terça-feira, 27 de agosto de 2019

AUSCWITZEL?



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Gaudêncio Torquato

Cena da semana: um saltitante e sorridente governador, dando murros no ar sobre a ponte Rio-Niterói, comemorando o abate do jovem Willian Augusto da Silva, de 20 anos, sequestrador de um ônibus com 39 passageiros, por um sniper escondido em cima de um caminhão de bombeiros.  O ex-juiz Wilson Witzel, agora na condição de mandatário-mor do Rio de Janeiro, vibrava com a tragédia que chegara ao fim, convencido de que a orientação que deu para a segurança pública é correta: “mirar na cabecinha e... fogo... matar o bandido! Para não errar”.
Deu certo. Esgotados todos os recursos para a dissuasão do sequestrador, a alternativa que restava era o tiro. No caso, seis tiros. A imagem de sua Excelência, esbanjando alegria e correndo na ponte, ganhou espaços midiáticos pela extravagância da performance. Puro marketing. Por mais que se justifique a ação policial que culminou com o episódio, comemorar a morte de um sequestrador é gesto inapropriado para quem devia conservar (ou não?) traços da nobre missão de administrar a justiça. Witzel deu demonstração que está mais para Rambo do que para ex-juiz. 
A estampa de violência que emoldura sua figura faz com que um dos maiores juristas do país, o desembargador e professor de Direito Penal Walter Maierovitch, lembre o horror de Auschwitz, onde os nazistas mataram 1,3 milhão de pessoas em seu maior campo de concentração, dentre as quais cerca de 1 milhão de homens, mulheres e crianças judias. Pergunta ele: o populista Witzel ou Auscwitzel?
O Rio de Janeiro mais parece uma praça de guerra. Os dados dão conta de que no primeiro trimestre deste ano, 434 pessoas foram mortas por intervenção policial. Média de sete óbitos por dia. Foi o maior número desde 1998. O fato é que a política de segurança pública, nesses estranhos tempos, se guia pelo mote: “matar ou matar. Bandido bom é bandido morto”. A doutrina, encampada pelo presidente da República, simpático a medidas como liberação do porte e compra de armas, desce como gigantesca cortina de sangue sobre o território, expandindo milícias, intensificando as agências funerárias, abrindo portões dos cemitérios.
Foram 65.602 homicídios no ano retrasado, aumento de 4,2% em relação ao ano anterior e, o mais preocupante, um número recorde que equivale a 31,6 mortes para cada 100 mil habitantes - mais do dobro, por exemplo, da taxa de homicídios do Iraque, segundo estatísticas mais recentes da OMS, a Organização Mundial da Saúde. A entidade considera epidêmicas taxas de homicídio superiores a 10 a cada 100 mil habitantes.
De cinco doentes que baixam nos hospitais brasileiros, pelo menos um é vítima da “guerra civil” que mata três vezes mais que a violência nos Estados Unidos e mais gente que os mortos em conflitos étnicos. Em 30 anos, o número de vítimas fatais chega a mais de um milhão, bem mais que os 750 mil vitimados durante todo o período colonial da guerra de Angola.
Nas prisões-depósito, milhares de presos germinam novas formas de violência, enquanto as gavetas se entopem com milhares de mandados de prisão, envolvendo, no mínimo, outros milhares de bandidos soltos nas ruas, enquanto rebeliões se expandem em penitenciárias.
A brutalidade jorra em proporção geométrica e as paliativas soluções governamentais - melhoria e ampliação do sistema penitenciário, reforço e reaparelhamento das polícias - estão longe de um crescimento em proporção aritmética. Os cinturões metropolitanos, já saturados de lixões que ofertam um banquete pantagruélico para urubus, crianças e mães famintas, são também palco para a exibição de corpos chacinados em decomposição. 
O Brasil, é triste, está se tornando um dos maiores assassinos da humanidade. Pior: a violência, de tão desalmada, aumenta a insegurança.
Sem ânimo, emoções envenenadas pelo vírus da angústia, os cidadãos entram no limbo catatônico. E assim o mais rico país do mundo em recursos biológicos está se transformando no mais fértil país do mundo em registros necrológicos.
Nessa paisagem desoladora, emerge a figura saltitante do governador exibindo a estética desses tempos macabros. E onde está a prudência do juiz que Bacon tão bem descreveu? "Os juízes devem ser mais instruídos que sutis, mais reverendos do que aclamados, mais circunspetos do que audaciosos. Acima de todas as coisas, a integridade é a virtude que na função os caracteriza".
Gaudêncio Torquato, jornalista, é professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

14 comentários:

Paulo Figueiredo disse...

SUGIRO ABRIR ESPAÇO TAMBÉM PARA ARTIGO DE FERNANDINHO BEIRA MAR.

Loumari disse...

Caro senhor Gaudêncio Torquato, na nossa modéstia e humildade lhe damos as graças pelo seu excelente trabalho de conscientização a sociedade e apelar este povo que a vida é preciosa. Se existissem muitos como você empenhados a conscientizar a população, é certo que muitos recordariam do fundamental sacramental sobre a vida e como um ser humano deve tratar outro ser humano.

O que o nosso Senhor e Rei Jesus Cristo disse? Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus. (Mateus 5:9)

Li uma vez logo depois da eleição de messias bolsonaro, comentário de uma brasileira que dizia: "Esta eleição de bolsonaro é abrir as portas do inferno." Esta sim viu a Besta no seu esplendor. A Besta que vem com a mentira, que traz a destruição e morte.

Uma nação com duzentos milhões de indivíduos que cuja consciência foi esmagada pelo deus Demónio. Se Deus vos desvendasse os olhos para verem o estado do local onde vivem, ninguém havia de querer ficar ali. Brasil está transformado em mar de sangue que já só cheira a podre, cheiro nauseabundo de cadáveres em decomposição de tantos assassinatos, demónios que pairam com as correntes do ar e agitam as mentes das pessoas que vão uma a uma enlouquecendo, fomentando por sua vez a violência, incentivando o ódio, espalhando infâmias, propagando falsas informações, agitar as pessoas para se tornarem robots maleáveis que infundem mentiras, dispersam ódio num tom típico de gentes vindas dos mais profundos dos abismos mais tenebrosos, pois estes, sua finalidade é de destruir a paz, criar um clima do medo, destruir tudo o que funciona e desolar o lugar, destruir todos valores humanos e implantar o terror, legitimar a violência como método de solução aos problemas, matar é legal, insultar é a linguagem na moda, dividir as pessoas segundo seus ídolos...

Aquilo já não tem por onde pegar e o Diabo está a fazer tudo o que lhe apraz com tantos brinquedos postos a sua disposição.

Na população brasileira o Mandamento de Deus que exorta amar teu próximo como a ti mesmo, foi substituído por, odeia a morte todos os que não aderir a tua maneira de pensar.

O Mandamento de Deus que ordena, Não Matarás, foi substituído por, todo brasileiro de bem deve possuir arma para se defender. Bandido bom é bandido morto.

Estas pessoas geraram filhos? Porque seus próprios filhos serão também vítimas mortais de balas destas armas.

Brasileiros trazem nas veias a fúria sanguinária. Se regozijam quando se trata de matar. E manifestam sentimento de deleite quando vêem pessoa que não gostam perder seu netinho, do jeito que os da dita direita brasileira jubilavam com alegria celebrando a morte de uma criança! Estes brasileiros julgam que Deus é cego e surdo. Para já, eles mesmo dizem que Deus é brasileiro; Brasil acima de tudo. Isto porque Deus, o Criador foi suprimido. Vos basta ver que todos os Mandamentos de Deus Santo foram abolidos, o Sagrado profanado, e se assentou o homem autoproclamando-se ele mesmo deus. Deus é brasileiro; Brasil acima de tudo. Este é o 666.

O humano brasileiro se transformou num animal cruelmente diabólico.


Loumari disse...

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO NA MENSAGEM DO DIA 28 DE SETEMBRO DE 2018 DISSE:

A criatura humana deve corresponder a Nosso Amor Divino. Cada um é responsável de sua salvação pessoal e, dentro da Humanidade, cada um deve forjar-se com meta a salvação de seus irmãos. Não podem dar o que não possuem, se a meta pessoal não é fusionar-se com a Nossa Vontade, não poderão ser testemunhos de Nosso Amor para com seus irmãos.

Ainda não compreenderam que quando falta o Amor Divino na vida do homem, este cai na vileza que infunde (dispersa) o mal nas sociedades para que o pecado seja admitido como correcto. Os actos de rebelião assim a Nossa Trindade e assim a Nossa Mãe denotam o progresso do mal em este instante da Humanidade que foi tomada pelas hordas de Satanás, o que prometeu introduzir sua maldade nos filhos de Minha Mãe.

O pecado prolifera igual como a levadura cresce, em estes instantes tudo o que se achar a seu arredor é manchado por maus actos e obras, em ocasiões é por falta de relação com os assuntos de Nossa Casa.

AMADO POVO MEU, EM ESTE INSTANTE JÁ ESTÃO CONFRONTADOS COM O REVELADO POR MINHA MÃE E POR MIM, O QUE DEVE SER PARA VOCÊS CADA DIA UM RENASCER, MOMENTO EM QUE DEVEM MANTER A FORÇA DO MEU ESPÍRITO PARA QUE NÃO CAIAM NOS ATAQUES DO MALIGNO NOS QUAIS A HUMANIDADE É SUBMETIDA CONSTANTEMENTE.

A confusão reina neste momento, os actos indevidos, os actos de pecado, os actos de imoralidade, os actos de heresias, os actos de maldade e os sacrilégios são vistos e tomados com grande indiferença por grande parte dos quais que dizem ser Meus filhos. O falso e indevido, o pecaminoso, se incrustou no homem e este gostou da vida dentro do indevido. O Dilúvio, a destruição da Torre de Babel, Nínive, a destruição de Sodoma e Gomorra, não superaram o comportamento atroz desta geração em que as grandes nações se converteram em nas élites da grande Babilónia.

"NADA LHES IMPORTOU ATÉ QUE VEIO O DILÚVIO E PÔS FIM A TODOS"

Q disse...

Acho que o carioca cansou de ser abatido como gado nos últimos 40 anos, então penso que o atual governador está trabalhando bem.
Bandido bom é bandido morto.

Solange Frota disse...

O Governador comemorou a libertação dos passageiros reféns de um louco e foi aclamado pela grande maioria da população.

Ultra 8 disse...

Sempre este surrado exemplo dos campos de concentração...

E quantos milhões de cristãos, foram mortos fora dos campos de concentração pelo judeu, Hitler?

Cristão, "parece que não existia" na Europa, só pobres judeus.

Cristão não existe, por causa do Talmud que diz :

“Os judeus são chamados seres humanos, mas os não-judeus não são humanos. Eles são bestas.”

– Talmud: Baba mezia, 114b

A Europa cristã, foi trucidada pelo judeu Hitler, e seus colaboradores banqueiros, judeus de Wall Street.

Os campos de concentração, eram na verdade, "campos de passagem" para levar os judeus, ao programado pós guerra, "estado de Israel", o sonho do sionista, Theodore Herzl.

Alguém já leu a carta de Albert Pike a Giuseppe Mazzini?

Anônimo disse...

🇧🇷 "está correto o que li? Chamar um terrorista que ameaçava tocar 🔥 em velhos e crianças de jovem sequestrador" 🇧🇷 meu total apoio ao nosso governador votei nele e com certeza votarei de novo não quer ser abatido NÃO ROUBE NÃO COMETA LATROCÍNIO NÃO SEQUESTRE É NÃO ANDE ARMADO DE FUZIL. 🇧🇷 Seja produtivo trabalhar faz bem.

Iguinácio disse...

É de se pensar a inveja do articulista não estar no interior do ônibus com aquele forte e agradável perfume de gasolina borrifada nas pessoas.
A vítima da sociedade não tinha revólver de verdade, apenas um inocente isquiro gerador de fogo.
Como o fato ocorria a centenas de quilômetros, em um ambiente com ar condicionado da USP tudo pode ser pensado.
Duro será mesmo se a roda girar e expor um "morno" para a realidade.

Anônimo disse...

O autor não comentou mas Witzel é judeu, se não me engano.

Witzel o candidato que realizou a façanha de não pontuar nas pesquisas eleitorais e assim, de repente, aparecer no segundo turno. Algo que me parece impossível do ponto de vista estatístico. Porem, perguntas não foram feitas, deve ser devido ao dogma das "urnas infalíveis". A Justiça Eleitoral exige do brasileiro fé, muita fé! Bastante diferente da postura burocrática do Estado em relação ao cidadão, temos que provar tudo, no papel.

PS: parabéns Ultra 8, enfim a verdade!!

Mauro Moreira disse...

Gaudêncio Torquato é professor a C"USP", portanto, companheiro de Marilena Chaui e tantos outros intelectuais canhotos. A opinião dele não poderia ser diferente.

Mauro Moreira disse...

Sei que o site é democrático, mas seria possível colocar um filtro para bloquear esse ou essa tal de Loumari. Que pessoa mais sem noção do ridículo.

Anônimo disse...

Eu ia achacar o autor, mas só o fato de o loumani o apoiar, já dispensa desmascaramentos; ou seja: Diga-me com quem tu andas, que eu te direi em qual teta você mama.

Anônimo disse...

Gaudêncio Torquato, é professor titular da USP! Precisa comentar alguma coisa?

Anônimo disse...

Gaudêncio, já que você é professor da USP, poderia aproveitar e fazer uma visitinha ao Departamento de Matematica, para ter algumas liçõezinhas básicas. Se, no primeiro trimestre houve 434 mortes de criminosos pela Polícia do Rio, a média diária é de quase CINCO (05) CPFs cancelados, e não SETE. Que burro! Dá zero prá ele! Soberba demais, atrapalha.