terça-feira, 24 de setembro de 2019

A cada dia, nos jornais, só muda a data



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Acho que nossa paciência está igual a vela de filtro d'água que há muito não se limpa. Encardida!

Com o aparecimento do Google, o jornal impresso perdeu totalmente sua serventia. Resta-lhe embrulhar peixe e, feita uma análise mais profunda, limpar a rima.

Em lugar de “maravilhar” seus poucos leitores com intrigas políticas tendenciosas (quando não mentirosas) deveriam adentrar no promissor filão do realismo fantástico.

O terraplanismo é pasto inesgotável para debates acalorados.

O catastrofismo rende páginas e páginas sobre o fim da Terra, após iminente colisão com outros corpos celestes.

Os dragões das guerras dos tronos devem ser estudados e receber denominações científicas (em latim, é claro).

Já o futebol dá claros sinais de saturação. Os times perderam sua identidade visual; as camisetas têm muita propaganda e a frequente mudança de cores, confundindo a cabeça dos torcedores. A introdução do VAR trouxe a insegurança “jurídica” ao trabalho dos árbitros.

As páginas e suplementos culturais perderam leitores e, assim, sua razão de ser.

Reformas monstruosas em edifícios icônicos têm desfigurado marcos de nossa arquitetura. A Biblioteca Mario de Andrade na Avenida São Luiz foi uma das “vítimas” do revisionismo marxista. A Praça do Patriarca foi “liquidada”. A Galeria Prestes Maia, idem. O centro histórico sofreu uma degradação “planejada”. Socorro!

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Anônimo disse...

🇧🇷 Depois dos 7x1 que Alemanha nos aplicou e com a chinelagem que atua pela seleção brasileira perdi completamente o interesse por futebol.