terça-feira, 28 de outubro de 2014

Dilma tenta roubar da oposição luta contra corrupção, na jogada para salvar políticos na Lava Jato


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Um plano sórdido já está em execução para impedir que os processos da Operação Lava Jato atinjam políticos com direito ao absurdo foro privilegiado em ações criminais. A estratégia consiste em minimizar os efeitos das “colaborações premiadas” a serem firmadas por Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef. A tática é simples: eles terão as penas diminuídas se pouparem alguns nomes mais poderosos e não fornecerem indícios materiais suficientes para condenar outros. Assim, o Supremo Tribunal Federal termina obrigado a absolver os implicados por falta de provas – como ocorreu em várias situações no caso do Mensalão.

Outra manobra fundamental para cortar o combustível da Lava Jato é protelar, o máximo possível, os desdobramentos judiciais do escândalo na mais alta Corte do Brasil. Quanto maior a previsível e programada protelação, menor fica a chance concreta de uma condenação exemplar de vários políticos poderosos. Assim, a mais indigesta pizza com sabor de corrupção começou a ser assada no infernal forno da impunidade oficial. A jogada nazicomunopetralha para não desestabilizar o novo-velho governo Dilma Rousseff consistirá em “roubar” da oposição o discurso e a prática de combate à corrupção e à impunidade.

A reeleita Dilma aproveitou suas entrevistas amestradas concedidas ontem às Redes Globo e Record para lançar sua encenação teatral de combate à corrupção e à impunidade. A evidente intenção de Dilma é se antecipar aos eventuais desgastes que seu governo sofreria com os desdobramentos pós-eleitorais dos processos da Operação Lava Jato. Politicamente, ficaria insuportável a apuração de crimes de lavagem de R$ 10 bilhões tungados direta ou indiretamente dos cofres públicos, na ligação capimunista de negociatas entre a Petrobras, empreiteiras e políticos poderosos. Agora, com Dilma assumindo a presidência do teatro, o espetáculo fica menos desgastante e perigoso para os amigos, aliados e parceiros.

Na Record, Dilma prometeu: “No que se refere ao escândalo da Petrobras, eu vou investigar. Não vai ficar pedra sobre pedra. Mas eu tenho uma indignação com o que fizeram na última semana desta campanha”. Dilma se referiu à reportagem de capa da revista Veja, na qual o doleiro Youssef teria denunciado à Justiça Federal que ela e Lula sabiam do esquema criminoso na Petrobras.

Na Globo, Dilma avisou que vai apurar tudo, e ainda defendeu a tese de que não sofrerá os efeitos negativos de uma instabilidade política: “Neste caso da Petrobras e em qualquer outro que apareça. Não vou deixar pedra sobre pedra. Vou investigar e não é aí apenas divulgando seletivamente informações. Eu vou fazer questão que a sociedade brasileira saiba de tudo. Eu não concordo que isso leva à crise. Acho que o que leva à crise no Brasil é as suposições, as ilações e as insinuações”.

Antes disso, Dilma tinha comentado no JN: “Eu não acredito em instabilidade política por se prender e condenar corruptos e corruptores. Eu acredito que o Brasil tem uma democracia forte e tem uma institucionalidade forte. Acho que a sociedade brasileira exige uma atitude que interrompa a sistemática impunidade que ocorreu nesse país ao longo da nossa história. E isso significa: doa a quem doer, se faça justiça. E fazer justiça nesse caso é punir. Se alguém errou, tem que ser punido. Esse fator não pode levar à instabilidade política. O que deve levar à instabilidade política é a manutenção na impunidade. Eu acho que o Brasil amadureceu nesses últimos doze anos. E eu, você pode ter certeza, eu não falei contra a corrupção e a impunidade só durante a eleição. Eu não só falei durante a eleição, como você pode ter certeza que eu farei o possível para colocar às claras o que aconteceu”.

Dilma ontem já deu um passo concreto nesta operação de prometida transparência. Em comunicado oficial ao nervoso mercado, a “Petrobras assinou contratos com duas empresas independentes especializadas em investigação, uma brasileira e outra americana, com o objetivo de apurar a natureza, extensão e impacto das ações que porventura tenham sido cometidas no contexto das alegações feitas pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa, bem como apurar fatos e circunstâncias correlatos que tenham impacto material sobre os negócios da companhia”.

