sábado, 25 de maio de 2019

Poder Invisível



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio José Ribas Paiva

Causa estranheza, que muitos políticos, sabidamente envolvidos em falcatruas, ainda não estejam na cadeia. Estão livres das grades, porque são agentes dos GOVERNANTES INVISÍVEIS, que governam indiretamente os países, a partir da City de Londres.

Os que caíram em desgraça se conformam, porque têm certeza que logo estarão em casa, gozando os bilhões que roubaram do povo brasileiro.

“LIBERTAS QUAE SERA TAMEM”.

INTRIGANTES

O Presidente Bolsonaro foi eleito para cumprir suas promessas de campanha a saber:

-Acabar com a rede de corrupção no Estado;
-Demitir todos os funcionários contratados politicamente;
-Fazer a reforma tributária;
-Fazer a reforma administrativa;
-Remover o entulho ideológico de 33 anos de governos comunistas e corruptos.

Essas foram suas principais plataformas, que vêm sendo proteladas, em razão de intrigas palacianas.

Observe-se, que grande parte do tempo do governo vem sendo desperdiçado com desmentidos e ataques entre as correntes do próprio governo.

O tempo urge, só restam 3 anos e meio de mandato. Caso as intrigas palacianas e políticas continuem paralisando o Brasil, os comunistas voltarão a nos massacrar e a trair o Brasil.

Bolsonaro tem a chance de fazer história. Para isso, precisa concretizar seus objetivos, liderando o seu pessoal com o foco necessário.

Ressalte-se que essa paralisia é o jogo da classe política, para continuar usufruindo as benesses do poder.

VAMOS TRABALHAR!

A prioridade é limpar os Poderes da República e adequar as instituições aos interesses do Povo.

BRASIL ACIMA DE TUDO!!!

Antônio José Ribas Paiva, Jurista, é Presidente do Nacional Club.

Um comentário:

Anônimo disse...

Por isso, a manifestação em favor do presidente (mais que a defesa desta ou daquela pauta específica) é tão importante. Ela mostrará ao sistema corrupto que o poder popular está com o mandatário para fazer o que foi prometido, e exige respeito à sua decisão nas urnas.