quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Marcação de Mandatos


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

Conforme recentemente divulgado pela imprensa, o brasileiro habitante das grandes  metrópoles passa cerca de 20 dias por ano a bordo de transportes públicos para se locomover da residência ao trabalho. 

Trata-se, portanto, de um enorme prejuízo caracterizado por horas não trabalhadas, além de representar um desgaste psicológico que vai desembocar inevitavelmente no seu humor e estado de espírito, convergindo muitas vezes para uma deterioração da saúde. 

Verifica-se, entretanto, que são consideráveis os investimentos no setor, com recursos provenientes dos três níveis do governo. 

Por outro lado, o que se constata de um modo geral, é que as condições de mobilidade não exibem um correspondente salto de qualidade em relação à situação anterior às obras, muitas vezes espetaculares e quase sempre perturbadoras. 

Deixando de lado os indefectíveis atos de corrupção que acompanham muitos empreendimentos públicos no Brasil, constata-se que uma das razões para tal defasagem, talvez a principal, é que os dirigentes, dentro do pragmatismo e do baixo nível que caracteriza a política no Brasil, fingem ignorar o fato de que existem programas, qualidade de transporte público e educação, por exemplo, que devem ser considerados como de estado e, portanto, permanentes, que não poderiam servir somente para marcar mandatos . 

O resultado dessa falta de espírito público se reflete então em obras apressadas e que não constituem soluções duradouras mas muitas vezes pirotécnicas, com o objetivo de catapultar o governante ao próximo estágio eletivo. 

E, com isso, as soluções que verdadeiramente atenderiam as populações em seus anseios básicos não são implementadas ou o são com enorme atraso. 


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

Nenhum comentário: