domingo, 19 de maio de 2019

O milagre de governar o ingovernável



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Era previsível (e a gente avisou desde o começo) que o Presidente Jair Bolsonaro e sua equipe econômica erraram, estratégica e taticamente, em priorizar a reforma da previdência em detrimento de outras reformas estruturantes. Na campanha, o assunto não foi prioritário. Após a vitória, na transição, o “equívoco” foi parido. Agora, o governo é refém deste “erro de comunicação”.

A responsabilidade disso foi, principalmente, do czar econômico Paulo Guedes. Proclamou-se a falsa tese de que, sem a reforma previdenciária, a economia não voltaria a crescer e o Brasil quebraria. A classe política comprou a idéia sem críticas. A extrema imprensa agiu deste mesmo jeitinho. O interesse maior era dos bancos e interessados em ganhar “muito dinheiro” na Capitalização.

No entanto, é preciso considerar que “o debate é mais embaixo”. A equipe econômica também focou na previdência porque verificou que ali poderia ocorrer a primeira e fatal quebradeira das contas públicas. Ou seja, dentre tantos problemas a resolver, a previdência foi escolhida como a primeira. O curto prazo dirá se a opção foi ou não a melhor. Não é fácil governar um Estado quebrado, gastador e corrupto.

Um importante e sábio conselheiro estratégico do governo chama atenção para um ponto fundamental – que explica por que Jair Bolsonaro se viu obrigado a contingenciar (e não cortar): “O contingenciamento drástico que está sendo aplicado a todos os ministérios é consequência da tendência de queda da arrecadação, que pode estar sinalizando o início de uma recessão. O custeio está em situação de pré colapso e não há recursos para investimento. Se não houver a reforma da Previdência, ocorrerá o colapso das contas públicas. Espero que o Congresso entenda, porque podemos mergulhar em uma instabilidade de final imprevisível. Diria que o cenário poderia ser de ruptura institucional, para que uma nova solução possa permitir a sobrevivência do Estado”.  

Quase seis meses de Governo Bolsonaro, e se começa a cair na real. A situação econômica piorou. A persistente recessão caminha para uma estagflação. A indústria patina. O comércio claudica. A demanda por serviços diminui. A inadimplência e os calotes começam a assustar. A arrecadação entra em ritmo de queda. Os impostos continuam exagerados e estratosféricos. Reforma tributária? Só na boa intenção retórica... Por que mexer nisso não foi prioritário?

A máquina estatal segue perdulária e corrupta. Precisa de mais e mais dinheiro pago pelo cidadão, trabalhador ou empreendedor. Mais vivo que sempre, o Mecanismo do Crime Institucionalizado se reinventa. Manobra até para desestabilizar, sabotar e derrubar o Presidente que, no insistente discurso, dificulta o toma-lá-dá-cá. A politicagem se revolta e chantageia. Já fala até em formular uma alternativa à proposta de reforma previdenciária proposta pelo Guedes. O sinal claro é que o pacote oficial (a tal “prioridade”) já foi sepultado. Não passará no Congresso.  

Mergulharemos no caos? Ou vamos descobrir que a tal “prioridade” era um falso argumento? O mais provável é que ocorra uma acomodação. Tem muito dinheiro, no mundo, interessado em investir e faturar alto no Brasil. Seja com a capitalização previdenciária, nas privatizações facilitadas ou no retorno triunfal do jogo legalizado... Tal vontade e necessidade de lucrar muito tem mais força que a picaretagem da classe política desqualificada que coloca o Presidente nas cordas do ringue.

É por isso que não adianta Jair Bolsonaro reproduzir, nas redes sociais, um texto que reclama que o Brasil é ingovernável sem conchavos. O que o Presidente tem de fazer é focar na articulação política. Este é o grande calcanhar de Bolsonaro. Gritaria com picaretas nada resolve. Bolsonaro tem tornar públicos os debates de bastidor. Tem de cobrar resultados práticos do seu ministro da Casa Civil e amigo Ônyx Lorenzoni. Pergunta fatal: Ônyx, do DEM, é mais fiel ao Governo ou ao Rodrigo Maia (também do DEM) que preside a Câmara Federal?

Independentemente da relação complexa com um Congresso que usa a estupidez da Constituição para subjugar o Presidente, Bolsonaro precisa ser mais eficiente. A campanha eleitoral acabou nove meses atrás, mas parece que não... O tempo de prometer terminou. O que vale, agora, é entrega de resultados positivos. A massa cobra melhora na economia, na segurança, na saúde, no combate à corrupção e na própria atitude pessoal do Presidente – que precisa cumprir a mínima liturgia do cargo, sem perder a humildade e a sinceridade que lhe são características.

Visivelmente, o Presidente peca por não apresentar e realizar sua Agenda Positiva de modo claro, objetivo e entendível pela maioria das pessoas. Conceder entrevistas para dizer pouco ou nada é imperdoável. Não é só Bolsonaro que precisa melhorar a comunicação. Tal missão é do Governo como um todo.

Em vez de responder a provocações de adversários e inimigos, em tretas intermináveis, o governo tem de partir para a ofensiva comunicativa, listando tudo de bom que tem feito e que ainda se compromete a fazer. Se não fizer isto, só vai tomar pancada. A extrema mídia existe para espancar e extorquir o Governo. Tal esquema não vai mudar. Então, o que precisa mudar é eficiência, a efetividade e a eficácia do Presidente e de seu Governo.

Se Bolsonaro não conseguir realizar o milagre de “governar o ingovernável”, corre sério risco de ser substituído antes do tempo legal previsto. O Presidente tem de enfrentar o Mecanismo sem tréguas. Precisa de competência, coragem e inteligência para neutralizar e eliminar inimigos próximos – travestidos de “aliados”, “colaboradores” e “amigos”. Quase sempre, na política, “amigo de ânus é pênis” (Tem uma versão mais popular deste provérbio, mas se eu escrever aqui vão dizer que sou pornográfico).

Bolsonaro tem superar, depressa, a crise econômica (que vem lá de trás) e a crise política (que a falha na articulação de seu governo produziu muito rapidamente). Uma estratégia de comunicação correta é fundamental para ajudar no processo de governança. Tecnologia (teleprompter, Internet e por aí vai) depende de conteúdo estratégico...

O Presidente tem de focar em apresentar uma solução certa por dia para cada problema. Não pode promover, nem cair, em polêmicas (inúteis) com a extrema imprensa. Se perder tempo com o inimigo errado, o inimigo certo vai detoná-lo antecipadamente.

Bolsonaro tem de deixar claro que seu Governo é de transição para algo melhor para o Brasil. Desautorize qualquer inocente que já fala, prematuramente, em “reeleição”. O foco imediato é governar, liderar, comunicar bem e encher bandido de porrada. O resto é conseqüência...


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 19 de Maio de 2019.

11 comentários:

Anônimo disse...

A Agência Pública, pelo visto, vai "derrubar", o governo Bolsonaro.Já "descobriu", tantas coisas que terminará "impitimamando", o presidente.E sobre os outros políticos, queremos saber também.

aparecido disse...

.As condições do do Brasil afastam qualquer investidor...Até empresas estrangeiras há mais de cem anos aqui estão caindo fora..As corporações publicas estão mais fortes do que nunca no ataque ao dinheiro publico e os impostos já passaram da fase critica da curva de Lafer, onde todo aumento de tributos causa queda de arrecadaçãp..Os governos estaduais de todo o Brasil fizeram uma derrama com o ICMS aumentando toda a cadeia.. onde era zero foi a 7%, onde era 7 foi a 12%..onde era 12 foi a 18% onde era 18 foi a 25%... e isso, a derrama de impostos no meio de uma violenta recessão, onde a recomendação classica é de diminuir impostos, jogou a economia no fundo do poço em que ela está e não consegue sair....só falta agora tapar o poço e voltar a um pais tribal...é pra onde vamos...onde nemm mesmo um sistema classico de tres poderes conseguimos estruturar...o judiciario legisla, o legislativo governa e o executivo imobilizado pelos outros dois se estrebucha...tempos dificeis...em que o nó gordio vai ser desatado pela espada, como fez Alexandre... Se a espada dos militares brasileiros for fraca , medrosa e ca..gona como tem sido ultimamente, o povo vai pegar as suas proprias, empunhar e invadir Brasilia...e outras capitais e derrubar tudo.. as revoluções acontecem assim, quando as demandas sociais são represadas...e o represamento social são como as represas da VALE.. quando estouram levam tudo abaixo delas...

Rodrigo Almeida disse...

Pelo que eu entendi o governo vai aceitar uma reforma da previdência meia boca pra todo o mundo esquecer esse assunto e partir pra outras agendas

jomabastos disse...

O Bolsonaro já comprovou que não tem capacidade para gerir o Brasil.
Se ele fosse responsável, demitia-se e entregava o cargo ao Hamilton Mourão.
Chegou ao momento em que as Forças Armadas do Brasil deveriam orientar esta Nação. E assim, os ratos que sugam e maltratam este belo e rico país, saíriam de vez do poder.

Anônimo disse...

Bolsonaro não tem capacidade? Esqueceu como os governos anteriores "geriram" o país? Votamos no presidente Bolsonaro para acabar o toma lá dá cá. Elegemos um presidente com vocação democrática e que quer governar com as leis pactuadas democraticamente com a população. Como ele sairá de seu isolamento se a população não reclamar de seus congressistas o respeito às pautas defendidas pelo presidente eleito? Além disso, as manifestações do vice deram asas à oposição para crescer o cerco ao presidente Bolsonaro.

Anônimo disse...

Muitos criticam o presidente por se apresentar de chinelos e agasalho. Como ele cumpriria a liturgia do cargo se convalescia de uma cirurgia delicada? Um dos trunfos do presidente Bolsonaro é o seu talento de traduzir conceitos técnicos complexos em palavras simples, que o povo entenda. Uma assessoria confiável lhe explicaria esses conceitos nas várias áreas da governança. Ele muitas vezes come letras em sua fala, provavelmente porque, ao contrário do que dizem os que o acusam de inepto, pensa muito rápido e sobre soluções pragmáticas. Olavo de Carvalho o elogiou por não usar vocabulário rebuscado e fala empostada.

sergio soares disse...

Para quem acha que as FFAA são uma maravilha,sugiro que leia sobre o POSITIVIVISMO ,um cancro que degenera as FFAA do Brasil desde o golpe da república(e olhe que não sou monarquista).Que o Mourão VTNC.Também não votei em Bolsonaro pois esta coisa chamada eleição é uma megafraude.Mas,entre Bolsonaro e Mourão(ou Santa Cruz),mil vezes apoio a Bolsonaro.Que os maçons e positivistas vão TNC!

sergio soares disse...

FAXINA NAS FFAA É IMPERATIVO.TEM QUE DEPURÁ-LA.

sergio soares disse...

Entre alguns generais e Olavo de Carvalho,total apoio a este (e tenho uns 70 % de desacordos com OC).Este senhor jornabastos é meu inimigo,talvez levemente mais brando que 9DEDOS e FHC. http://aluizioamorim.blogspot.com/ Um bom vídeo com OC ontem.FIM DO COMUNISMO EM ALTAS PATENTES MILITARES e do POSITIVISMO.ESTE senhor acima não sabe o que escreve.

Anônimo disse...

https://www.diariodobrasil.org/trama-diabolica-do-pt-inclui-tirar-poderes-de-mourao-antes-de-derrubar-bolsonaro/

Hangout longo, mas que vale assistir.
Decreto 9794 e MP870: Bolsonaro sob risco de Impeachment? (Crítica Nacional)
https://www.youtube.com/watch?v=eMkZNk-azGl

Anônimo disse...

DESDE A PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA OS BRASILEIROS VEM VOTANDO EM PRESIDENTES QUE VEM FAZENDO O JOGO POLITICO DO É DANDO QUE SE RECEBE. ESSE HÁBITO NEFASTO NESTA REPUBLICA CARCOMIDA CRIOU UMA SEQUENCIA DE POLÍTICOS CORRUPTOS QUE VIVEM COM BENESSES ABSURDAS NUM CLIMA DE IMPUNIDADE, QUE CULMINOU COM O FORO PRIVILEGIADO QUE TORNA PRATICAMENTE IMPOSSIVEL PUNIR AS ROUBALHEIRAS E DESVIOS DE DINHEIRO SACRIFICANDO OS ORÇAMENTOS, PARA EDUCAÇÃO, SAÚDE, MORADIA ETC DO POVÃO EXCLUIDO.A MÁ DISTRIBUIÇÃO DE RENDA PRODUZIDA PELO BRASIL, TRANSFORMOU MILHÕES DE BRASILEIROS EM EXCLUIDOS SEM PERSPECTIVA DE UMA VIDA MAIS DIGNA NÃO OBSTANTE SERMOS A OITAVA ECONOMIA DO MUNDO, ONDE UMA PARCELA VIVE COM DIGNIDADE E A GRANDE MAIORIA LUTA PARA SOBREVIVER E NÃO MORRER DE FOME. EM OUTUBRO DE 2018, POR FALTA DE OPÇÕES, ELEGEMOS PARA PRESIDENTE UM HOMEM QUE ABALOU AS ESTRUTURAS PODRES DA REPUBLICA, FAZENDO AFIRMAÇÕES OUSADAS EM CAMPANHA E QUE FORAM CONFIRMADAS E POSTAS EM PRATICA INACREDITAVELMENTE DEPOIS DE ELEITO. ISTO NATURALMENTE CRIOU PÂNICO NESTA REPÚBLICA CARCOMIDA QUE NÃO QUER ABRIR MÃO DE SEUS PRIVILEGIOS DO TOMA LÁ DA CÁ E ESTÁ BOICOTANDO AS REFORMAS QUE SE FAZEM NECESSÁRIAS PARA QUE O PAÍS POSSA SAIR DA MAIOR RECESSÃO DE TODOS OS TEMPOS. CABE ASSIM AO POVO BRASILEIRO CONSCIENTE SERRAR FILEIRAS E APOIAR ESSE PRESIDENTE SEM TREGUA PORQUE É UMA OPORTUNIDADE ÚNICA DO BRASIL SE LIVRAR DEFINITIVAMENTE DA CORRUPÇÃO E DA MISERIA QUE SEMPRE EXISTIU NESTA INFELIZ NAÇÃO.