Na prática, o plano consiste em pegar as empreiteiras como bode expiatório, obrigando-as a um acordo judicial que pague multas elevadas, supostamente ressarcindo prejuízos. Isto acontecerá como desdobramento dos julgamentos de ações que correm na 13ª Vara Federal de Curitiba, sob comando do juiz Sérgio Fernando Moro. O governo quer se aproveitar da mão pesada do “Homem de Gelo” e atingir, somente, as empresas que tenham levado e oferecido as vantagens ilícitas em contratos superfaturados.

Já o desdobramento político do escândalo, na visão do governo, deve ser contido no Supremo Tribunal Federal – que tem a função de julgar denúncias concretas de crimes ligados ao destino do dinheiro para políticos que detêm cargos públicos. O ministro Teori Zavascki, que cuida do caso, vai depender das explosivas delações a serem refeitas, confirmada ou não, por Paulo Roberto Costa, Alberto Youssef e outros menos votados. Se Costa e Yousseff minimizarem as denúncias, pegando apenas alguns políticos em desgraça para bodes expiatórios e poupando os tubarões maiores, repete-se a encenação do mensalão – cujos réus já estão tecnicamente soltos, exceto Marcos Valério (que preferiu não ganhar prêmio para delatar ninguém).      

Apesar do esforço cênico e cínico interno, só por milagre (ou por ameaças covardes e criminosas), a turma de Dilma conseguirá conter a detonação de novas denúncias contra a Petrobras. Nem com o prestígio da reeleição apertadinha Dilma tem condições de conter a ira de investidores internacionais da estatal – que apoiam investigações da Corte de Nova York e da Security Exchange Comission (a SEC, que fiscaliza o mercado de capitais nos EUA, onde a Petrobras negocia ações).

Desdobramentos internos dos quase certos processos no exterior, contra dirigentes e conselheiros atuais e passados da Petrobras – incluindo Dilma Rousseff – podem redundar em ameaça de processo de impeachment. Mas é muito baixa a probabilidade disto ocorrer. Dilma hoje tem plenas condições de conter a base aliada e coagir a “oposição” a não “jogar contra a governabilidade em um momento de grave crise” (o velho papo furado de sempre). Pedido de impeachment depende de denúncia do Procurador Geral da República e de aceitação do Congresso para abertura de processo. A chance disto ocorrer é baixíssima.

Resposta fácil


A futura equipe econômica de Dilma tem condições de resgatar a confiança do mercado?

A resposta é não – ainda mais se for confirmado que Aloísio Mercadante será o futuro ministro da Fazenda no lugar de Guido Mantega – que também acumula o cargo de presidente do Conselho de Administração da Petrobras...

Mercadante será o escolhido se o atual presidente do Bradesco, Luiz Trabuco, não aceitar o convite para o poderoso cargo.

Recado nazicomunopetralha

Se alguém duvida, com a reeleição de Dilma, que estamos no caminho da Venezuela, basta dar uma olhada na página 3 do documento oficial do Partido dos Trabalhadores, datado de 2 e 3 e maio, como resolução de seu 14º Encontro:

“O que significa, programaticamente, um segundo mandato superior ao
primeiro? O que significa “continuar mudando” o Brasil? Responder a estas
perguntas exige lembrar que, tanto no Brasil quanto no conjunto da América Latina, continua posta a tarefa de superar a herança maldita cujas fontes são a ditadura militar, o desenvolvimentismo conservador e a devastação neoliberal. Esta herança maldita se materializa, hoje, em três dimensões principais: o domínio imperial norte-americano; a ditadura do capital financeiro e monopolista sobre a economia; e a lógica do Estado mínimo. Superar estas três dimensões da herança maldita é uma tarefa  simultaneamente nacional e regional, motivo pelo qual defendemos o  aprofundamento da soberania nacional, a aceleração e radicalização da integração latino-americana e caribenha, uma política externa que confronte os interesses dos Estados Unidos e seus aliados”.


Conclamação

Doações ao Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente conosco poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.
                           
Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 



A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Outubro de 2014.

18 comentários:

Lucca Brazzi disse...

