sábado, 20 de setembro de 2014

Dilma jura que é “tolerância zero com a corrupção” e defende imprensa só divulgando e não investigando


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Ainda preocupada com o risco de perder a reeleição, Dilma Rousseff começou a demonstrar ontem qual será sua faceta bolivariana se um próximo mandato lhe for concedido pelo eleitorado idiota ou pela fraude eletrônica. Acuada pela delação premiada de seu companheiro de Petrobras Paulo Roberto Costa, Dilma resolveu alvejar a mídia com sua tese autoritária. Segundo a Presidenta-candidata, o papel da imprensa não é investigar, mas apenas divulgar informações (de preferência que não sejam contrárias ao governo – burrice que ela certamente pensou, mas não ousou falar).

As emissoras de televisão, como de costume, não deram destaque à barbaridade dita por Dilma, em entrevista coletiva que a candidata ou presidenta convocou no Palácio da Alvorada. Dilma ficou PT da vida com o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, por ter lhe negado acesso ao depoimento de Paulo Roberto Costa. Indignada, advertiu que pedirá, novamente, acesso aos documentos, agora apelando ao ministro Teori Zavascki, relator no Supremo Tribunal Federal do processo da Operação Lava Jato, que tira o sono de 13 em cada 10 petistas:

“Pedirei ao ministro Teori a mesma coisa: quero ser informada se no governo tem alguém envolvido. Não tenho porque dizer que tem alguém envolvido, porque não reconheço na revista Veja e nem em nenhum órgão de imprensa o status que tem a PF, o MP e o Supremo. Não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações. Agora, ninguém diz que a informação é correta. Não prejulgo, mas também não faço outra coisa: não comprometo prova. Porque o câncer que tem nos processos de corrupção é que a gente investiga, investiga, investiga e ainda continua impune”.


 Dilma perdeu a paciência: “Não é possível que a revista Veja saiba de uma coisa, e o governo não saiba quem é que está envolvido. Pedi primeiro para a PF, que me disse: não posso entregar, a investigação está em curso e peça ao MP. E o MP me disse a mesma coisa: se ele me disser, ele contamina a prova. Quando sai uma denúncia na Veja ou em qualquer outro jornal, eu não tomo medida, porque sou presidente da República, baseada no disse me disse. Tomo medida baseada inclusive naquilo que sou a favor, que é da investigação absoluta.

Dilma demonstrou profunda irritação, em seu costumeiro tom autoritário: “Vamos deixar uma coisa clara aqui: Quem é que descobre as práticas de corrupção no Brasil? A PF. Porque a PF tem hoje uma autonomia integral para investigar quem quer que seja. Sempre que vazam informações que estão em investigação, sabe o que acontece? Compromete-se a prova. O MP denuncia e não pode ser condenado, porque a prova foi comprometida. Não é possível que alguém queira que a fonte de investigação no Brasil não sejam os órgãos oficiais. E são PF, MP e Judiciário”.

Ainda à beira de um faniquito, Dilma indagou a respondeu para si mesma, dirigindo-se, agressivamente, aos repórteres que a entrevistavam: “O que queria saber? Queria saber sim, para eu tomar providências. O que eles me dizem? Se entregar a prova para você, estarei comprometendo a investigação. Acho que nessa investigação, ela está sendo diferente. A própria revista Veja diz que o inquérito, os depoimentos, a delação estão criptografados e guardados num cofre. Isso significa que nenhuma das falas é garantida. Ninguém sabe o que é”.

Além de atacar o direito de a livre imprensa investigar (ou divulgar o que foi investigado oficialmente), Dilma lançou uma nova tese sobre a razão da impunidade no Brasil: “O pai no sentido de protetor, o compadre do crime de corrupção, do crime de lavagem de dinheiro, do crime financeiro é um só: a impunidade. Pode saber que criar condições para (combater?) impunidade, é uma coisa que o país tem de avançar. Antes, tinha o engavetador-geral da república. Hoje, tem um procurador-geral da República que investiga e tem autonomia”.


Dilma perdeu a linha, novamente, na rampa interna do Palácio da Alvorada, quando um repórter lhe indagou sobre os R$ 1,5 milhão que Paulo Roberto Costa teria recebido de propina para facilitar o processo de compra da refinaria Pasadena, no Texas, negócio do qual Dilma tenta tirar o dela da reta, embora fosse presidente do conselho de administração da Petrobras que aprovou o negócio que gerou um prejuízo de US$ 792 milhões (conforme dados do Tribunal de Contas da União). Dilma vociferou:

“Se você me disser para quem ele disse, quem disse e como é que disse, eu respondo. Recebo informações de juiz, de procurador e de delegado da PF. Sou a favor de investigar, nada colocar para debaixo do tapete. Acho que o maior mal atual é a impunidade. Se investiga, descobre o mal feito e não condena, cria a sensação de que não teve pena nenhuma. Sabe por que protege com a impunidade? Porque você não prende, não pune e só tem um jeito: tem que punir. Por isso é que se diz: tolerância zero”.

Governo do PT com tolerância zero com a corrupção tem tudo para se transformar na piada do século...

Lições de Mestres

Dilma deveria aprender um pouco mais sobre o verdadeiro papel do Jornalismo.

Então, sugerimos à Presidenta que tome como referência os ensinamentos do veterano professor-doutor e jornalista Nilson Lage, em postagem no Facebook de 23 de setembro de 2014:  

“Vocês querem saber o que é jornalismo? É isso aí. Coisa decente, séria, que não se conforma em ecoar o senso comum, mas parte daquilo que as pessoas acreditam por ouvir dizer para buscar a verdade nos fatos. Bom jornalista não é o que crê, é o que desconfia. Esses sujeitos que dão palpites de rebanho na mídia impressa, no rádio e na TV pertencem a três categorias: os fanáticos (que são poucos), os idiotas e os picaretas”.

Vale também a lição de Carlos Alberto Di Franco, em O Globo de 1º de setembro:

“A fortaleza do jornal não é só dar notícia, é se adiantar e investir em análise, interpretação e se valer de sua credibilidade”.

Abandono de incapaz


Vai processar a Dilma?

Será que Geraldo Brindeiro, Procurador-geral da República no governo FHC, gostou de ser chamado de “engavetador-geral da república” por Dilma Rousseff?

De 626 inquéritos criminais que recebeu, Brindeiro engavetou 242, arquivou outros 217 e só aceitou 60 denúncias.

As acusações recaíam sobre 194 deputados, 33 senadores, 11 ministros e quatro contra o próprio presidente Fernando Henrique Cardoso...

Duro é que o pobre do Brindeiro, agora aposentado, nem poderá brindar a Dilma com algum processo por chamá-lo de “engavetador-geral”...

Sem comentários

Dilma também não quis falar da nova pesquisa que a colocou em vantagem na sucessão de si mesma.

Mas aproveitou para dar uma estocadinha no mercado financeiro, criticando, com grossa ironia, o sobe e desce na Bolsa de Valores:

”Acho ótima a reação da Bolsa. Quando a Bolsa cai, eu falo: será que eu subi? Tá ficando ridículo isso. Especulação tem limite! E acho que tem gente ganhando com isso. Eu não sou, eu perco, tá? Acho desagradável o fato de acharem que uma coisa está vinculada à outra. Quando sobe, ou quando desce. Não comentei e não comento pesquisa nem quando sobe e nem quando desce. Nunca comentei na vida”.

Rolo na Invepar

Os petistas que dominam os fundos Previ, Petros e Funcef fazem pressão para derrubar Gustavo Rocha da presidência da Invepar – empresa de concessões que mantêm em sociedade com a empreiteira baiana OAS, de Cesar Mata Pires, famoso genro do falecido ACM, acusado de ditar as regras na empresa.

Os detratores reclamam que a dívida líquida da Invepar saltou 121% em 12 meses, subindo de R$ 2,4 bilhões para R$ 5,5 bilhões.

Concessionária do Aeroporto de Guarulhos (SP), a Invepar tomou fumo nas licitações para a BR-163 e o Aeroporto do Galeão – o que capitalizaria a empresa.

Líderes gráficos

Foi instituído ontem o Grupo de Líderes da Indústria Gráfica no Brasil.

Noventa pessoas, representantes de companhias nacionais e multinacionais das áreas de máquinas e equipamentos, tinta, papel, livros e todos os insumos, participaram do lançamento na sede da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf), em São Paulo.

A intenção do grupo é ampliar a competitividade do parque impressor nacional no âmbito de um mercado mundial estimado, no ano de 2017, em US$ 668 bilhões - sendo US$ 20 bilhões no Brasil.

Poder militar


Militares recomendam a assistida na entrevista de Ives Gandra com o General de Exército João Camilo Pires de Campos, comandante militar do Sudeste, transmitida em 22 junho de 2014, na Rede Vida, da Igreja Católica.

Marchando


Convite para manifestação dia 27, em frente ao Palácio Duque de Caxias.

Selfie do Produtor Rural


Desabafo de um agricultor que não encontra empregados para trabalho na lavoura, graças às bolsas vagabundagem que elegem o PT

Poder Judiciário na atualidade


O programa Direito e Justiça em Foco, na Rede Gospel, recebe no domingo, às 22 horas, o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador José Renato Nalini.

O relógio marca...

O Comitê de Ética da Fifa ordenou que 28 membros de seu comitê executivo devolvam o luxuoso relógio da marca Parmigiani que ganharam da CBF na véspera da Copa do Mundo no Brasil.

Cada reloginho - avaliado na bagatela de US$ 26,6 mil – foi dado a 65 cartolas do futebol.

A decisão não afeta os 750 participantes do Congresso da Fifa, também no Brasil, em junho, que ganharam de presente da Fifa um relógio mais baratinho: um Longines de US$ 191...

Pergunte ao IBGE...


Será que os técnicos do IBGE conseguem saber quantos fios de cabelos foram implantados na cabeleira de Renan Calheiros, cuja cabeça Paulo Roberto Costa teria colocado a prêmio na delação premiada?

Doações ao Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente conosco poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.
                           
Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 20 de Setembro de 2014.

5 comentários:

Anônimo disse...

Cinismo e sem-vergonhice não tem limites para os petralhas. E por que ela faz o diabo para blindar a CPI da PTroubras? Vai ser sem vergonha lá nos quintos dos infernos.
É o mesmo caso do tal de abraçar a PTroubras do lula. Com papos de proteger a PTroubras, querem mesmo é proteger a si mesmo dos tantos roubos, da falência da maior empresa brasileira. Bando de gente sem vergonha.

O Augusto Nunes desmascarou legal.

20/09/2014 às 4:30 \ Sanatório Geral
Neurônio aflito

“Não tenho por que dizer que tem alguém envolvido, porque não reconheço na revista VEJA e nem em nenhum órgão de imprensa o status que tem a PF, o MP e o Supremo. Não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações”.

Dilma Rousseff, fingindo ignorar que as informações divulgadas por VEJA e outros órgãos de imprensa são extraídas de investigações da Polícia Federal, denúncias do Ministério Público ou decisões do Judiciário (e algumas até deram cadeia, como descobriram tarde demais os quadrilheiros do mensalão e seus protetores no poder).

Fonte:

http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/sanatorio-geral/neuronio-aflito/


Anônimo disse...

Dilma não tem motivos para se preocupar com a subida ou queda da Bolsa. Afinal, guarda suas economias debaixo do colção e não tem interesse em ganhar dinheiro. " O que é(sic) 10.000,00 reais"?

Loumari disse...

As Atracções Inferiores

Faz pena. A gente elege entre trinta mil almas meia dúzia de indivíduos para conviver, e, afinal, chega perto deles a defender uma pureza política, uma pureza profissional, uma pureza sexual, e caem sobre nós mil argumentos dum pragmatismo dúbio, suspeito, que confrange. Longe de se receber estímulo para combater as tentações, encontra-se um escorregadoiro conivente para o abismo delas. — É o meio — repito de cada vez, a tentar iludir-me. Mas é inútil vendar o olhos. Até o meio geográfico se pode vencer, quanto mais o meio social. Na luta contra as atracções inferiores do ambiente humano é que está precisamente a beleza duma vida. O meio! Eles é que são o meio, assim perdidos, duplos, comprometidos com a podridão até à raiz.

"Miguel Torga, in "Diário (1943)"
Tema: Pensamento Sociedade Valor
Portugal 12 Ago 1907 // 17 Jan 1995 Escritor/Poeta





A cegueira que cega cerrando os olhos, não é a maior cegueira; a que cega deixando os olhos abertos, essa é a mais cega de todas.
"Autor: Padre António Vieira"
Fonte - Sermões -

Loumari disse...

Sobre os gigantes. Queiram por favor ler este texto Biblico abaixo:


A corrupção geral do género humano

E ACONTECEU que, como os homens se começaram a multiplicar sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas;

Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.

Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem;
porque ele, também é carne: porém os seus dias serão cento e vinte anos.

Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens, e delas geraram filhos:
estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama.

E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicava sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos do seu coração era só má continuamente.

Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra, e pesou-lhe em seu coração.

E disse o Senhor: Destruirei, de sobre a face da terra, o homem que criei, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus;

porque me arrependo de os haver feito.
Noé, porém, achou graças aos olhos do Senhor.

Estas são as gerações de Noé: Noé era varão justo e recto em suas gerações: Noé andava com Deus.

E gerou Noé três filhos: Sem, Cam, e Jafeth.
A terra, porém, estava corrompida diante da face de DEUS: e encheu-se a terra de violência.

E viu DEUS a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra. (GÉNESIS 6)

Sérgio Alves de Oliveira disse...

A tese que a eventual derrota do PT poderia ser alvo de pedido de nulidade da eleição por "abandono de incapaz",tem fundamento,mas por ângulo diverso. O Código Civil prevê a interdição da pessoa por incapacidade. Também os povos deveriam estar sujeitos a esta "interdição"por incapacidade de praticar democracia. O Brasil não escaparia. Incluindo o período do Regime Militar,as eleições não passam de escolha do pior.