender desde já. Esses, que devo dizer não são muitos, devem estar pensando numa segunda questão: querem saber o “porquê” de eu estar escrevendo isso...

Sabem todos que tenho razão. Não ousam nem querem discordar do que disse eu sobre respeito mas querem saber o que me “move”, não querem? Querem saber por que do Dr.Milton com “tanta raiva nesse coraçãozinho” ...rsss??

Vamos lá, meus amigos: o que todo vagabundo petista sabe (e eu sei que ele sabe) é que uma vez perdido o respeito resta à uma determinada forma de poder uma última alternativa para perpetuar-se: essa alternativa chama-se MEDO.

Tudo aquilo que for dito pelo PT de agora em diante até a data das eleições há de seguir religiosamente o princípio que acima estabeleci...tudo será apresentado e mostrado..será fotografado e filmado ..será exaustivamente escrito e cantado nos jingles mais imbecis como uma eterna aproximação do Apocalipse... como uma gigantesca possibilidade de perda em que o Brasil, depois de dez anos de tantos avanços e conquistas, corre o risco de regredir..corre a chance de se degradar... de se partir, se quebrar ou se corromper...

Quem não votar no Partido-Religião estará fazendo quase que uma escolha pela tragédia..será quase um antibrasileiro... quase um traidor de tudo que o povo quer e, com sacrifício, conquistou...

Não existe, entre os vagabundos petistas, nenhum capaz de convencer o comando de campanha que possa existir estratégia melhor..que se possa vender a ideia, novamente, de um “Brasil sem Medo de Ser Feliz”...ou de um “Lulinha Paz e Amor” que a todos comoveu em 2003. Não...agora não dá mais tempo..Agora ninguém mais cai nessa, né “cumpanheirada”??

Caiu a máscara, meus amigos, dos traficantes de esperança..da ralé que conseguiu, no maior país católico do mundo, juntar Marx com Jesus Cristo e criar, depois do Foro de São Paulo, as condições para que essa imundície se espalhe por toda América Latina. O PT é hoje no Brasil um gigantesco animal ferido..um bicho ideologicamente agonizante mas ainda assim corrupto até os ossos e que vai, como qualquer animal acuado, lutar até a morte para não sair do poder.

Na luta que vai travar o Partido-Religião tem uma grande vantagem...uma vantagem maior do que o dinheiro ou do que a posse da máquina administrativa..Essa vantagem é a covardia, a burrice, a corrupção...a subserviência e o fisiologismo de qualquer um que tente se apresentar como oposição..É tão fraca, de fato, a capacidade disso que chamamos “oposição” que fossem os vagabundos petistas um pouco mais inteligentes e colocariam por água abaixo tudo que aqui escrevi...

Eles não se apresentariam como opção única e não aceitariam afagos de certos picaretas capazes de dizer que Dilma tem, ela mesma, uma história respeitável..mas infelizmente é tão fraca a capacidade desse governo de infundir respeito e dessa oposição se mostrar diferente dele que não restou mais nenhuma alternativa...

Chegou a hora de mudar todo discurso..a hora em que não vão ser mencionados os diferentes passados nem os possíveis futuros com cada “candidato” diferente..Ninguém quer dar a impressão de que vai “mudar o que deu certo”..de que se vai perder o que se conquistou..ninguém quer se arriscar..ninguém quer perder nem mudar o “time que está ganhando” não é mesmo?

Esse time não parece a vocês todos que seja ele um só?? Um mesmo time de discurso onde jogam desde Aécio até Dilma? Um só “timão do povo” em que ficam no banco de reserva os “Bolsonaros” e as “Jandiras Feghalis” da vida considerados eles mesmos muito violentos para entrar em campo e participar desse Campeonato Brasileiro da Farsa??

Todos os jogadores aceitam falar uma mesma língua... Todos vão proteger a torcida dos “monstros ideológicos” que estão no banco de reservas, não vão??...
Todos vão discursar: Em Nome do Medo.


Milton Simon Pires é Médico.

4 comentários:

Loumari disse...

Aprender a Ceder

Aos sonhos, como aos pesadelos, chega sempre a hora de acordar. É essencial compreender a realidade, viver de olhos abertos, acolher a simplicidade da vida antes de querer resolver a complexidade do mundo.

Cada um de nós tem o seu lugar no mundo, talvez a ninguém caiba o do centro. Nas nossas relações com o mundo, com os outros e connosco, é mais sábio aceitar do que impor, admirar do que exibir, amar do que procurar ser amado...

Aprender a Ceder

Viver é aprender a ceder. A libertarmo-nos de nós mesmos. Só o nosso espírito nos pode soltar porque só ele nos aprisiona. Ser autenticamente feliz depende de uma transformação na forma de olharmos o mundo, aceitando-o sem grandes condições e agindo sem precipitações. Cedendo. Cedendo, sempre. Pois que é melhor manter um amigo do que ficar com a razão, mas sozinho. Há que abrir espaços em nós para que a serenidade que assim se alcança convide a felicidade a fazer do nosso espírito morada sua.

A humildade e a simplicidade são formas de ser, não de parecer.

Um erro comum é querer ser tudo já. Nunca nada chega... e são tantas vezes as saudades a revelarem-nos o verdadeiro valor dos instantes vividos mas já passados. As pressas atropelam o tempo.

Importa não cair na tentação de querer ser senhor do próprio futuro... e aprender a confiar mais. Cedendo espaço à esperança.

Afinal, quantas vezes uma tragédia, decepção, desilusão ou uma simples despedida, ao invés de serem tristes fins revelam-se, depois, como os pontos de partida das nossas maiores aventuras?
"José Luís Nunes Martins, in 'Filosofias - 79 Reflexões'

Loumari disse...

Ser pela liberdade não é apenas tirar as correntes de alguém, mas viver de forma que respeite e melhore a liberdade dos outros.
"Nelson Mandela
Tema - Liberdade

Martim Berto Fuchs disse...

Caro Milton Pires.
Este sistema político que sustenta essa corja de "políticos", já apodreceu há muito tempo.
Para mudar, só um novo paradigma e esse você encontrará em Capitalismo Social.

http://capitalismo-social.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

O Bolsonaro é a única oposição a
esse 10governo. Jandira Feghali é COMUNISTA (do PC do B), igualzinho a petralhada.