segunda-feira, 22 de julho de 2019

Definindo Lados



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Guilherme C. Ribeiro

Por décadas, o Brasil passou vergonha. Muita vergonha. Foi aviltado e humilhado continuamente, alvo da chacota e do desprezo internacionais. Éramos o fundo do poço em termos de respeito no tocante a tudo, de cima abaixo. Não há jornalista que não saiba disso. Esses escândalos e esses vexames, que conseguem abranger todo o espectro da corrupção, da má-fé, da traição e da falta de um mínimo de amor ao País respondem pela falta de respeito que tinham por nós.

De repente, um povo, que a escória de ladrões e traidores no poder espezinhava com sua conduta execrável, foi para as ruas e disse – BASTA!, uma mensagem de indignação que, ironicamente, começou contra uma manifestação contra meros 20 centavos de aumento.

Vinte centavos que entornaram o cálice de anos de sofrimento, frustração, impotência em relação às agressões que sofria contra seus valores, sua dignidade, sua integridade, suas tradições e seu futuro.  Graças às novas comunicações, gente de valor, trabalhando contra o sistema corrompido até a medula, transformou as suspeitas em evidências e as evidências em provas.  E o povo foi às ruas, espontânea e pacificamente, motivado por uma indignação que se avultava à medida que o caldo infame da corrupção escorria fétido das entranhas do estabishment aparelhado.

Apesar da conivência dos meios convencionais cooptados pelo projeto de poder da escória de ladrões e traidores, vendilhões de sua pátria, o povo, agora mais e mais esclarecido e revoltado com as indignidades, continuou nas ruas, movimentando uma revolução inaudita nas comunicações.  A palavra e a influência foram retiradas desses meios convencionais e passou às mídias sociais. Da TV, do rádio, das revistas e dos jornais, passou ao celular. 

Foi assim que, apesar de todas as mentiras, da campanha de ódio e intrigas dos meios convencionais; apesar dos quarenta e tantos milhões investidos pela escória; apesar do cerceamento da verdade, das fake news e manipulação descarada das mídias sociais; APESAR DAS URNAS SUSPEITAS; e apesar do atentado transparentemente orquestrado, aquele que representou a nação indignada foi eleito.  E eleito por um povo que foi para as ruas fazer sua campanha, gritando – “EU VIM DE GRAÇA!”, endossando suas propostas, acreditando em seu discurso e abraçando sua causa.

Bolsonaro foi eleito e, para o pasmo da escória de ladrões e traidores da pátria, está sendo fiel às promessas que fez em campanha e que o elegeram.  Jamais o povo brasileiro teve uma equipe de ministros tão competente e pode avaliar seu desempenho de forma tão transparente. Jamais o povo brasileiro teve satisfações semanais, ao vivo, de seu Presidente – é daí que vem o apoio crescente que lhe dá o povo, a despeito das "pesquisas"...

Como era do desejo do povo brasileiro, acabou a roubalheira.  Foram costuradas as veias abertas pelos ladrões e traidores, as veias por onde vazavam o sangue do trabalho brasileiro para sustentar ditaduras em troca de propinas milionárias.

Porém, a escória de ladrões e traidores não aceita a derrota legítima.  Mesmo com a porta do cofre da iniquidade cerrada, a maledicência, a intriga, a mentira, a distorção e as fake news continuam, descaradas e cada vez mais cínicas e hipócritas. E, pior ainda, engendradas pela escória do baixo jornalismo, conscientemente apátrida, patrocinadas pela mídia abalada pelo corte das verbas publicitárias, pelo sindicalismo parasita, pelas associações inúteis e por burocratas inconformados com a porta cerrada do cofre.

Mesmo jornalistas de bem, conscientes e honestos, ainda são apanhados nas manobras costumeiras da escória, inadvertidamente aceitando os dois pesos e duas medidas que desculpam provas descaradas de um lado e valorizam meras fofocas e mentiras desabridas do outro, à guisa de “imparcialidade” e “veracidade” jornalísticas.

Então, senhores, não me venham com essa história de fanáticos por Bolsonaro. Se ainda não foram capazes de entender, não somos fanáticos. Somos indignados, isto sim. INDIGNADOS por razões que vocês conhecem de sobejo. Simplificando – e a simplificação, nesse caso, é mais do que válida –, de um lado está o povo brasileiro, sofrido, que se levantou contra a escória de ladrões e traidores de seu país.  Do outro, a escória de traidores da pátria.

Aliás, como disse o Presidente Bolsonaro ao jornalista estrangeiro, – “A AMAZÔNIA É NOSSA, NÃO DE VOCÊS.  PONTO!”  Desde Oswaldo Aranha nenhum brasileiro esfregou a verdade de forma tão contundente nas fuças de mistificadores.

Como eu disse, de um lado os brasileiros.  Do outro, a escória!
Não há nada mais a dizer.

João Guilherme C. Ribeiro é Escritor e Empreendedor Cultural.

Nenhum comentário: