terça-feira, 29 de outubro de 2019

Milongas e Curtas



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Aqui nossa democracia tomou uma facada; a deles uma punhalada !

Já era esperada a volta da mina tarada.

No entanto, não é um conto de fada. É sim, de bruxa de Halloween !

Mas a lição mais proveitosa para o nosso querido Mito, é entender que não se pode enxugar gelo indefinidamente. O derrotado pagou caro por sua inação. Contemporizar com bandido não tem nenhum sentido.

Ainda que a hipótese não curtas, afasta o ministro sinistro, tipo cegonha. Levou-te no bico e na lábia e impediu a medida mais sábia.

GERAR EMPREGOS!

Mais importante que acabar com pelegos.

“Remember Pearl Harbour!” De boas intenções o Inferno está cheio.

É verdade que os ladropositores de Pindorama são mais mixos; contudo, não devemos subestimá-los. Já disseram que farão “de tudo !”

Por enquanto o Grande Árbitro está mudo, mas acho que a orgia não passa do entrudo.

Estefe (ou quase isso) virará chouriço; o cão egresso ainda abana o rabo em busca do osso perdido e a máquina administrativa, por boicote, está à deriva.

Bolsonaro, meta o pé na porta senão Inês é morta!


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador e um dançarino emérito de tango argentino.

Um comentário:

Anônimo disse...

O presidente só poderia meter o pé na porta se tivesse o apoio irrestrito de seus eleitores QUANDO FOSSEM PARA A PORTA DOS QUARTEIS pedir intervenção AOS MILHÕES. Na democracia representativa, não adianta o eleitor querer quebrar as regras com a mão do gato: tem que assumir sua responsabilidade nessa situação, porque é o único soberano para fazê-lo. Sem isso, as mudanças ocorrerão com a lentidão característica dos debates democráticos, que dependem da força política para exigir algo. E a força politica é construída com a união em torno de um chefe que a representa (um Rei no xadrez).