É preciso fazer justiça. Vimos algumas postagens questionando o jornalista Serrão quanto às suas previsões que não se concretizaram, e realmente houve uma série delas. Mas os rumores que circularam ontem pelo mercado com relação a um eventual convite para o presidente do Bradesco assumir o Ministério da Fazenda, estão de acordo com a tese explicitada ontem mesmo por ele, Serrão, aqui no Alerta Total: a de que a OFT se "adapta às circunstâncias e sai ganhando no fim". Desde que isso não seja apenas uma manobra para acalmar o mercado neste momento e depois ter que engolir um Mercadante da vida. Vamos ver.

Anônimo disse...

Aécio disse ontem no jornal da Band: "Não vou fazer oposição sistemática à Dilma". Ele tem consciência de que a maior parte dos votos que recebeu não são dele; é o desespero do povo. Tanto que abandonou "seus" eleitores sem a menor cerimônia. E pior, seu partido já está defendendo "uma profunda reforma política, porque o povo não se sente mais representado por deputados e senadores". É o PSDB usando o aborrecimento do povo com os políticos, para ajudar o PT a trocar o Congresso pelos conselhos populares (de Pablo Capilé, José Rainha, Boulos, Sininho, João Pedro Stédile e outros).

Loumari disse...

"Caminhante não há caminho, se faz o caminho ao caminhar."


Eu segurei muitas coisas em minhas mãos, e eu perdi tudo; mas tudo que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo.
(Martin Luther King)



Anônimo disse...

Cleonice I Ferreira disse:
Sr.Jorge Serrão, não sei se entendi o recado do TIO SAM AO BRASIL,afirmando que "a relação dos dois países como vital para as AMÉRICAS E PARA O MUNDO..."
É bom lembrar que os EUA foram por décadas apoiadores do ditador Saddam Husseim, até o dia que decidiu destruir o DITADOR. ( veja o documentário lançado no Brasil com o título: IRAQUE À VENDA). TINHA EXCELÊNTES RELAÇÕES COM O GOVERNO DA LÍBIA, ATÉ QUE DECIDIU DERRUBAR TODOS OS DITADORES NOS PAÍSES ÁRABES QUE FICOU CONHECIDO COMO "A PRIMAVERA ÁRABE".
Se os EUA, preza a DEMOCRACIA,creio eu que teremos em curtíssimo prazo na América Latina a nossa TEMPESTADE AMERICANA. Posso estar errada, nesse caso estaria os EUA se tornando comunista?
Breve saberemos.
Que Deus ilumine a todos.

César disse...

Serão,
O PT é dono do Brasil, essa é a realidade nua e crua.Somente um levante apoiado pelos militares, pode salvar o Brasil, mas parece que eles têm medo da guerrilheira.

ducamillo disse...

Na verdade estamos a caminho de uma guerra civil. Acompanhando pela rede social o site: REVOLTADOS ONLINE, noto que estão convocando o pessoal para uma passeada no dia primeiro de novembro e temo por isto. Outros estão pregando o separatismo que é exatamente o que os petralhas desejam, dividir para enfraquecer. O caminho não é por ai existem ferramentas para mudar este atual momento de ira e desconforto mas, antes é necessário usar de bom senso e aguardar a poeira baixar.
Robertho Camillo.

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Senhor Jorge Serrão: Quem é profeta, quem têm bola de cristal? Nenhum de nós penso eu seu cordial leitor, porém posso se me permite aconselha-lo a utilizar melhores julgamentos em suas afirmações pois cá vejamos, mencionou já diversas vezes mesmo que indiretamente, apoio a Joaquim Barbosa (e não adianta negar) um cabra perigoso que navega nos estúarios do PT, de Lulla, de Dillma (afirmou publicamente tal fato) por outro lado, não sei porque, deixa de analisar o fato de que o Ternuma na pessoa do Exmo. gal. Paulo Chagas procedeu nada virilmente diante da vitória de Dillma Roussef, abaixando vergonhosamente as calças mesmo diante de fartas e comprovadas denúncias de fraudes na recente eleição para presidente da república; oras, sabe-se que nas FFAA existem dois grupos majoritários, um os decentes e inimigos dos corruptos e outro os da vertente dos extintos gal. Geisel e Golbery (comuno/socialistas) na qual para mim pelo menos, está bem claro que está inserido o gal. Paulo Chagas e o Ternuma. Por outro lado, está também claro que Aécio Neves participou da trama do imenso golpe que foi a fraudada eleição, dita também a Grande Fraude, pois que nem piscou os olhos diante das fartas denúncias, assim coonestando-as. Ainda menciono dois fatos, gravíssimos, um o de um membro da ESG ter sido (talvez ainda seja de Nicolás Maduro) acessor de Hugo Chávez, e outro, o grupo do Ternuma ter ficado calado quando da perseguição ao cel. Brilhante Ustra (só recentemente passaram a defende-lo) mesmo tendo enviado diversos emails ao gal. Fonseca para "acordá-lo" da situação. E um outro fato, as FFAA brasileiras tendo ficado caladas diante da perseguição aos militares sul americanos perseguidos por motivo da atuação contra os comunistas, tipo na Argentina, Chile, Uruguay. Sr. Serrão, ou o senhor permanece calado ou se manifesta, digo eu.

