sábado, 5 de outubro de 2019

Sobre a perseguição policial do ano



Edição Atualizada do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

Alguns vídeos viralizaram, nos últimos dias, como expressão de revolta das pessoas com o crime, a corrupção, a violência e, acima de tudo, contra a impunidade. A galera da Internet se emputeceu com o desagravo de Nhonhô Rodrigo Maia a favor do deputado petista José Guimarães – que foi esculachado por um passageiro em um vôo. Houve replay em outra viagem. Capitão Cueca terá de se deslocar a pé, sozinho e disfarçado...

Nesta sexta-feira, um outro vídeo viralizado expressou a bronca da população com a insegurança diante da bandidagem que age solta na maior cidade do País. As imagens foram feitas pela câmara on board na motocicleta de um Policial Militar em São Paulo. As cenas são impressionantes. Dignas de uma perseguição que nem os melhores filmes policiais de Hollywood conseguiriam produzir. Cinco minutos eletrizantes expressam a indignação, a coragem e a persistência do PM – certamente cansado de levar desvantagem em relação à bandidagem organizada. O vídeo vazou por indignação...


Tudo aconteceu dia 10 de setembro. Uma equipe de motociclistas da PM fazia patrulhamento de rotina pela Avenida Nações Unidas. No cruzamento da Avenida Cidade Jardim com a rua Doutor Mário Ferraz, um homem pilotando uma Honda CG 150 preta e carregando uma mochila do aplicativo UberEats Delivery ficou nervoso com a aproximação da polícia – que mandou ele parar. O motoboy partiu em disparada e desafiou a PM a fazer a espetacular perseguição de cinco minutos pelo bairro dos Jardins, na Zona Sul de São Paulo.        

A caçada começou pela contramão da avenida Cidade Jardim, sentido Centro. O bandido demorou a perder o controle da moto. Ele e o policial que o filmava deram um show assustador de pilotagem. O jovem tranqueira só caiu na Praça Califórnia, nos Jardins. Foi tão ousado que ainda tentou fugir a pé, mas foi detido. Chegou a levar chutes de um PM. Na cintura do inocente rapaz, havia um revólver Taurus calibre 38, com munição intacta e numeração raspada.

Disfarçado de entregador de comida por aplicativo, o criminoso confessou que realizaria assaltos de relógios de luxo na região do Itaim Bibi e Jardim Europa, também na zona sul. Mas como não havia nenhum produto de roubo ou furto com em poder dele, o motoqueiro foi levado para o 14º Distrito Policial. Foi indiciado por porte ilegal de arma de uso restrito. A Polícia acredita que ele faça parte de uma quadrilha especializada em roubo de Rolex.

É fundamental ressalvar os excessos do vídeo. É muito mais importante destacar a resiliência do policial – claramente indignado com a sensação de impunidade. O sujeito que ele perseguiu, perigosamente, brevemente estará nas ruas assaltando novamente. A Polícia apenas enxuga gelo. O crime compensa. O mercado negro de jóias roubadas fala mais alto. A bandidagem, na rua, age de maneira assimétrica. Os receptadores organizados não são apanhados porque, claramente, não existe interesse do “Sistema”. Viva o Mecanismo.

Por falar em bandidos de elite, constatemos a previsão de fracasso retumbante na Lava Jato, daqui para frente. É fortíssima a impressão de que a derrota da Justiça interessa ao “Sistema”. O ex-petista Antônio Palocci Filho fez denúncias gravíssimas de corrupção contra a companheirada e importantes dirigentes do mundo financeiro. Só que as revelações de Palocci tendem a dar em nada. Além de ser gigantesca a possibilidade dos crimes denunciados por ele prescreverem, é forte a tendência à impunidade.

O “circo” está armado para nada avançar de verdade. O Ministério Público Federal não aceita a Colaboração Premiada de Palocci feita à Polícia Federal. Já está evidente que o MPF vai fazer corpo mole nos processos. Os promotores e procuradores alegam falta de provas. Cada vez fica mais claro que a gloriosa Lava Jato chegou ao limite. Peixes grandes não serão mais apanhados. Mas, se por acaso forem, o teatro programa que os crimes deles prescreverão.

O Brasil precisa de milhões de cidadãos com a coragem, persistência e determinação do PM que filmou a louca perseguição ao ladrão de relógio em São Paulo. O policial tem de receber do Governador de São Paulo a homenagem na próxima edição mensal do Prêmio Policial Nota 10. A maioria não agüenta mais o triunfo dos bandidos. As reações da sociedade se multiplicam. O barril brasileiro precisa de muito pouco para explodir...

Vagabundo não trabalha o Uber

A Assessoria do Uber manda a seguinte nota de esclarecimento ao Alerta Total sobre o motociclista perseguido pela PM em São Paulo:

A Uber informa que a motocicleta em questão não está cadastrada para realizar entregas pelo aplicativo. A empresa esclarece que as mochilas distribuídas ou vendidas aos entregadores podem ser revendidas por eles, emprestadas ou até mesmo furtadas, portanto o simples uso de elementos com o logotipo da empresa não é um indicativo confiável de qualquer cadastramento no app. O que assegura que alguém é motociclista que atua como entregador parceiro são as informações disponíveis dentro do próprio app ao fazer o pedido, como placa da moto e nome do entregador.

Como parte do processo de cadastramento para utilizar o aplicativo do Uber Eats, todos os entregadores parceiros passam por uma checagem de antecedentes criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos pelo próprio motorista e com consentimento deste, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o País em busca de apontamentos criminais, na forma da lei.  




 Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 5 de Outubro de 2019.

6 comentários:

Anônimo disse...

