sexta-feira, 15 de maio de 2015

Povo Iludido


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão

Somos um povo iludido, uma Nação imatura e irresponsável, na qual o governo com suas loterias engana com a esperança de ganho, e saímos de um ciclo de esperança para o puro desespero.

Tranquilamente temos um paternalismo arraigado pela falta de competência do Estado e dependência do cidadão. Não conseguimos construir pontes de crescimento e alianças de desenvolvimento. Em todo e qualquer negócio se abre uma fresta de mazelas e falcatruas, donde se privilegia a falta de seriedade no trato da coisa pública.

Somos movidos à corrupção, muito provavelmente. Não haveria sentido o País parar em razão da lava jato, mas ao contrário crescer e mostrar que possuímos logistica e infra estrutura para respondermos à altura das crises que nos afetam e abalam.

Uma grande Nação, cujo futuro nunca chega e seu povo é sempre dominado pela governança incapaz de mostrar o rumo e reduzir os desajustes e desigualdades sociais. Quisemos dar um exemplo de repartição de renda com bolsas sociais e mecanismos de inclusão, porém as garantias que existiam estão sendo perdidas, a aposentadoria, pensão, tudo fica mais difícil quando o governo é perdulário e seus agentes se envolvem em corrupção, dilapidando o dinheiro público.

Mas não é só. Diariamente recebemos dezenas de spam com vírus para forçar alguma pegadinha, praticamos nosso futebol simplesmente ridículo e as redes de televisão somente anunciam partidas e mais jogos. Basta fazer uma comparação com a liga dos campeões, quatro clubes da Espanha, Alemanha e Itália para recuarmos e observarmos o nosso atraso. E nos canais mais e mais redes arrendadas para o proselitismo religioso.

Nossos representantes no parlamento não tem a mínima noção do que seja uma grande Nação e isso ficou muito claro na sabatina do indicado Ministro Facchin pela pequeneza de alguns e falta de um debate sério e rigoroso em termos nacionais.

Consistentemente a distancia entre as regiões do País é acentuada e não temos nada para nos ufanar do que acontece,preços caros e inflacionados diante de um cenário desolador que implica numa crise generalizada, a qual não alcança apenas a construção civil, o setor automobilístico mas a cadeia produtiva como um todo.

O equivoco aconteceu porque ao concebermos um modelo de financiamento e não investirmos na produção provocamos uma débacle que perdurará por muitos anos. Os mais pessimistas dizem uma década. A nossa situação do mercado financeiro não é melhor: fraudes e apurações inóspitas sem colocar o dedo na feriada ou submeter os culpados ao regime prisional adequado.

Ao contrário da jovem e decadente Nação brasileira, na Europa e nos EUA os cenários são distintos justamente em razão do funcionamento das instituições e da ruptura com o viés da corrupção e favorecimentos pessoais. Usados os bancos públicos para despesas incontáveis, ajudas, auxílios e empréstimos, agora a situação é de penúria e um quadro que prejudica ao financiamento imobiliário. Mais grave ainda as empresas não se financiam e o mercado de ações reflete a falta de confiança e pouca credibilidade aos olhos do investidor estrangeiro.

Vivemos pequenos ciclos de euforia e grandes jornadas de desolação. Eis o retrato mais fiel da Nação, cujo povo, apesar do escrito na Constituição que todo poder dele emana, continua sendo sorvido, tragado, ludibriado, enganado e vergonhosamente dilapidado pelas forças não ocultas do governo e setores improdutivos ao Brasil do amanhã, do futuro que nunca chega, dos sonhos e projetos de vida sepultados pela ausência de uma sociedade efetiva que saiba o que realmente quer e deseja para o seu bem estar coletivo.


Carlos Henrique Abrão, Doutor em Direito pela USP com especialização em Paris, é Desembargador no Tribunal de Justiça de São Paulo.

7 comentários:

Loumari disse...


O GATO DO ALENTEJANO (esta é 5*) !!.......

Um alentejano queria livrar-se de um gato. Levou-o até a uma esquina distante e voltou para a casa.
Quando chegou a casa, o gato já lá estava.
Levou-o novamente, agora para mais longe. No regresso, encontrou o gato calmamente em casa.
Fez isso mais umas três vezes, cada vez até mais longe, e o gato
voltava sempre para casa.
Furioso, pensou :
- "Vou lixar este gato !"
Pôs-lhe uma venda nos olhos, amarrou-o, meteu-o num saco opaco e colocou-o na mala do carro.
Subiu à serra mais distante, entrou e saiu de diversas estradinhas.
Deu mil voltas... e acabou por soltar o gato no meio do mato.
Passadas umas horas, o alentejano liga para casa pelo telemóvel.

- Tá, Maria, a porra do gato já chegou a casa ?
- Já...
- Ainda bem, deixa-me falar com esse cabrão porque eu estou perdido
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!...






























Anônimo disse...

Essa do gato é muito boa mas o piior é dos ratos que enlameiam

capital federal e despejam

poluição diária o melhor de tudo que o artigo escrito é uma
fiel imagem da republica brasileira claudicante e sem progresso

Anônimo disse...

o articulista está de parabens para que nos deixa a sensação de que o Brasil é a terra da
maracutaia e dos picaretas
sem gato e nem cachorro o
que mais multa é o rato
que também volta todos os
dias para as casas do povo
e de la sorve o dinheiro publico

Anônimo disse...

É isto ai Lula é o tal gato e ele vai volta VIVA O LULA VIVA DILMA E VIVA O PT AH E VIVA A PUTA QUE O PARIU SEU FDP...KKKKKKKKKK FALEI PRIMEIRO...

Anônimo disse...

Prezado Coronel Walcyr Monteiro da Motta,
Agradeço por transmitir nesta carta ao Comandante das Forças Armadas todas as nossas angustias quanto ao desenrolar dos acontecimentos afrontosos protagonizados pelo pt a toda a Nação Brasileira e também às nossas valorosas Forças Armadas, que tem como objetivo implantar o comunismo em nosso país, nos moldes em que efetuaram na Venezuela.
Vejam este vídeo, é importantíssimo:
https://www.youtube.com/watch?v=rf94GERmTYQ
BEM VINDOS A VENEZUELA - O relato vivo de um sobrevivente que tem um paralelo HORRIPILANTE com o que o pt está fazendo no Brasil ..
Todo Brasileiro tem obrigação de ver esta verdade e divulgar , ENQUANTO HÁ TEMPO PARA REAGIR!

Anônimo disse...

Povo iludido!

Iludido mesmo, Senhor Desembargador Carlos Henrique Abrão

Somos um povo iludido, uma Nação imatura e irresponsável...

Bota irresponsável nisso! Onde já se viu uma nação madura e responsável premiar um juiz de direito, um desembargador ou ministro de tribunal por ter cometido crimes contra a sociedade quando ocupava o cargo público vitalício?????????


Tranquilamente...Não conseguimos construir pontes de crescimento e alianças de desenvolvimento. Em todo e qualquer negócio se abre uma fresta de mazelas e falcatruas, donde se privilegia a falta de seriedade no trato da coisa pública.

Verdade Doutor, inclusive no quilate do seu Poder Judiciário, onde bandidos de toga, obrigam o povo a custear um maravilhosa aposentadoria compulsória, por terem praticado crime contra os interesses do seu próprio povo, que bonito, né???

Somos movidos à corrupção, muito provavelmente.

Somos fudidos pela corrupção, veja a decisão do juiz Wagner Carvalho Lima, da 2ª Vara Criminal de Franca dessa justiça paulista, que liberou um quadrilha de "empresários" do ramo de agrotóxicos com a criminosa justificativa de que o crime cometido por pessoas endinheiradas compensa.

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/juiz-de-franca-cita-lava-jato-ao-libertar-quadrilha-63wrz93ee47nwb4joy7cdxota

Uma grande Nação, cujo futuro nunca chega e seu povo é sempre dominado pela governança incapaz de mostrar o rumo e reduzir os desajustes e desigualdades sociais.

E não é isso que o seu Poder Judiciário faz com o povo, tratando como escravos, dando ganho de causa a bancos, danos morais risíveis para favorecer grandes empresas etc.

Tudo fica mais difícil quando o governo é perdulário e seus agentes se envolvem em corrupção, dilapidando o dinheiro público.

Tudo fica mais difícil quando o Poder Judiciário e o Ministério Público chancelam o crime, o nepotismo, auxílio-moradia, auxílio-creche, auxílio-estudo, é tanto auxílio para magistrados que nem tempo de desengavetar processos eles tem.

Anônimo disse...

Nossos representantes no parlamento não tem a mínima noção do que seja uma grande Nação e isso ficou muito claro na sabatina do indicado Ministro Facchin pela pequeneza de alguns e falta de um debate sério e rigoroso em termos nacionais.

Nossos juízes de direito também não tem a mínima noção do que seja uma Justiça séria e alinhada aos interesses do povo, praticam toda forma de ilegalidade e não perdem o cargo, graças a uma imoral aposentadoria compulsória: nepotismo cruzado, venda de sentenças, embriaguez ao volante, ameaçam prender arbitrariamente funcionários de empresas aéreas etc.

Ao contrário da jovem e decadente Nação brasileira, na Europa e nos EUA os cenários são distintos justamente em razão do funcionamento das instituições e da ruptura com o viés da corrupção e favorecimentos pessoais.

Ao contrário da Justiça americana que pune juízes bandidos, a brasileira os premia com aposentadorias compulsórias, bancadas pelo dinheiro do povo. Quanta pouca vergonha!

Eis o retrato mais fiel da Nação, cujo povo, apesar do escrito na Constituição que todo poder dele emana, continua sendo sorvido, tragado, ludibriado, enganado e vergonhosamente dilapidado pelas forças não ocultas do governo e setores improdutivos ao Brasil do amanhã, do futuro que nunca chega, dos sonhos e projetos de vida sepultados pela ausência de uma sociedade efetiva que saiba o que realmente quer e deseja para o seu bem estar coletivo.

Bastante ludibriado e dilapidado pela ajuda desumana que sua Justiça presta aos empreiteiros, aos banqueiros, aos médicos assassinos, aos políticos corruptos etc.

Doutor da USP, estamos toda a São Paulo está aguardando um sério artigo de Vossa Excelência acerca da tal aposentadoria compulsória para magistrados bandidos???