sábado, 22 de novembro de 2014

O Desastroso e o intragável


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

"A política não é a arte do possível. Consiste em escolher entre o desastroso e o intragável", frase do mestre John Kenneth Galbraith que, aplicada aos recentes acontecimentos no país, significa que a escolha por aqui,  entre o desastroso e o intragável atingiu requintes escatológicos, configurados, só para citar alguns tópicos, por campanhas eleitorais agressivas e mentirosas, durante as quais ocultou-se a divulgação de dados comprometedores em poder da situação, para não prejudicar o resultado favorável; 

por suspeitas não esclarecidas de irregularidades nas apurações de votos; 
pela erupção de escândalos de corrupção em estatais, em concerto com empreiteiras gigantes, e que desembocam em partidos políticos e seus tesoureiros, visando ao financiamento de campanhas, envolvendo inimagináveis montantes e

por tentativas destinadas a transformar deficits em superavits, mudando, mediante mera canetada, o conteúdo da lei de controle das finanças públicas, completamente esfaceladas pela atuação irresponsável do governo há doze anos no poder, que agora responsabiliza o parlamento de ingovernabilidade, caso a exigências não sejam aprovadas, em demonstração explícita de chantagem política. 

Enfim, o Brasil constitui um exemplo dos mais ilustradores da validade da frase irônica cunhada pelo famoso economista. 

Será que um dia poderemos contradizê-lo, pelo menos parcialmente, como deve ocorrer em democracias mais avançadas, e constatar também por aqui a prática de alguns atos políticos que sejam representativos somente do possível? 

Difícil, num horizonte visível. 


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

4 comentários:

Loumari disse...

O Desespero

Deus, dá-me força para delinear, para perceber a síntese total da psicologia e da história psicológica da nação portuguesa! Todos os dias os jornais me trazem notícias de factos que são humilhantes, para nós, Portugueses. Ninguém pode conceber como eu sofro com eles. Ninguém pode imaginar o profundo desespero, a enorme dor que perante isto se apodera de mim. Oh, como eu sonho com aquele Marquês de Távora que poderia vir redimir a nação — um salvador, um verdadeiro homem, grande e dominador que nos endireitaria. Mas nenhum sofrimento pode igualar aquele que me leva a perceber que isto não é mais do que um sonho.

Eu nunca sou feliz, nem nos meus momentos egoístas nem nos meus momentos não egoístas. A minha consolação é ler Antero de Quental. Finalmente, em mim, o espírito de Lutero. Oh, como eu compreendo o profundo sofrimento que era o seu.
Devo escrever o meu livro. Tremo de pensar qual possa ser a verdade. Ainda que seja má tenho que escrevê-lo. Queira Deus que a verdade não seja má!
Gostaria de ter escrito isto num melhor estilo, mas a minha capacidade para escrever desapareceu.

"Fernando Pessoa, in 'Manuscrito (5/9/1908)'

Anônimo disse...

Por favor, alerte o autor da ilustração acima: O VERBO É HESITAR (do latim haesitare )- estar ou ficar indeciso. Da mesma forma hesitação, hesitante. Pô, cara, fica parecendo que é o chargista é aluno do Apedeuta! Pega mal!

Italiano disse...

Realmente muito difícil contradizê-lo.

Anônimo disse...

É extremamente importante que 'a partir de ontem' todo brasileiro com um mínimo de patriotismo inicie o que eu vou chamar de 'desobediência civil light'. Antes que o movimento engrosse e fortaleça como consequência desse governo ilegítimo, é importante que todos os cidadãos empregados ou empresários, em um pré-movimento do dia-a-dia, reduzam ao mínimo as atividades que geram impostos em qualquer esfera. Sabendo que esses impostos serão desviados e, se não forem, apenas servirão para fortalecer os corruptos que usam o cargo público contra o povo, é nosso dever:
- comprar ou vender o mínimo, para não gerar imposto sobre o consumo,
- adiar todas as viagens, turismo, hospedagens
- demitir funcionários para diminuir impostos trabalhistas. Demitir de preferência os petistas e aqueles amedrontados de agir contra o PT ou que já atuaram nos partidos da base e do PT.
- adiar abertura de empresas.
- utilizar o mínimo de combustível, rodopiar no pedágio.
- adiar a troca de automóveis por um mais novo. Reutilizar todos os seus pertences - roupas, sapatos, jóias. Reaproveite tudo que você tem.
- não assinar tv, não comprar celular extra ou chip. Assinar apenas as revistas anti pt.
- desligar a tv ou o rádio imediatamente quando detectar chapa branca. Nunca mais voltar para aquele canal para não gerar audiência. Não discutir a programação daquele canal porque mesmo a discussão negativa acaba gerando audiência (a pessoa vai assistir para ver se é ruim mesmo).
- comprar comida diretamente de fornecedores locais que plantaram o alimento que estão vendendo. Não joque comida fora, você vai ter que comprar outra comida - isso vai gerar imposto.
- eletricidade sempre dá pra diminuir o uso.
- Não dê seu fogão, geladeira velhos para quem vota no PT. O PT vai cobrar impostos extorsivos quando você for comprar artefatos novos.
Nós estamos em guerra contra aqueles que nos roubaram. Faça um esforço agora em nome dos seus descendentes. A vitória será doce.