domingo, 21 de setembro de 2014

Brasil dos meus avós


Poesia no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Filgueiras Lima

Brasil dos meus avós, acorda!
Vem trazer-nos o ardor que ru­gia e cantava,
No peito de teus filhos de outras eras,
De Caxias, Osório, Sampaio e Tiradentes.
Dos heróis de Itororó e Tuiuti,
Que rolaram no pó, rubros de sangue,
Com o coração e o pensamento em ti!

Brasil dos meus avós,
Ressurge, dentro de nós, nesta hora extrema!
Inspira-nos um cântico marcial e romântico,
Que seja como a nova Marse­lhesa,
Da Pátria de Peri e de Iracema.
Faze que cada brasileiro, neste instante,
Lembre o velho cocar, o vetusto diadema,
A tremular, medievalescamen­te,
Na fronte heril dos teus guerrei­ros selvagens,
Guerreiros mais humanos e sensíveis do que os homens maus do Velho Mundo,
Que, irrompendo do céu ou do fundo do mar,
Matam mulheres, velhos, para­líticos,
Tão só pelo desejo infame de matar...

Brasil dos meus avós
Dá-nos aquela mesma galhar­dia
Dos teus veros heróis das matas virgens,
Que marcavam a hora dos re­contros bélicos
À plena luz do dia
E cumpriam a palavra dada
Como coisa sagrada
Sem dissimulação nem covar­dia...

Brasil dos meus avós
Eu bem o sinto! Estás dentro de nós, Brasil de meus avós!
Sincero, puro, másculo, viril
Tu que és o Brasil de hoje e de sempre,
O imortal Brasil!


Filgueiras Lima é Poeta.

Nenhum comentário: