sábado, 3 de agosto de 2019

A República dos Analfabetos


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

As crianças que tinham cerca de sete anos em 1.985, quando começou a malfadada Nova República, hoje estão com quarenta e poucos.

Já foram (des)educados segundo a cartilha do quanto pior, melhor.

Os que ainda tem emprego, estão no nível de gerência média, onde já tomam algumas decisões importantes em suas empresas.

Aí mora o perigo ! A grande maioria não sabe nada de matemática, de história, de geografia, etc. Analfabetos funcionais.

Também se recusam a consultar os mais velhos, uma vez que em sua arrogância, por eles têm um solene desprezo.

Assim, quase a totalidade das empresas nacionais está fadada à falência ou à venda a estrangeiros.

Paradoxalmente, há uma “explosão” de startups.

A elite da inteligência jovem, que teve a oportunidade laboral no exterior, entendeu o que é competição e o que é marketing. Falam inglês melhor que o português.

De todas as incubadoras de novos negócios que conheço, a melhor é o Distrito Fintech.

Entre os bancos digitais, transformados de pequenos bancos tradicionais alguns fizeram caminhos inversos. O Banco Agibank (antigo Agiplan) era companhia aberta e fechou seu capital. Já o banco Inter (antigo Interunion) abriu o capital e hoje é cotado em bolsa.

Está em fase pré-operacional o C6 Bank, fundado por antigos executivos do BTG Pactual.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Anônimo disse...

O presidente do Peru, que consagrou seu país ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, descobriu que não havia motivo para riso: perdeu o cargo por corrupção.