Anônimo disse...

Militares salvar o Brasil!

Percebe-se que aqui tem muitos "teóricos da conspiração", parece que aqui tem muitos que acreditam em coelhinho da Pascoa, tem muitos aqui que acreditam que irão encontrar um pote de ouro no fim do arco-íris!

A Republica do Brasil falhou!

ACORDEM!

As Forças Armadas já estão sucateadas e provavelmente irão servir o PT que já deve ter aparelhado os fardados idiotas.

A única solução para acabar com o PT e os demais partidos do Brasil é uma só:

SECESSÃO.

Paulistas, busquem a sua independência;

Cariocas, busquem a sua independência;

Mineiros, busquem a sua independência;

Gaúchos, catarinenses, curitibanos, capixabas, mato-grossenses, mato-grossenses-do-sul,...busquem a sua independência

Ou então, se muitos aqui acharem radical, acabe-se então com o governo federal.

Não precisamos mais do cargo de presidente da Republica; não
precisamos mais do cargo de governadores de estado. No máximo só teremos cargos para PREFEITO DE MUNICÍPIOS com um único mandato de 5 anos, sem direito a reeleição.

Vamos diminuir, e muito, o número de políticos para o bem do que ainda sobrou do Brasil.

Se muitos acham que o cargo de presidente da Republica é importante para representar o Brasil no exterior, eu digo para esse idiota:

Seu bosta, políticos não representam o Brasil em lugar nenhum, eles só representam a si mesmos.

Acabem com os cargos que escrevi mais acima e verão como cada estado do Brasil terão que caminhar com as próprias pernas.

Anônimo disse...

Países grandes como o Brasil: condenados ao fracasso

Dos 10 países mais populosos do mundo, apenas os EUA estão entre os 10 maiores PIB per capita.

Entre os 10 maiores países do mundo, somente Austrália e Canadá, além dos EUA, estão entre os 10 melhores IDH.

Austrália e Canadá, entretanto, têm populações muito pequenas em relação ao próprio território.

Países pequenos, com um número pouco expressivo de habitantes, são maioria quando falamos em rankings de qualidade de vida e riqueza: Noruega, Cingapura, Nova Zelândia, etc.

O único país do mundo que é, ao mesmo tempo, muito grande, muito populoso, muito rico e cuja população tem alto padrão de vida é os EUA. O mais próximo que temos disso é a Alemanha, que embora tenha um território relativamente pequeno, tem mais de 80 milhões de habitantes. Japão? Muito rico, muito populoso, mas muito pequeno também.

O outro lado da moeda são países imensos, centenas de milhões de habitantes - e tirania, miséria, caos.

Não faltam exemplos entre os maiores e mais populosos: China, Índia, Paquistão, e mesmo Argentina. A Rússia saindo da tirania para uma nova tirania para uma nova tirania...

Nenhum entre eles consegue ser um bom lugar para viver, ao mesmo tempo em que é muito extenso e muito populoso - exceção já feita aos EUA.

Qual o segredo do sucesso norte-americano para fugir do destino trágico dos países gigantes?

Seria o federalismo funcional? Instituições sólidas? A formação do povo?

Mas mesmo os EUA enfrentam problemas e contradições internas. Parece ser impossível manter a unidade num país tão grande: as disparidades regionais criam desequilíbrio insuportável a longo prazo. Pobres culpam ricos pela sua pobreza, e ao mesmo tempo exigem que a riqueza alheia arque com suas despesas. Ódio e ressentimento acumulam-se. A democracia representativa, mesmo quando dá certo, cria relações de dependência e submissão entre pessoas com culturas, credos e interesses conflitantes. Alguém sempre perde para outro ganhar.

Parece certamente mais fácil e provável criar consenso, riqueza e igualdade de oportunidades em territórios menores, onde um menor número de interesses precisa ser compatibilizado.

E o Brasil, será os EUA do futuro? Bangladesh? Índia? Ou uma reunião de pequenos Luxemburgos?

http://www.midiaamais.com.br/?c=ver_noticia&codigo_noticia=3254

Anônimo disse...

SERRÃO
Como é que o governo poderia fazer um acordo com os delatores que estão presos e não podem mentir sob pena de amargarem xs anos de cadeia? Não creio ser isto possível e nem eles estúpidos o suficiente para se prejudicar. Quanto ao Supremo, aí sim, amargaremos uma pizza, porém, eles não poderão deixar de enquadrar quem quer que seja devido a gravidade das acusações. Não será facil assar a pizza, ainda que o Supremo já seja formado por maioria bolivariana.
Esther

Loumari disse...

Os Amigos Nunca São para as Ocasiões
Os amigos nunca são para as ocasiões. São para sempre. A ideia utilitária da amizade, como entreajuda, pronto-socorro mútuo, troca de favores, depósito de confiança, sociedade de desabafos, mete nojo. A amizade é puro prazer. Não se pode contaminar com favores e ajudas, leia-se dívidas. Pede-se, dá-se, recebe-se, esquece-se e não se fala mais nisso.

A decadência da amizade entre nós deve-se à instrumentalização que tem vindo a sofrer. Transformou-se numa espécie de maçonaria, uma central de cunhas, palavrinhas, cumplicidades e compadrios. É por isso que as amizades se fazem e desfazem como se fossem laços políticos ou comerciais. Se alguém «falta» ou «não corresponde», se não cumpre as obrigações contratuais, é logo condenado como «mau» amigo e sumariamente proscrito. Está tudo doido. Só uma miséria destas obriga a dizer o óbvio: os amigos são as pessoas de que nós gostamos e com quem estamos de vez em quando. Podemos nem sequer darmo-nos muito, ou bem, com elas. Ou gostar mais delas do que elas de nós. Não interessa. A amizade é um gosto egoísta, ou inevitabilidade, o caminho de um coração em roda-livre.

Os amigos têm de ser inúteis. Isto é, bastarem só por existir e, maravilhosamente, sobrarem-nos na alma só por quem e como são. O porquê, o onde e o quando não interessam. A amizade não tem ponto de partida, nem percurso, nem objectivo. É impossível lembrarmo-nos de como é que nos tornámos amigos de alguém ou pensarmos no futuro que vamos ter.
A glória da amizade é ser apenas presente. É por isso que dura para sempre; porque não contém expectativas nem planos nem ansiedade.

"Miguel Esteves Cardoso, in 'Explicações de Português'
Tema: Amigo
Portugal n. 25 Jul 1955 Crítico/Escritor/Jornalista

Jurandir D'almeida disse...

Esta tudo ai!
O exercito também vão se calar para esse GOLPE COMUNISTA
http://portrazdamidiainternacional.blogspot.com.br/2014/10/arquivo-da-tag-urna-eletronica.html

Anônimo disse...

A TELESURTV da Venezuela elogiou a eleição de Dilma demonstrando que aos poucos a ESQUERDA vai dominando a América do Sul. E alguém duvida disso? E nossas Forças Armadas também sabem disso?

Anônimo disse...

http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=P2013N41918

Vamos assinar o abaixo-assinado contra a constituinte. Divulguem

Politica sem Medo disse...

Pois e Serrao, se Dil-ma quer punir a corrupcao na Petrobras e em outras companhias que foram lesadas pelo PT, primeiro de tudo ela deve entregar as duas maos para que a PF coloque as algemas pois ela e a principal envolvida em todos os casos que aconteceram nesses 12 anos de corrupcao e malversacao do dinheiro publico.Ela que devolva o que roubou e exija que o seu antecessor roubou, tambem. Sem isso, e so jogo de cena para a plateia.

Anônimo disse...

O presente para os eleitores da dilma:

SOLTURA DO DIRCEU. BEM FEITO OTARIOS.!!!

Jurandir D'almeida disse...

Fraude nas Eleições | Resultados da Urna Jogados no Lixo

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded...

Anônimo disse...

Serrão, eu ainda consigo rir com seus memes, apesar do resultado das eleições. Eu não aguento o do Hitler chamando Lula de coisa ruim.