segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Vergonha e Vilania


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Luiz Sérgio Silveira Costa

A aprovação de concessão de auxílio-moradia a juízes e promotores, no valor de RS4.300, pelos Conselhos Nacionais de Justiça e  do Ministério Público é um ato vergonhoso e vil.

Uma vergonha por se tratar de classes que já percebem os maiores salários e vantagens entre todos servidores do Estado; por ser uma medida intempestiva, que despreza o orçamento público;  e, pasmem, ser extensiva a todos, mesmo que tenham imóvel próprio!

E, além disso, permite uma excrescência, que é um casal de juízes e/ou promotores, morando na mesma casa, ganharem, ambos, o inaceitável privilégio.

E uma vilania, por, egoisticamente, desprezar as dificuldades salariais e de sobrevivência da  imensa maioria dos brasileiros, enquanto que, à revelia do Congresso Nacional, essas privilegiadas e desavergonhadas classes adicionam, a seu prazer, esse penduricalho aos já copiosos vencimentos, o qual, não há dúvida, será considerado como vantagem pessoal, e julgada como fora do teto constitucional.

Isso tem um nome: locupletação!!


Luiz Sérgio Silveira Costa é Almirante, reformado.

3 comentários:

Anônimo disse...

E o que falar dos militares então? A omissão dos parlapatões de farda no comando tem um nome: prevaricação e traição.
De modo que, quem está numa categoria que tem telhado de vidro e está se comportando dessa maneira repugnante, não tem o direito de jogar pedra no telhado dos outros. Quem conhece de perto o Judiciário no Brasil sabe como as coisas só funcionam na base do lobby, da pressão ou da propina. Nada de novo sob o sol. Só que aqueles que são a "ultima ratio" da soberania de um povo não têm o direito de se omitir dessa forma.

Geraldo Rezende disse...

A FALTA DE VERGONHA E A ROUBALHEIRA, NÃO TEM TOGA QUE ESCONDA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

A ALTA DE VERGONHA E A ROUBALHEIRA, NÃO TEM TOGA QUE ESCONDA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!