quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Jogada das viúvas: Ligar Bolsonaro à morte de Marielle


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

As mais recentes manchetes e acusações da grande mídia, encabeçada pelo Grupo  Globo, que buscam, maliciosa e mentirosamente, de todas as formas possíveis (e impossíveis), envolver o nome do Presidente Bolsonaro no assassinato da vereadora Marielle Franco, do Rio de Janeiro, certamente, por um lado, não passam de “revide”, de uma “vingança”, pelo corte das verbas “mamatas” federais das quais eram beneficiários, de longa data, decretado pelo atual Presidente.

Prudente é recordar que mediante essas “generosas” verbas federais, cortadas por Bolsonaro, praticava-se um “toma lá-dá-cá” na sua mais pura acepção. Em face das “generosidades” dos governos ,esses recebiam em troca da grande mídia total sustentação, no que dependesse da de uma opinião pública favorável, manipulada criminosamente, chegando ao ponto  da lavagem cerebral contínua. Os governos não tinham “promotores” na mídia para acusá-los  dos seus malfeitos; só “defensores”. E essa grande mídia “comprava” os governos ... com mídia; e era “comprada” por eles, simultaneamente, com verbas públicas!!!

Resumidamente, podemos garantir que a grande mídia “elegeu”, ou “sustentou”, conforme o caso, e enquanto lhe interessava, todos os governos que se instalaram no Brasil,  antes,  e  principalmente, a partir de 1964, passando pelo Regime Militar (1964 a 1985), pelo Governo  Sarney/MDB (Nova República), pelo período de  Collor/Itamar, FHC,Lula, Dilma/Temer. Só parou com Bolsonaro, eleito em outubro de 2018, sem o apoio, e mesmo a contragosto  dessa grande mídia.                                                                                                                                                
Mas, “coincidentemente”, antes de Bolsonaro, sem exceção,  todos os governos eram “endeusados” pela grande mídia. Com a posse do “capitão”, em 1º de janeiro de 2019,o governo passou a ser “demonizado”, durante as 24 horas de todos os dias. Certamente foi resultante das “tetas” governamentais   que secaram para a grande mídia.

Interessante  e revoltante  é destacar que o agravamento repentino desse “ataque” injusto,inoportuno  e covarde contra o Presidente da República ,quando apontaram contra ele  todos os “canhões” midiáticos, tem a outra “coincidência” incrível de acontecer  exatamente no momento do depoimento ao Ministério Público do ex-marqueteiro do PT e de Lula, operador do “mensalão”, Marcos Valério, dando conta, na sua “colaboração”, que Lula teria sido um dos mandantes do assassinato do então Prefeito de Santo André/SP, do PT, Celso Daniel, em 2002, suspeita essa que até já estava quase  “esquecida” e  “enterrada”, por essa mesma grande mídia , que agora “força a barra” para desviar o foco  de “Celso Daniel”, envolvendo, bem “fresquinho”, Bolsonaro no assassinato de Marielle Franco.

Ao caluniar Bolsonaro, tentando comprometê-lo pela morte da vereadora Marielle Franco, a grande mídia, e seus comparsas, engajados  com as forças políticas de oposição ao Governo, todavia desprovidos de qualquer princípio ético, e à falta de quaisquer provas mais robustas, tentam “ganhar-no-grito”, no tamanho das letras das manchetes , e nos grandes  espaços e tempo de  todos os tipos de veículos de comunicação, como jornais, rádio e televisão.

Tentam  “compensar”, corromper a verdade, com a força do poder midiático, sem  qualquer prova sólida que possa envolver o nome do Presidente pela morte de Marielle Franco.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

7 comentários:

Anônimo disse...

A rede Globo poderia ao menos mudar de cadáver, né,para cometer seus crimes de calúnia, difamação, denunciação caluniosa, etc, e deixar a Marielle descansar em paz. Mas qual o que, fixação é fixação e só Freud explica.
Esther

Ruth coriar. disse...

WILSON WITZEL VAZOU?

A GUERRA DE NARRATIVAS ESTÁ INFLAMANDO O POVO – CUIDADO!
Não estou querendo defender, mas estou propondo reflexão.

Já sabemos que toda a matéria que levantou essa polêmica é falsa, porque esse detalhe seria verdadeiro?
Não quero defender, mas pensar.

O presidente Bolsonaro afirmou por mais de uma vez que encontrou Wtzel em clube militar e este lhe teria dito que o processo tinha ido para o STF e, ao ser perguntado sobre que processo, Witzel respondeu que era sobre o assassinato de Marielle.
É nesta afirmação do presidente que me pego encontrando uma incongruência.
Witzel além de juiz é também militar, ou seja; não é idiota, entende de dano jurídico e estratégia. Por que ele comentaria com o próprio presidente, cara a cara, em um lugar que não tem risco de ser flagrado por qualquer imprensa e dias depois iria vazar a informação para a maior emissora do país, sem imaginar que o presidente lembraria de imediato dessa conversa e o acusaria como informante.
Witzel tem sim diferenças com o Flávio, não é segredo pra ninguém quanto mais para a Globo.
Dar um tiro para acertar dois alvos com uma única bala seria uma jogada de mestre da Globo. Derrubar um presidente ou no mínimo um governador aliado ao conservadorismo, com pauta de direita. enfraquecer esse governo agora é um prato cheio para as eleições do ano que vem….Lá vem Eduardo Paes e Frouxo de novo…
Na eleição estadual mais surpreendente das últimas décadas, o ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC) foi escolhido governador do Rio, com quase 60% dos votos válidos, derrotando o ex-prefeito da capital Eduardo Paes (DEM). Com 100% das urnas apuradas, Witzel recebeu 59,87% dos votos válidos, ante 40,13% do total de votos do segundo colocado, o candidato do Democratas (DEM), Eduardo Paes.
Seu posicionamento como “outsider”,seu discurso duro quanto à segurança pública e ao combate da corrupção e a associação de Paes ao grupo político até então hegemônico no Rio, entre eles, o ex-governador Sérgio Cabral (MDB), preso pela Lava Jato, além do mais foi servidor público com passagens pela Marinha, o Instituto de Previdência do Município do Rio (Previ-Rio) e a Defensoria Pública. Isso o elegeu, o Rio não tinha opção. E ainda não tem.
Quanto ao fato dele saber sobre o tal “segredo de justiça”, cá pra nós, vamos falar a verdade, apesar de ser “inconstitucional” qual chefe do executivo não sabe?

Ruth coriar. disse...

WILSON WITZEL VAZOU?

A GUERRA DE NARRATIVAS ESTÁ INFLAMANDO O POVO – CUIDADO!
Não estou querendo defender, mas estou propondo reflexão.

Já sabemos que toda a matéria que levantou essa polêmica é falsa, porque esse detalhe seria verdadeiro?
Não quero defender, mas pensar.

O presidente Bolsonaro afirmou por mais de uma vez que encontrou Wtzel em clube militar e este lhe teria dito que o processo tinha ido para o STF e, ao ser perguntado sobre que processo, Witzel respondeu que era sobre o assassinato de Marielle.
É nesta afirmação do presidente que me pego encontrando uma incongruência.
Witzel além de juiz é também militar, ou seja; não é idiota, entende de dano jurídico e estratégia. Por que ele comentaria com o próprio presidente, cara a cara, em um lugar que não tem risco de ser flagrado por qualquer imprensa e dias depois iria vazar a informação para a maior emissora do país, sem imaginar que o presidente lembraria de imediato dessa conversa e o acusaria como informante.
Witzel tem sim diferenças com o Flávio, não é segredo pra ninguém quanto mais para a Globo.
Dar um tiro para acertar dois alvos com uma única bala seria uma jogada de mestre da Globo. Derrubar um presidente ou no mínimo um governador aliado ao conservadorismo, com pauta de direita. enfraquecer esse governo agora é um prato cheio para as eleições do ano que vem….Lá vem Eduardo Paes e Frouxo de novo…
Na eleição estadual mais surpreendente das últimas décadas, o ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC) foi escolhido governador do Rio, com quase 60% dos votos válidos, derrotando o ex-prefeito da capital Eduardo Paes (DEM). Com 100% das urnas apuradas, Witzel recebeu 59,87% dos votos válidos, ante 40,13% do total de votos do segundo colocado, o candidato do Democratas (DEM), Eduardo Paes.
Seu posicionamento como “outsider”,seu discurso duro quanto à segurança pública e ao combate da corrupção e a associação de Paes ao grupo político até então hegemônico no Rio, entre eles, o ex-governador Sérgio Cabral (MDB), preso pela Lava Jato, além do mais foi servidor público com passagens pela Marinha, o Instituto de Previdência do Município do Rio (Previ-Rio) e a Defensoria Pública. Isso o elegeu, o Rio não tinha opção. E ainda não tem.
Quanto ao fato dele saber sobre o tal “segredo de justiça”, cá pra nós, vamos falar a verdade, apesar de ser “inconstitucional” qual chefe do executivo não sabe?

Ruth coriar. disse...

WILSON WITZEL VAZOU?

A GUERRA DE NARRATIVAS ESTÁ INFLAMANDO O POVO – CUIDADO!
Não estou querendo defender, mas estou propondo reflexão.

Já sabemos que toda a matéria que levantou essa polêmica é falsa, porque esse detalhe seria verdadeiro?
Não quero defender, mas pensar.

O presidente Bolsonaro afirmou por mais de uma vez que encontrou Wtzel em clube militar e este lhe teria dito que o processo tinha ido para o STF e, ao ser perguntado sobre que processo, Witzel respondeu que era sobre o assassinato de Marielle.
É nesta afirmação do presidente que me pego encontrando uma incongruência.
Witzel além de juiz é também militar, ou seja; não é idiota, entende de dano jurídico e estratégia. Por que ele comentaria com o próprio presidente, cara a cara, em um lugar que não tem risco de ser flagrado por qualquer imprensa e dias depois iria vazar a informação para a maior emissora do país, sem imaginar que o presidente lembraria de imediato dessa conversa e o acusaria como informante.
Witzel tem sim diferenças com o Flávio, não é segredo pra ninguém quanto mais para a Globo.
Dar um tiro para acertar dois alvos com uma única bala seria uma jogada de mestre da Globo. Derrubar um presidente ou no mínimo um governador aliado ao conservadorismo, com pauta de direita. enfraquecer esse governo agora é um prato cheio para as eleições do ano que vem….Lá vem Eduardo Paes e Frouxo de novo…
Na eleição estadual mais surpreendente das últimas décadas, o ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC) foi escolhido governador do Rio, com quase 60% dos votos válidos, derrotando o ex-prefeito da capital Eduardo Paes (DEM). Com 100% das urnas apuradas, Witzel recebeu 59,87% dos votos válidos, ante 40,13% do total de votos do segundo colocado, o candidato do Democratas (DEM), Eduardo Paes.
Seu posicionamento como “outsider”,seu discurso duro quanto à segurança pública e ao combate da corrupção e a associação de Paes ao grupo político até então hegemônico no Rio, entre eles, o ex-governador Sérgio Cabral (MDB), preso pela Lava Jato, além do mais foi servidor público com passagens pela Marinha, o Instituto de Previdência do Município do Rio (Previ-Rio) e a Defensoria Pública. Isso o elegeu, o Rio não tinha opção. E ainda não tem.
Quanto ao fato dele saber sobre o tal “segredo de justiça”, cá pra nós, vamos falar a verdade, apesar de ser “inconstitucional” qual chefe do executivo não sabe?

Anônimo disse...

Enquanto não mostrarem à população um desdobramento mais prejudicial à sociedade, a execução de Celso Daniel, como uma questão interna, interessa apenas ao movimento comunista, porque eles se matam entre si: um a menos. Celso Daniel não era mais honesto do que Lula, porque concordava com o achaque aos empresários para financiar o movimento revolucionário, apenas não queria que o roubo efetuado fosse parar no bolso de militantes.

Ruth coriar. disse...

WILSON WITZEL VAZOU?

A GUERRA DE NARRATIVAS ESTÁ INFLAMANDO O POVO – CUIDADO!
Não estou querendo defender, mas estou propondo reflexão.

Já sabemos que toda a matéria que levantou essa polêmica é falsa, porque esse detalhe seria verdadeiro?
Não quero defender, mas pensar.

O presidente Bolsonaro afirmou por mais de uma vez que encontrou Wtzel em clube militar e este lhe teria dito que o processo tinha ido para o STF e, ao ser perguntado sobre que processo, Witzel respondeu que era sobre o assassinato de Marielle.
É nesta afirmação do presidente que me pego encontrando uma incongruência.
Witzel além de juiz é também militar, ou seja; não é idiota, entende de dano jurídico e estratégia. Por que ele comentaria com o próprio presidente, cara a cara, em um lugar que não tem risco de ser flagrado por qualquer imprensa e dias depois iria vazar a informação para a maior emissora do país, sem imaginar que o presidente lembraria de imediato dessa conversa e o acusaria como informante.
Witzel tem sim diferenças com o Flávio, não é segredo pra ninguém quanto mais para a Globo.
Dar um tiro para acertar dois alvos com uma única bala seria uma jogada de mestre da Globo. Derrubar um presidente ou no mínimo um governador aliado ao conservadorismo, com pauta de direita. enfraquecer esse governo agora é um prato cheio para as eleições do ano que vem….Lá vem Eduardo Paes e Frouxo de novo…
Na eleição estadual mais surpreendente das últimas décadas, o ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC) foi escolhido governador do Rio, com quase 60% dos votos válidos, derrotando o ex-prefeito da capital Eduardo Paes (DEM). Com 100% das urnas apuradas, Witzel recebeu 59,87% dos votos válidos, ante 40,13% do total de votos do segundo colocado, o candidato do Democratas (DEM), Eduardo Paes.
Seu posicionamento como “outsider”,seu discurso duro quanto à segurança pública e ao combate da corrupção e a associação de Paes ao grupo político até então hegemônico no Rio, entre eles, o ex-governador Sérgio Cabral (MDB), preso pela Lava Jato, além do mais foi servidor público com passagens pela Marinha, o Instituto de Previdência do Município do Rio (Previ-Rio) e a Defensoria Pública. Isso o elegeu, o Rio não tinha opção. E ainda não tem.
Quanto ao fato dele saber sobre o tal “segredo de justiça”, cá pra nós, vamos falar a verdade, apesar de ser “inconstitucional” qual chefe do executivo não sabe?

Chauke Stephan Filho disse...

Cansei-me de passar raiva ou tédio vendo os telejornais. Depois que assaltantes furtaram o meu televisor, não comprei outro.