quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Papanatas



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

O cara borrou-se. Tentou uma epopéia e conseguiu uma papacopéia.

Quis vitimizar-se de Medéia e saiu-se como a bruxinha Meméia.

Talvez se associe a Eurípides numa startup de velocípedes.

Poderia, também, vender os direitos autorais de seus antigos vândalos para uma série de TV: “Os vatiscândalos”.

Teríamos então, a história de um espanhol chamado Borges e de seus filhos Lucrécia e Cesar; este dito Valentino, criado duque por um francês cretino.

Bom em política, de faro fino e olho vivo, serviu de inspiraCão para um florentino biduzão escrever um manual de comportamento eficaz.

Bons tempos em que a escola era risonha e franca.

Aprendia-se um pouco de história, de vida e de humana glória.

Hoje o que se esconde atrás de purpúrea veste, crendo ser um ente celeste, não passa de mero cabra da peste.

Devemos propugnar pelo enxugamento do número de estados, por fusão ou confusão. O Piauí e o Maranhão dariam um bom Piorão; se for com o Ceará a coisa, Piorará.

No passado, um governador de um estado fronteiriço a São Paulo, instalou enormes placas depois da divisa: ”Aqui se trabalha!” O chefe do Executivo bandeirante afixou outras: “São Paulo, aqui trabalho não é novidade!”

E o Brasil cresce, aos trancos e barrancos, para ventura de meus cabelos brancos.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: