segunda-feira, 22 de julho de 2019

Não tenho bandidos de estimação



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Luiz Otávio da Rosa Borges

Primeiro, veja o vídeo exibido pela TV Globo em abril de 2016. Leia, depois, o resto da mensagem.


  
Viu o vídeo? OK, seguem algumas observações (opiniões):
   
1 - EU NÃO SEI o que aconteceu com os fraudadores da Reforma Agrária. NEM SEI se algo aconteceu. Você provavelmente TAMBÉM NÃO SABE;
   
2 - eu e você, entretanto, SABEMOS que a principal causa das grandes roubalheiras é que os Cidadãos não conseguem fiscalizar os Poderes Públicos. Se conseguissem, destroçariamPREVENTIVAMENTE os esquemas de corrupção. Alguns esquemas funcionam durante anos (ou décadas);
   
3 - em relação à FISCALIZAÇÃO PELA SOCIEDADE, o Ministério Público (MP) impede, com omissões e mentiras, a criação de mecanismos práticos de fiscalização. Junta-se, portanto, às quadrilhas que, livres da fiscalização da População, brigam entre si  (ou fingem que brigam) pelo “direito” de oprimir e espoliar a Nação (cuja grande maioria é formada por remediados, pobres e miseráveis - exatamente os que não têm força política para reagir);
   
4 - o aspecto mais triste dessa situação é que Procuradores e Promotores são, na teoria, os Advogados da Sociedade (que sustenta, com seu sacrifício, os altos salários e penduricalhos dos Membros do MP);
   
5 - o MP e os Órgãos Públicos Brasileiros detestam Propostas de FISCALIZAÇÃO PELA SOCIEDADE. Eles sabem que, se a Sociedade tiver acesso a mecanismos práticos de fiscalização, o MP não mais poderá se comportar como “uma quadrilha a mais”.
   
Se você pensa que as frases acima são injustas e ofensivas, DEMONSTRE que errei ao escrevê-las: INDIQUE o nome e os telefones de um Procurador ou Promotor com coragem de conversar, EM REUNIÕES ABERTAS, sobre Propostas de Fiscalização pela Sociedade. São Propostas capazes de inviabilizar, PREVENTIVAMENTE, os esquemas de corrupção. Não estou pedindo 5, 10 ou 50 INDICAÇÕES. Estou pedindo SOMENTE UMA.
   
Agradeço antecipadamente sua atenção.
      
Em tempo (1): enviei, para Luiza Frischeisen e Blau Dallou, cópias desta postagem. Eles estão na lista tríplice de candidatos à Procuradoria Geral da República. Não enviei cópia para Mário Bonsaglia, outro nome da lista, pois ele já me pediu a retirada do nome dele de minha lista de destinatários.
   
Em tempo (2): se você quiser saber mais sobre a essencialidade da FISCALIZAÇÃO PELA SOCIEDADE, veja os Vídeos da Série VENHA CONSTRUIR UM BRASIL SEM CORRUPÇÃO. Os 13 Vídeos da Série foram postados entre 13 de outubro e 29 de novembro de 2018. A Série inclui uma pequena AMOSTRA de Propostas. Estão contidas nos Vídeos 8 a 11.


Luiz Otávio da Rosa Borges é Auditor Aposentado da Receita Federal.

3 comentários:

Mauro Moreira disse...

Não confio em você também, não!. Aliás, não confio em funcionário público que só se manifesta depois de aposentado. Os dois citados por você, candidatos à chefia da Procuradoria, não são também confiáveis. Já tivemos menções a eles em sites. A tal Luiza Frischeisen é canhota, petista. O tal Bonsaglia só quer poder, nada mais do que poder e em nada melhoraria esse órgão quase inútil que quase sempre age ideologicamente e o povão que se dane. O Brasil só melhorará quando pudermos fazer "recall" ministros do STF, de políticos, de procuradores e todo tipo de autoridades e acabarmos com essas porcarias criadas por Lula, CNJ, CNMP e tudo o que for semelhante, pois não passam de cabides de empregos para quem já tem emprego e ainda engorda ainda mais o já imenso salário. Sua proposta pode parecer com aquele tal controle da sociedade que Lula, Dilma, o PT e toda a esquerda queriam implantar, para que tudo passasse por plebiscitos da sociedade, onde conselhos criados por grupos de esquerda teriam a opinião majoritária e assim passariam a ter o poder total no país? A verdadeira mudança que precisamos é a política, com voto distrital puro, com "recall" e eliminação dos altos salários e mordomias dos políticos e dos funcionários e autoridades públicas, acabando com a tal estabilidade no emprego de funcionários públicos e estabelecimento do "recall". Veja a reforma da Previdência ora discutida. De onde está vindo a pressão para desfigurá-la, querendo impor privilégios? Do funcionalismo, que se acha mais igual do que os demais cidadãos, exatamente aqueles que lhes paga os salários milionários e que segundo esses funcionários, devem sim ganhar menos para que eles possam ganhar mais. O Brasil precisa mesmo é de uma faxina radical.

Anônimo disse...

Eu vi muitas fraudes cometidas por beneficiários de lotes de terra do INCRA. Não são somente políticos que cometem tais fraudes. Os pequenos assentados que recebem um módulo de terra do INCRA também acabam vendendo para pessoas que não estão no programa de reforma agrária. Os fazendeiros vizinhos ou os sitiantes vizinhos ao projeto de assentamento acabam adquirindo esses lotes para depois regularizarem perante o INCRA. Até que aconteça a regularização, vão explorando as terras. No estado de Mato Grosso existem centenas de casos, digo um: Gleba Iracema I, II, e III em Juína-MT. É só ir para qualquer projeto de assentamento do INCRA, e eu escrevi qualquer, que você conseguirá comprar um lote pois, sempre haverá alguém disposto a vender. Segundo palestra proferida por diretor da EMBRAPA, a reforma agrária no Brasil já foi feita e faz muito tempo. Nunca em lugar nenhum se deu tanta terra para reforma agrária como aqui no Brasil, o resto é CONVERSA, INVASÃO, MST, IDEOLOGIA, POPULISMO PARTIDÁRIO E CORRUPÇÃO em todos os níveis. Ressalvo os pequenos, agraciados pelo INCRA, que são honestos e trabalhadores e que servem de exemplo para os demais.

Anônimo disse...

Belíssimas observações. Outra coisa é o fato desse vídeo sobre a reforma agrária conter inúmeros erros grosseiros, ou seja, a conclusão do aposentado é falsa. O controle tem que ser direto com recalls.