terça-feira, 30 de julho de 2019

Antolhos



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Admiro as pessoas brilhantes; inclusive as que discordam de meus pontos de vista.

Esse fato não impede (pelo contrário, me obriga) críticas construtivas.

Ilustres economistas quase sempre partem de premissas falsas que os levam a conclusões equivocadas. Puro exemplo de sofisma material.

Como cavalos de corrida indóceis, levam postos antolhos que impedem a visão lateral.

Voltemos ao tema do ouro.

Nos dias de hoje não tem mais valor de uso. Seu valor de troca é declinante. Resta-lhe apenas o valor de estima. Pura adoração do Bezerro.

Certa vez um general (um dos homens mais extraordinários que este país viu nascer) me disse: “Não nos preocupam as adversidades. Afinal fomos educados para isso.”

Reserva de valor só é o que nos serve em qualquer cenário. Algo que nos alimente, nos abebere, nos cure. O resto é “lenda urbana”.

O Brasil, recebedor de todas as bençãos da Divina Providência, tem o que realmente vale. Se mantém suas reservas internacionais mormente em títulos emitidos pelos Estados Unidos da América, é porque tem uma visão realista do mundo. O garantidor desses títulos tem as Forças Armadas mais poderosas do mundo em todos os tempos.
O resto é querer estar no País da Maravilhas de Alice.

A Rússia perde sua importância geopolítica na medida do avanço de outras fontes de energia que não o petróleo e o gás.

A Índia vê seu lençol freático baixar. A China tem que alimentar bilhões de pessoas todos os dias. Badalhocas tecnológicas não servem. África do Sul, ainda no estágio pré-socrático; tribal.

Dos BRICS resta apenas o plano B; de BRASIL!

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

4 comentários:

Unknown disse...

Parabéns Mantiqueira!

Q disse...

Pq vários países ainda insistem em estocar ouro, então?

Anônimo disse...

"Reserva de valor só é o que nos serve em qualquer cenário. Algo que nos alimente, nos abebere, nos cure. O resto é “lenda urbana”."
Então o Brasil possui as 3 maiores reservas de todas: Alimento, agua e .....

jomabastos disse...

Imagine você que os maiores portadores dos poderosos títulos do tesouro americano, começam literalmente a desfazer-se desses papeis e consequentemente a esvaziar os cofres dos EUA. Hein?

Os EUA com um déficit comercial superior a US $ 600 bilhões em 2018, ao ter que ressarcir em trilhões os portadores de Treasures como a China, o Japão e outros países orientais, europeus e árabes poderosos, sofreria um duro golpe na sua economia, criando uma hipercrise econômica e social aos americanos.

E as forças armadas americanas certamente que não teriam capacidade de proteger em simultâneo as suas largas centenas de utilitários, compromissos e interesses corporativos ao redor do mundo.

O dólar não é uma moeda que os governantes americanos possam valorizar ou desvalorizar a qualquer momento, porque essa moeda já não é propriedade dos Estados Unidos da América, mas sim do mundo oligarca financeiro e econômico internacional e dos países mais ricos dos cinco continentes.
São as outras moedas que valorizam ou desvalorizam perante o dólar, consoante as necessidades ou interesses do mercado financeiro e econômico.

Mas fiquemos simplesmente pela imaginação.

Ouro é Ouro e papéis são papéis.
Por ora, não desvalorizemos o vil metal.