sábado, 18 de outubro de 2014

Ovos, galinhas e ladrões


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Nelson Motta

Com a explosão do escândalo da Petrobras e os depoimentos dos delatores premiados, tudo indica que, como nunca na História deste país, não veremos só políticos e banqueiros, mas os mais poderosos empreiteiros do Brasil, no banco dos réus, e talvez na cadeia. E o desmoronamento de uma organização criminosa formada por um cartel de empreiteiras numa ponta e partidos políticos na outra, com montanhas de dinheiro público no meio. Uma tsunami que provocará uma inevitável reforma política e eleitoral.

A extorsão e o suborno são o ovo e a galinha da corrupção brasileira. Quem chegou primeiro: os empresários achacados por agentes públicos sob ameaças de grandes prejuízos ou os que subornaram políticos e funcionários para assaltar o Estado? Além de eventuais prisões ou multas, se essas dez empreiteiras do cartel forem excluídas de concorrências públicas, que é o minimo que se pode esperar, o país vai parar. A coisa está feia para eles, mas principalmente para nós, que vamos pagar a conta que já estávamos pagando sem saber. O governo não sabia de nada.

Parece tema de um seriado. As diretorias da Petrobras eram ocupadas por partidos políticos como as quadrilhas de mafiosos ocupam territórios, para arrecadar dinheiro e se manterem no poder. Um cartel de empreiteiras dividia obras, fraudava concorrências, inflava orçamentos e pagava comissões aos partidos e a seus operadores. O doleiro Youssef era o banco central da engrenagem, fazendo o meio de campo entre a quadrilha e o cartel, distribuindo e lavando o dinheiro das comissões sujas. É tudo claro como lama. Mas quem eram os chefões?

E pior: se fizeram isso na Petrobras, na maior empresa, a mais fiscalizada, o que não terão feito, estão fazendo, nos Correios, na Eletrobras e em estatais menores?
Como na explosão de uma bomba atômica, não se sabe ainda quantos morrerão no primeiro choque, quantos serão vítimas das radiações e quantos sofrerão terríveis mutações. A Lava-Jato será como um jato de lava vulcânica radioativa para lavar a alma de oposicionistas e governistas de bem, que querem um país mais limpo e produtivo.


Nelson Motta é Jornalista e Crítico Musical. Originalmente publicado em O Globo em 17 de outubro de 2014.

4 comentários:

Loumari disse...

Nelson Motta escreveu:
A extorsão e o suborno são o ovo e a galinha da corrupção brasileira. Quem chegou primeiro: os empresários achacados por agentes públicos sob ameaças de grandes prejuízos ou os que subornaram políticos e funcionários para assaltar o Estado?


"Pode o candidato Aécio Neves pôr a mão no fogo e dizer ao povo que dai ele não come? A tragédia do Brasil é este, que todos comem na palma da mesma mão. E não vai ser o AN que vai lhes excluir das concorrências públicas. Cortaria ele a mão que lhe sustenta?

Anônimo disse...

Parabéns Nelson Motta pela lucidez dos fatos ocorridos nesta grande Nação, que esta corja do poder está apequenando . Ainda bem que grandes brasileiros como você ainda gritam pela liberdade. Ontem mesmo em Florianópolis a sra.dilma negou que tenha nomeado o delator PAULO COSTA e ainda disse nao saber quem foi. E a graça foster, será que também desconhece.
.

Anônimo disse...

Loumari, isso as pessoas não imbecis estão cansadas de saber, agora, o que interessa no momento é combater o mal maior que está tragando o país. Você já ouviu falar em combater um incêndio com o chamado "contra fogo"? Pois é! Depois a gente vai controlar o "contra fogo". Agora é deter o incêndio maior porque senão depois não vai ter mais condições. Vê se entende.

Loumari disse...

Anônimo de 4:04 PM,
o resultado da sua estratégia é: CINZA. Disto estou CATEGORICA.