quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Dilma aposta no drible fiscal, na escalação da nova equipe econômica e no adiamento do Petrolão


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A Lava Jato pode ser fatal para Dilma Rousseff, sob risco concreto de sofrer uma intervenção constitucional? A inércia das classes armadas indicaria que não. Mas o desespero das classes alarmadas sugeriria que sim. A turma do Palhaço do Planalto adoraria antecipar o fim do ano, a fim de prolongar o risco de um fim antecipado de reinado. O Petrolão pode abreviar a sobrevida da cúpula que comanda o Brasil.

O pavor aumentou ontem porque o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, avisou que pretende se manifestar sobre o formato dos inquéritos contra políticos citados na operação Lava-Jato, assim que receber da Justiça Federal no Paraná o conteúdo da delação premiada do doleiro Alberto Youssef - que se encerrou na terça-feira. O governo torce para que Janot só faça isto no ano que vem, em fevereiro. Nunca o recesso do Judiciário foi tão desejado como agora...

O ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, já indicou que levará em conta o parecer de Janot contra os acusados com direito a foro privilegiado. Para quem não tiver tal privilégio, as investigações correriam na primeira instância, a não ser que as acusações estejam diretamente relacionadas aos políticos mencionados no caso - os chamados crimes conexos. Pelo menos 70 políticos estão apertadinhos... A sorte deles é que tudo ainda tramita em segredo de Justiça...

Totalmente desmoralizada e sem condições de governabilidade, apesar da reeleição que virou sinônimo de derrota para ela mesma, e sob risco de sofrer processos do Departamento de Justiça e da Securities and Exchange Commission dos EUA, pela responsabilidade nos escândalos da Petrobras, Dilma Rousseff tenta três jogadas milagrosas para não cair pelas próprias pernas. Todas são complicadas, e não dependem só da habilidade dela.

Primeiro, anuncia hoje os dois futuros titulares da equipe econômica. Mas Joaquim Levy e Nelson Barbosa, que  ajudam a preparar um pacotinho econômico ortodoxo, já sabem que Dilma vai querer mandar no trabalho deles... Segundo, tenta acalmar a cúpula PT, insatisfeita com ela, participando, nesta sexta, de parte da reunião do diretório nacional do partido, em Fortaleza. Terceiro, delega a assessores próximos a caríssima negociação para o Congresso respaldar o criminoso drible que seu desgoverno deu nas contas públicas, com a gastança excessiva e ilegal em ano reeleitoral.

O golpe é evidente. Um parecer do senador Romero Jucá permite ao governo descumprir a meta fiscal de 2014. O projeto autoriza o abatimento de todos os gastos com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e das desonerações. Com essa manobra fiscal, o governo consegue fechar a renovada meta de R$ 10,1 bilhões para 2014. Nada custa lembrar que a meta original era de R$ 116,1 bilhões. Uma pequena diferença...

O cenário é de baixaria. Gritos e xingamentos da oposição forçaram ontem o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a transferir, para terça-feira que vem, a escrota proposta que muda a meta fiscal de 2014, salvando a Presidenta Dilma Rousseff de crime de responsabilidade por descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. A redução da meta deve ser aprovada. Do contrário, Dilma seria reprovada e processada, com altas chances de ser impedida. No entanto, nada disso deve acontecer.

Parlamentares de oposição não tem força para destronar Dilma. A base aliada só aproveita para tirar ainda mais vantagens do momento desesperador da Presidenta que é sem nunca ter sido, pois sempre teve o Presidentro Lula da Silva influindo em suas decisões e no seu ministério. Negociam até o reajuste salarial para os parlamentares. Querem ganhar R$ 33,7 mil... O Chacrinha ironizaria: "Eles merecem"...

Vergonha nacional


"Vamos flexibilizar porque é uma solução que está posta. Dessa forma, vai preponderar o interesse nacional. E o Congresso, que nunca faltou com o Brasil, não vai dar às costas ao Brasil neste momento difícil".
Foi o recado ontem do presidente do Congresso, Renan Calheiros.
Nessa balada, ele ganha o Troféu Cara de Pau, com direito a um tratamento de beleza para que a tensão no o faça perder os cabelos que implantou...
Pressão do Petrolão
O deputado federal e futuro senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) apresentou um requerimento para que a presidente Dilma e o ex-presidente Lula compareçam à Comissão do Congresso para falar sobre as supostas irregularidades envolvendo a Petrobras.
Também pediu relatórios da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que “devem ser consistentes sobre todos esses indícios de superfaturamento das obras contratadas pela Petrobras como também das propinas pagas”.
A sorte do governo é que esses requerimentos ainda não foram votados pela CPI.
"Depous" da porta arrombada...

O Conselho de Administração da Petrobras oficializou ontem a instituição do cargo de Diretor de Governança, Risco e Conformidade.
Segundo a empresa, terá a missão de assegurar a conformidade processual e mitigar riscos nas atividades da Companhia, dentre eles, os de fraude e corrupção, garantindo a aderência a leis, normas, padrões e regulamentos, incluindo as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Securities and Exchange Commission (SEC).

A criação deste novo cargo de diretor não acarreta aumento do número de diretores da Petrobras, visto que substitui a posição de diretor da Área Internacional.
Seleção

O Conselho de Administração da Petrobras elegerá o novo Diretor, com base em lista tríplice de profissionais brasileiros pré-selecionados por meio de processo a ser conduzido por empresa especializada em seleção de executivos, que buscará profissionais de mercado com notório reconhecimento de competência na área.

O mandato do Diretor de Governança, Risco e Conformidade será de três anos, podendo ser renovado, e sua destituição somente poderá ocorrer por deliberação do Conselho de Administração, com quórum que conte com o voto de pelo menos um dos Conselheiros de Administração eleitos pelos acionistas minoritários ou preferencialistas.

Nos próximos sessenta dias, a Petrobras concluirá o detalhamento da estrutura e modelo de atuação da nova diretoria, assim como o vínculo das atividades desenvolvidas na Área de Negócios Internacional.

Eles merecem?


Boa vida de preso solto


Doce vida na cadeia?


Prevenir custa quanto?


Doações ao Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente conosco poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.
                           
Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Novembro de 2014.

3 comentários:

Loumari disse...

É o Que a Gente Leva Desta Vida...

A persistência instintiva da vida através da aparência da inteligência é para mim uma das contemplações mais íntimas e mais constantes. O disfarce irreal da consciência serve somente para me destacar aquela inconsciência que não disfarça.
Da nascença à morte, o homem vive servo da mesma exterioridade de si mesmo que têm os animais. Toda a vida não vive, mas vegeta em maior grau e com mais complexidade. Guia-se por normas que não sabe que existem, nem que por elas se guia, e as suas ideias, os seus sentimentos, os seus actos, são todos inconscientes - não porque neles falte a consciência, mas porque neles não há duas consciências.
Vislumbres de ter a ilusão - tanto, e não mais, tem o maior dos homens.
Sigo, num pensamento de divagação, a história vulgar das vidas vulgares. Vejo como em tudo são servos do temperamento subconsciente, das circunstâncias externas alheias, dos impulsos de convívio e desconvívio que nele, por ele e com ele se chocam como pouca coisa.
Quantas vezes os tenho ouvido dizer a mesma frase que simboliza todo o absurdo, todo o nada, toda a insciência falada das suas vidas. É aquela frase que usam de qualquer prazer material: «é o que a gente leva desta vida»... Leva onde? leva para onde? leva para quê? Seria triste despertá-los da sombra com uma pergunta como esta... Fala assim um materialista, porque todo o homem que fala assim é, ainda que subconscientemente, materialista. O que é que ele pensa levar da vida, e de que maneira? Para onde leva as costoletas de porco e o vinho tinto e a rapariga casual? Para que céu em que não crê?

Loumari disse...

Para que terra para onde não leva senão a podridão que toda a sua vida foi de latente? Não conheço frase mais trágica nem mais plenamente reveladora da humanidade humana. Assim diriam as plantas se soubessem conhecer que gozam do sol. Assim diriam dos seus prazeres sonâmbulos os bichos inferiores ao homem na expressão de si mesmos. E, quem sabe, eu que falo, se, ao escrever estas palavras numa vaga impressão de que poderão durar, não acho também que a memória de as ter escrito é o que eu «levo desta vida». E, como o inútil cadáver do vulgar à terra comum, baixa ao esquecimento comum o cadáver igualmente inútil da minha prosa feita a atender. As costoletas de porco, o vinho, a rapariga do outro? Para que troço eu deles?
Irmãos na comum insciência, modos diferentes do mesmo sangue, formas diversas da mesma herança - qual de nós poderá renegar o outro? Renega-se a mulher mas não a mãe, não o pai, não o irmão.

"Fernando Pessoa, in 'O Livro do Desassossego'
Tema: Vida

Geraldo Rezende disse...

SE ESTES CAPACHOS DEREM GUARIDA, O TIO SAM PEGA !!!!!!!!!!!!!!!!