segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O Manifesto dos Generais e a hipocrisia da governanta


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Caros amigos: A chamada "Comissão Nacional da Verdade" (CNV) perdeu a sua legitimidade no dia em que decretou, por iniciativa de seus “comissários”, que não iria cumprir a “lei” que a criara.

A Governanta - candidata, desinformada e hipócrita, a reeleição -, reagindo ao “Manifesto dos 27 Generais”, declarou, em primeiro lugar, o óbvio – “quem não quiser pedir [desculpas] que não peça”-, e, em seguida, o quanto desconhece ou desconsidera o que seja democracia e legalidade, porquanto referiu-se à CNV por intermédio da lei violada que a criou, lembrando, inclusive, a sua aprovação pelo Congresso – poder que o seu partido quis comprar e que pretende neutralizar com a criação de “sovietes”,  caso vença as eleições -, acrescentando que “leis, no estado democrático de direito, têm que ser cumpridas”!

“Santa incoerência”, diria ao Batman um espantado Robin!

Como é possível apelar à legalidade de uma comissão que se autocolocou fora da lei, tornando-se definitivamente desmoralizada e uma ameaça à verdade, já que, declaradamente e por unanimidade, posicionou-se a favor de uma investigação unilateral, facciosa e ao arrepio da lei?

A CNV transformou-se em uma farsa a serviço do nada! Não passa de mais um cabide de empregos para apaniguados de terroristas assassinos e mentirosos que não conseguem conviver com a honestidade, a verdade, a grandeza e, principalmente com a humildade para aceitar a derrota e admitir que nunca foram democratas e que nunca lutaram por liberdade!

Considerando a hipocrisia do fato e da alegação, cumpre, por oportuno, comentar, ainda, dois outros correlatos. O primeiro refere-se ao último mote da campanha da Governanta quando enfoca sua “determinação” para, em seu suposto próximo mandato, dar combate à ação dos corruPTos, acabando com a impunidade, “doa a quem doer”. O segundo, intimamente ligado ao primeiro, diz respeito ao uso dos Correios e Telégrafos para o envio de propaganda política dela própria!

Como quer a Sra Governanta que acreditemos que o governo mais corruPTo da história deste País vá, algum dia, combater seu mais rentável ganha pão?

Como quer a Sra Governanta que venhamos a dar crédito a um compromisso de campanha assumido por intermédio da utilização corrompida de recursos e meios públicos?

Será que a Sra Governanta dará provas de sua determinação legalista e anticorruPTiva ainda no tempo que lhe resta do mandato vigente?

Que moral tem a Sra Governanta para falar de desculpas ou cumprimento da lei aos Srs Generais do Exército de Caxias, pois, com certeza, não são eles nem o Exército que devem desculpas à Nação?


Paulo Chagas, General de Brigada na reserva, é Presidente do Ternuma.

4 comentários:

Paulo Figueiredo disse...

Finalmente uma reação contra o embuste e a canalhice. Já não era sem tempo.

fonseca disse...

Muito bom meu General. Gostei.

Anônimo disse...

Estamos na fase final da revolução comunista patrocinada por
Cuba e financiada com dinheiro roubado do povo brasileiro.
A fase final será sangrenta com a criação de milícias para neutralizar nossas forças armadas,ai vem a fase de caça as bruxas.

Anônimo disse...

Não vejo reação alguma. Só MAIS um manifesto, MAIS uma cartinha afrescalhada, que dessa vez nem diz que vai fazer e acontecer. As FFAAs já estão desmoralizadas. Ou os poucos com alguma vergonha na cara que estão na reserva reagem, ou o país marchará inexoravelmente para o buraco e nele ficará por longas e sombrias décadas. O tempo dos discursos já passou e só essa turma de pijama não acordou para o fato de que os canalhas que estão nos comandos nada farão para defender aqueles que lutaram no passado. Os militares são hoje os maiores traidores do Brasil. Há 40 décadas têm assistido essa farsa se instalando, sendo enxovalhados diuturnamente pela mídia e NADA fizeram para contornar a situação. Agora, vão colher os frutos, havendo reação ou não.