segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Histórias Encantadas para adultos dormirem em berço explêndido



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H.James Kutscka

Quem bagunçou minha casinha?

A frase é de “Cachinhos Dourados”, história infantil de Robert Southey, publicada  na Inglaterra  em 1837 e que ganhou o mundo, ajudando inúmeras mães nos cinco continentes a pôr para dormir seus rebentos com o conto da família de ursos que saiu para passear, e teve sua casa invadida e bagunçada por uma loirinha  “desubicada”  (em espanhol fica melhor).

O autor não tinha ideia então, da relevância que sua inocente história iria adquirir ao longo do tempo.

Na Astrofísica, ajudou a nomear a zona próxima a um Sol, mais propícia a abrigar vida.

The Golden Lock Zone. (zona dos cachinhos dourados)

Na área do politicamente correto, uma boa desculpa para desfazer o conceito de “loira burra”.

Mas por que eu estaria falando de cachinhos dourados neste espaço normalmente dedicado a considerações políticas?

Explico: Há muito tempo, não um, mas um grupo de cachinhos dourados sem noção está bagunçando nossa casinha sem consequências.

Sua entrada em nossa casinha foi facilitada por governantes preocupados em cobrir seus traseiros, caso o desfalque perpetrado na casa, fosse um dia descoberto pelos verdadeiros proprietários.

Lá se estabeleceram os “neo cachinhos”, comendo lagostas e tomando vinhos premiados à nossas custas, de forma vitalícia.

Ao longo do tempo se sentiram donos do ”pedaço”.

Usocapião.

De acordo com seus insuspeitados poderes quando os ursos voltassem, bastaria dizer-lhes:

- Perdeu playboy!`

E é aí que os distintos “cachinhos dourados se enganam”.

O estrago que fizeram não lhes vai ficar barato.

Não somos ursos bonzinhos de histórias infantis, temos sangue nos olhos, e o “cachinho dourado” que na semana passada, em uma palestra a banqueiros disse: - “ Se tiver que haver ordem, nunca teremos progresso”, com essa declaração, sutil como uma locomotiva Maria Fumaça em um túnel, deu a entender que a Lava Jato nos últimos quatro anos, travou a economia do país.

Estava como sempre, de maneira abjeta, servindo a seu patrão, o “muar de São Bernardo“, preso em Curitiba, o mesmo que lhe assegurou vida mansa.

Esse será o primeiro a ser defenestrado de nossa casinha e perder seus cachinhos na prisão, onde quiçá poderá receber o carinho de seu “sugar daddy” barbudo.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Nenhum comentário: