sábado, 23 de agosto de 2014

Qual Classe Média?


O petismo contra a classe média

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

Quando a Presidente Dilma, vestida de candidata, reafirma, como o fez em recente entrevista na televisão, desastrosa por sinal, sua posição de ampliar a classe média, várias questões podem surgir. 

Uma delas é se seu discurso tem como objetivo alargar o escopo da  mesma camada social que a Sra. Marilena Chauí, uma das fundadoras do PT, odeia, conforme explicitamente declarado em palestra na qual estava presente o ex-presidente Lula que apoiou tal posicionamento, ao sorrir, quando a perturbada socióloga, jorrou a histriônica erupção . 

Se é, trata-se de uma inconsistência de base. 

Se, por outro lado, Dilma, ao se pronunciar sobre a questão  visava a focalizar o aumento da parcela da população que, segundo os estandartes do seu partido, foi incluída na classe acima pelos 12 anos de governo, mediante os programas demagógicos de incentivo ao consumo, cujas consequências estão levando hoje boa parte dos atraídos a um estado endêmico de endividamento, aperto de crédito e queda na produção industrial, com aumento de estoques e ameaça de desemprego, então é provável que o tiro saia pela culatra. 

Pode ser também que, ao declarar seu repentino amor pela odiada classe, tenha como propósito empobrecer as camadas superiores, rebaixando-as a um patamar inferior, com o consequente desestímulo a novos investimentos, fazendo o país deslizar para situações de ansiedade da economia semelhantes às atualmente vividas pelo bolivarianos Venezuela e Argentina. 

Vê-se assim que ficou faltando na entrevista um importante elemento de qualificação a respeito das verdadeiras intenções da candidata, fato característico da atuação do PT, ao longo de seus doze cansativos anos de poder.


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

2 comentários:

Paulo Gotaç disse...

A respeito do vídeo: Uma lamentável exibição de bobagem pretensiosa.

Anônimo disse...

Essa estúpida deveria odiar Lula e Fidel Castro, pois ambos são abominações e possuem riqueza o suficiente para sustentar, por 200 anos, uma massa de vagabundos, ignorantes e desocupados, que acreditam e sonham em viver sem trabalhar, manipulando estas massas em virtude de suas ideologias.