domingo, 15 de setembro de 2019

Queimadas na Mata


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Higino Veiga Macedo

Por ter vivido cerca de quinze anos na Amazônia, conheço-a de Marajó (PA) a Tabatinga (AM) e de Pacaraima (RR) a Humaitá (AM). Por ser mato-grossense do Matogrosso uno, conheço todo o Estado que nasci, incluído o Nortão.
Fico amargurado com tantas idiotices sobre a Amazônia e em particular sobre "queimadas na floresta".

Assim como um gaucho não diz "mate" e sim "chimarrão", um habitante da Amazônia não diz "floresta " e sim "mata". Daí, quando alguém diz "floresta" é porque nada conhece de Amazônia. E a grande maioria dos ditos especialistas, em particular os ditos repórteres investigativos, das grandes emissoras, não sabem o que é Amazônia e o que é Amazônia Legal, a que pertence ao Brasil.

A Amazônia Legal foi estabelecida pela  Lei nº 5.173, de 27 de outubro de 1966:
Art. 1º - O Plano de Valorização Econômica da Amazônia obedecerá às seguintes disposições da presente Lei. (Redação dada pela Lei nº 5.374, de 1967)
Art. 2º - A Amazônia, para os efeitos desta lei, abrange a região compreendida pelos Estados do Acre, Pará e Amazonas, pelos Territórios Federais do Amapá, Roraima e Rondônia, e ainda pelas áreas do Estado de Mato Grosso a norte do paralelo de 16º, do Estado de Goiás a norte do paralelo de 13º e do Estado do Maranhão a oeste do meridiano de 44º.



A única coisa que mudou disso foi a criação do Tocantins, e a divisão de Mato Grosso, mas sem alterar a área. O que se denomina de Amazônia Legal tem a bagatela de 5.217.423 km², de área que corresponde a 61% do território brasileiro.
Nesta área cabe quase toda a Europa Ocidental. Veja o quadro:

Ucrânia
França
Espanha
Suécia
Noruega
Alemanha
Finlândia
Polônia
Itália
603.700
547.030
504.782
449.964
386.433
357.021
337.030
312.685
301.230
Reino Unido
Bielorrússia
Grécia
Bulgária
Islândia
Hungria
Portugal

244.820
237.500
207.600
131.940
110.910
103.000
93.030
92.391

SOMA ......................................................................................................................5.021.066

Daí ser irritante ouvir  âncoras de televisão, com vozes empostadas e ares de assustados, em perfeita interpretação teatral, falar em "queimadas das florestas; floretas em chamas; Amazônia ardendo"...

Pior, ouvir um Presidente que mal administra o seu país, querer dar lições de moral, país que foi secular colonialista. E, pior ainda, são alguns a oferecer esmolas como que querendo  comprar a soberania com moedas sabe lá de que origem.

Uma lição aos incautos. Não há como queimar a mata. A Amazônia Legal é composta de quatro quadrantes distintos em flora e solo. É só ir visitá-la dando o sangue ao pium e ao carapanã para se certificar. Sendo didático: considere o leito do Amazonas, desde Tabatinga, como horizontal, e a linha Pacaraima à foz do Rio Teles Pires no Rio Juruena, formadores do Tapajós, como vertical. Cada quadrante é um subcontinente: solo, vegetação, população, costumes e valores distintos.

Se há queimadas de campo, é entre a Transamazônica, abandonada pelos comunistas, até, no máximo o limite da Amazônia Legal. Entra aí o conhecido "Nortão do Matogrosso". Aí a agricultura avança. E porque aí a agricultura avança?
Basta consultar  a LEI No 5.917, DE 10 DE SETEMBRO DE 1973. A que aprova o Plano Nacional de Viação e dá outras providências. Veja:

Art 1º. Fica aprovado o Plano Nacional de Viação (PNV) de que trata o artigo 8º, item XI, da Constituição Federal, representado e descrito complementarmente no documento anexo contendo as seguintes seções: 1. Conceituação Geral, Sisteria Nacional de Viação. 2. Sistema Rodoviário Nacional: 2.1. conceituação; 2.2 nomenclatura e relação descritiva das rodovias do Sistema Rodoviário Federal, integrantes do Plano Nacional de Viação.
..........................................................................
Art 18. O artigo 1º do Decreto-lei nº 1.164, de 1º de abril de 1971, modificado pelo Decreto-lei nº 1.243, de 30 de outubro de 1972, passa a ter a seguinte redação: "Art. 1º São declaradas indispensáveis à segurança e ao desenvolvimento nacionais, na região da Amazônia Legal, definida no artigo 2º, da Lei nº 5.173, de 27 de outubro de 1966, as terras devolutas situadas na faixa de cem quilômetros de largura, em cada lado do eixo das seguintes rodovias já construídas, em construção ou projetadas"(negritei).

Esta lei lista todas as BR do Plano Nacional de Viação. Daí, se há desmatamento acima dos cem quilômetros do eixo estradal, foi por culpa de vários "populistas bonzinhos".

Nasci na região de cerrado – Terenos – MS. E desde menino vejo fogo no Cerrado. Há até, entre os regionais: índios, quilombolas e caboclos a lenda de que o "cerrado vive por ser purificado pelo fogo".  Mais ambientalista que eles, acho difícil existir.
E vem agora, maus brasileiros, a serviço de ideologia espúria, "alimentar braseiro" onde não há fogo?

Não existe, nunca existiu e nem há como existir queimada na mata. Há no cerrado. Há nos campos de pastagens.

Higino Veiga Macedo é Coronel da arma de Engenharia.

Um comentário:

Anônimo disse...

O que foi explicado neste artigo deveria ter sido argumentado pelo presidente Bolsonaro de maneira didática para fácil entendimento, quando começaram os ataques de Lacron.