quarta-feira, 19 de junho de 2019

Crônica de um Governo Desqualificado



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ângelo Donga

Nem o bolsonarista mais cego consegue achar que o presidente dos Correios, cuja demissão vem sendo anunciada desde sexta-feira, vinha se comportando como um petista, um sindicalista ou mesmo um comunista. Qualquer ecetista que ainda desfrute de um pingo de discernimento sabe que a atuação do General Juarez Cunha foi caracterizada pela seriedade, pelo profissionalismo e, acima de tudo, pela firme convicção de que os Correios tinham e têm todas as condições de recuperar a qualidade dos seus serviços, o equilíbrio das suas finanças e a boa imagem junto à sociedade. 

Não foi por ter tirado foto com sindicalistas e parlamentares da oposição que sua demissão está sendo anunciada, mas sim porque sua gestão à frente dos Correios exemplificava algumas virtudes essenciais ao espírito público, das quais o atual governo parece ser completamente carente.

Por ser militar, nacionalista e detentor de uma carreira de absoluta lealdade ao Estado, o artifício preferido do atual governo para se esquivar de debater o mérito dos problemas nacionais (a desqualificação ideológica da opinião divergente) tornou-se inválido. 

O fato de, mesmo como integrante do governo, se posicionar, com propriedade e conhecimento de causa, contra a privatização passou a exigir dos privatistas a apresentação de argumentos minimamente hábeis a fundamentar sua tese, tirando os mesmo da cômoda situação de ficar apenas repetindo a velha ladainha de que o PT quebrou os Correios. No contexto de um governo comprovadamente incapaz de enfrentar os problemas do país com sabedoria e método, e que se notabiliza pelo desprezo dos fatos e dos números em prol de fetiches e fantasias, não parece ser tolerável que o presidente de uma das maiores estatais do País ousasse ser o contraponto em um debate para o qual o governo não tem mais do que frases de efeito e palavras de ordem para justificar seu intento. 

Aliás, pelo trabalho que vinha desenvolvendo, o General estava mostrando que, mais do que ficar só reclamando do que ocorreu nos governos anteriores, a atual gestão tinha, e tem, a responsabilidade de repor a empresa nos trilhos da sustentabilidade e da boa prestação dos seus serviços. E este aspecto, talvez, seja o que mais tenha ofendido a estima da cúpula governamental, visto que não é isso que interessa à mesma.

Ao evidenciar que a responsabilidade imposta pelo povo ao novo governo é a de enfrentar e resolver os problemas do país, ao invés de ficar eternamente inventando desculpas e reclamando do que o PT fez ou deixou de fazer, o General se tornou uma presença incômoda num ambiente onde reina a falta de inspiração, vocação, vontade, e qualificação para encarar e superar as complexas dificuldades do Brasil.

Por fim, a habilidade de dialogar e angariar o respeito de setores da oposição e mesmo das entidades sindicais, sem necessariamente abrir mão das suas convicções, desnudou outra cruel inaptidão do atual governo, qual seja a de se pautar pelo bom senso e pela compreensão de que deve governar para toda a nação e não apenas para o seu gado domesticado e adestrado das redes sociais. 

As humilhações que o governo atual vem sofrendo no mundo inteiro, onde vem sendo rejeitado e achincalhado das mais diversas formas, refletem o predomínio, em boa parte dos seus principais quadros, da opção por pessoas com perfis, crenças e manifestações que beiram ao bizarro e que, portanto, impedem que o presidente da república e seu ministério sejam capazes de despertar um mínimo de respeito e consideração fora da sua bolha de influência.

Sendo assim, a torpe alegação de que o General Juarez Cunha está sendo demitido por que se deixou fotografar com sindicalistas e deputados da oposição parece não convencer nem os abduzidos pelos canais virtuais do bolsonarismo. A verdade é que, mais do que por qualquer fetiche ideológico, o General está deixando os Correios porque vinha performando em aspectos diante dos quais o atual governo vem se mostrando completamente inapto, quais sejam: 1) que é possível enfrentar e superar os problemas que realmente existem; 2) que para isso é necessário assumir a responsabilidade de enfrentá-los, ao invés de ficar eternamente culpando o passado; e 3) que é possível ser respeitado e, até, admirado por quem pensa diferente, quando se atua com consciência, seriedade e bom senso.

O fato é que o atual governo vem preferindo ter nos seus quadros os alucinados que postulam absurdos como verdades, do que os sensatos que efetivamente trabalham por um Brasil melhor.

Ângelo Donga é Empregado dos Correios desde 1985.

14 comentários:

Anônimo disse...

Desqualificado foi quem escreveu esse artigo, se esquecendo de dizer que o gal desrespeitou o presidente Bolsonaro quando disse que era seu superior e ai dele se tentasse privatizar os Correios. Para quem duvida tem vídeo no Youtube. O espírito de corpo e porco desse gal foi o que tb deu ensejo à sua demissão. Sem falar que ele entrou nos Correios pelas mãos de Gilberto Kassab, bandido x conhecido aqui em São Paulo, e lá foi colocado porque apostaram que o Bolsonaro não teria coragem de mexer com ele por ser gal. Caíram do cavalo. Ou seja, a direção dos Correios continuou nas mãos do Kassab. Por que e pra que, hein?
Esther

afonso.mota7@gmail.com disse...

Apenas para registro ao autor do texto:
Cada cabeça uma sentença.
E não há roubo em empresas se não houver conivência ou uma estrutura mancomunada. Isso é histórico e o Direito Administrativo, nunca foi usado. E muitos dos atos administrativos nos últimos 53 anos são nulo de pleno direito. Mas vamos em frente. O povo brasileiro banca os devaneios de toda a ordem. Abraço, nobre brasileiro. #Simples_Assim. Saudações patrióticas monarquistas.

Unknown disse...

A empresa foi roubada, ultrajada, vilipendiada, escorchada, saqueada, humilhada durante décadas. E mais ainda durante os desgovernos da maior organização criminosa da história da humanidade. Ninguém se manifestava. Roubaram tando do fundo de pensão a ponto de inviabilizá-lo. Ninguém falou nada. Agora aparecem defensores de todas as cores e tamanhos.

Fernando disse...

Boa tarde, Os Correios já deu o que tinha que dar, os tempos são outros, e do jeito que anda essa estatal o melhor é realmente privatizar andar de mãos dadas com a tecnologia. Além do mais o gal abusou da sua condição menosprezando o Presidente em público.Fez bem em deixar o cargo para outro melhor capacitado.

Anônimo disse...

Eu duvido (EU DUVIDO) que este post seja verdadeiro (quem escreveu este post deve ser uma ex namorada de algum funcionário). QUEM MAMA NA TETA DO CORREIO, NÃO se espoe.

Anônimo disse...

"Ângelo Donga é Empregado dos Correios desde 1985."
Isso é Fack News "da pura". Angelo (com acento), Donga (de sobrenome). PONTO. E o correio não tem EMPREGADOs, todos são sócios (só do ativo, se privatizar o povo que fique com o passivo).

Cláudio disse...

Esse senhor deveria ter vergonha do que escreveu. Dizer que o governo fantasia as situações encontradas nos correios e que o atual governo está a ser achincalhado no mundo é de total falta de percepção e caráter como bem provem a colaborador dos que destruíram a empresa e ainda hoje, infiltrados que são, traem seus companheiros funcionários.

Mineiro disse...

Engraçado!
Onde o Sr Ângelo estava nos últimos 13 anos?
Saquearam a empresa e seus funcionários
Saquearam o fundo de pensão dos funcionários
Vc não viu isso?
Bastante engraçado
Pelegos defendem pelegos

Mineiro disse...

Engraçado!
Onde o Sr Ângelo estava nos últimos 13 anos?
Saquearam a empresa e seus funcionários
Saquearam o fundo de pensão dos funcionários
Vc não viu isso?
Bastante engraçado
Pelegos defendem pelegos

Anônimo disse...

Até agora não deu para entender por que os militares obedeceram calados o achincalhamento de presidentes canalhas civis sobre eles na Nova República e quando devem obediência a um presidente militar reformado honesto de patente menor que a deles dão show de insubordinação. Não é possível que não saibam que, reformados, ao aceitarem cargos no governo, são como os demais civis na hierarquia do Executivo, cujo chefe é o presidente da República.

WILTON disse...

ESSE GENERAL DE M#$DA deveria ter sido DEFENESTRADO desde quando, em palestra para os MALDITOS SINDICALISTAS - grupo que pode ter esse DONGA não sambista como líder- blasfemou que o PRESIDENTE seria ou teria sido seu subordinado, provocando VERGONHOSAS & DESRESPEITOSAS gargalhadas. Esse IDIOTA sabe MUITO BEM que desde dez/1990 passou a ser "obrigado" a PRESTAR CONTINÊNCIA para o EXCELENTISSIMO Sr. DEPUTADO FEDERAL JAIR MESSIAS BOLSONARO. Nessa época seria,no máximo, Coronel ou Ten. Coronel, sem DIREITO
ao tratamento de EXCELÊNCIA. CORREIOS tem sido a VERGONHA NACIONAL nos últimos anos. GREVES FREQUENTES TÊM PREJUDICADO A POPULAÇÃO BRASILEIRA.

WILTON disse...

ESSE GENERAL DE M#$DA deveria ter sido DEFENESTRADO desde quando, em palestra para os MALDITOS SINDICALISTAS - grupo que pode ter esse DONGA não sambista como líder- blasfemou que o PRESIDENTE seria ou teria sido seu subordinado, provocando VERGONHOSAS & DESRESPEITOSAS gargalhadas. Esse IDIOTA sabe MUITO BEM que desde dez/1990 passou a ser "obrigado" a PRESTAR CONTINÊNCIA para o EXCELENTISSIMO Sr. DEPUTADO FEDERAL JAIR MESSIAS BOLSONARO. Nessa época seria,no máximo, Coronel ou Ten. Coronel, sem DIREITO
ao tratamento de EXCELÊNCIA. CORREIOS tem sido a VERGONHA NACIONAL nos últimos anos. GREVES FREQUENTES TÊM PREJUDICADO A POPULAÇÃO BRASILEIRA.

Unknown disse...

Ângelo Donga foi candidato a deputado federal nas últimas eleições pelo partido Rede em coligação com o PCdoB. Não foi eleito. Parece que é membro do conselho fiscal do falido POSTALIS. Isso explica o seu esquisito artigo.

Anônimo disse...

Até o petista mais cego consegue identificar que você é um maldito comunista.