quarta-feira, 12 de junho de 2019

A Nação está com Sérgio Moro



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio José Ribas Paiva

Quem tem jurisdição é o magistrado.

Quando a polícia ou o Ministério Público precisam de quebra de sigilos, precisam requerer ao juiz , que examinará os motivos e deferirá ou não o pedido.

Deferida a diligência, as provas obtidas são absolutamente legais.

Portanto é de praxe que os magistrados conversem com policiais e promotores sobre as diligências investigatórias. Não há qualquer nulidade ou suspeição o contato entre o MP e o magistrado sobre o desenvolvimento das investigações.

Obtidas as provas, com a autorização do juiz, a polícia conclui o inquérito e o remete ao Ministério Público, que fará a denúncia criminal ao magistrado, que examinando as provas, acolherá ou rejeitará a denúncia.

No caso Lavajato foi exatamente o que ocorreu, não há qualquer irregularidade e muito menos nulidade, até porque, as provas coletadas foram de molde a condenar o Lula em duas instâncias.

Portanto, a celeuma levantada pelo site Intercept não passa de fuxico de jornalista, que não causará qualquer dano à imagem impoluta do Ministro Moro.

JUSTIÇA JÁ!!!

Antônio José Ribas Paiva, Jurista, é Presidente do Nacional Club.

Um comentário:

Anônimo disse...

Acho interessante que a Interpol possa entrar no caso. Apesar de achar que o FBI faria um trabalho formidável. "Nosso" amigo merece o melhor atrás dele e seus colaboradores, ratos de computadores.