Piadinha - Esse cara não era ladrão não,; ele é entregador de comida; ele atrasou a entrega 5 minutos (por isso da perseguição corretivo), aqui não é Rio de janeiro não, aqui é São Paulo, aqui a disciplina é outra.

Augusto disse...

Bombeiro Militar da RR está desaparecido há três dias, após pegar carona em caminhão com destino a Porto.
Sua esposa está desesperada. O último contato foi através de um vídeo que ele fez do seu próprio celular onde aparece o motorista que lhe deu carona.
Por favor divulgue A família esta desesperada!.
https://www.facebook.com/luizaugusto.soutomaior/videos/2566831886672910/

Vanderlei Lux disse...

"UMA FACHADA CHAMADA BRASIL"

Nesse sábado, cinco de setembro de 2019, a deputada federal Joice Hasselmann publicou em sua página no Facebook que estamos "vivendo tempos muito estranhos", se referindo a quebra da constitucionalidade entre os tais "poderes" que mandam, de fachada, no Brasil.

Joice se referia à uma publicação, no Twitter, do jornalista Mário Sabino, donde ele dizia que "O STF acha 'normal' o inquérito aberto por Dias Toffoli (que censurou a revista Crusoé e levou Sabino a depor na PF), Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre também acham tal inquérito 'normal', assim como o 'novo' PGR: Augusto Aras".

Pergunto à deputada: "Minha nobre senhora, por acaso em que país a senhora vive?".

Muitas pessoas pensam que sabem o que o Brasil é de fato, mas na verdade, como nação e como indivíduos, são ostensivamente enganadas pelas aparências.

Os brasileiros, em geral, em virtude de sua ignorância e apatia, pensam viver em uma democracia pelo simples fato de que temos eleições regularmente. Afinal, temos a ingênua impressão de possuir algum “poder”, pelo simples fato de que nos é dado o “direito” de eleger um representante político que pareça atender aos nossos interesses e as nossas expectativas. Mas não somos, de fato, uma democracia. Na verdade, nunca nem sequer chegamos perto disso. Mas se não somos uma democracia, o que somos, então?

A definição mais lógica e óbvia do sistema sob o qual se assenta o Brasil é – de forma ainda mais acentuada desde a retomada do regime “democrático”, que ocorreu com a eleição de Fernando Collor – uma plutocracia oligárquica, explícita escravidão estatal, que, além de injusta, promove a desigualdade social, e mantém a população vulnerável a um sistema oligárquico no qual a elite governamental posiciona-se sobre o eixo axial da manutenção de sua própria influência, em um ignóbil, imoral, farsesco e famigerado rodízio de poder, repleto de riquezas e privilégios, que busca garantir a sua perenidade.

Desta forma, os políticos são ostensivamente servidos pelo sistema que tem neles o seu eixo central, enquanto convenientemente perpetuam-se no poder, através de cargos públicos eleitos ou comissionados.

Como temos a obrigação civil de votar, cria-se a ilusão de que vivemos em uma democracia, mas na verdade, são sempre os mesmos que ocupam – ou se revezam – no poder, servindo-se do sistema oligárquico criado para atendê-los, e que eles tão diligentemente lutam para manter, no período em que exercem os seus respectivos cargos. Em uma verdadeira democracia, não poderia haver reeleições. E vou mais além: o político que já ocupara algum cargo eletivo anteriormente, perderia todos os seus direitos políticos, após.

Assim, voltando à questão sobre "tempos estranhos" ditos pela nobre deputada Joice Hasselmann, eu mesmo respondo:

"A oligarquia em que vivemos, dentre as inúmeras maledicências que difunde, perpetua o grande mal do político de carreira, em virtude do fato de que cria um ambiente maléfico, estagnado, repulsivo e improdutivo, que propicia a ascensão de parasitas estatais, indivíduos que não farão absolutamente nada, apenas se perpetuarão indefinidamente em cargos públicos, com o objetivo de ter segurança financeira. Na melhor das hipóteses, serão vagabundos muito bem remunerados. Na pior, serão vagabundos muito bem remunerados engajados em esquemas fraudulentos e em corrupção de hierarquias cruzadas, para ficarem ainda mais ricos do que seriam, caso fossem servidores públicos “honestos” e “diligentes”. Resumindo: não adianta você ir votar, e esperar que as coisas mudem, pois elas não irão mudar. Uma mudança real implicaria em uma alteração drástica de todo o sistema. Esta plutocracia oligárquica na qual vivemos teria de ser veementemente erradicada, e suplantada por uma real democracia, antes que pudéssemos contemplar quaisquer perspectivas de mudanças."

Entretanto sei que a nobre Joice Hasselmann não gostará dessa resposta...

Anônimo disse...

Tinha que colocar é os juizes e um corajoso como o Gilmar Mendes a correr atrás de um bandido destes, que com certeza, depois do esforço heróico e hercúleo destes brigadianos paulistas, será solto por um juiz do ar condicionado! Só um milagre homens como estes policiais ainda não trocaram de profissão, pois fazer o que eles fizeram de moto para pegar o meliante nem artista velho de circo se atreve! Parabéns, brigada de São Paulo, exemplo para o Brasil! E promoções merecidas para estes brigadianos, viu, governador Dória???

Anônimo disse...

Aquela ITAIPÚ é milagrosa por ainda funcionar, por aguentar tantos picaretas juntos mamando em suas tetas! Por lá já passou a Gleise Amante como "administradora", o Deputado Federal do Mato Grosso do Sul, lider do Temer, esta "namorada" do Lularápio, claro que todos grandes "entendidos" de energia elétrica, principalmente dos altíssimos salários recebidos para fazer coisa alguma! Sem falar em um batalhão de "conselheiros" recebendo livres entre dez a vinte mil reais por mes para comparecer uma vez ao mes e opinar sobre coisa alguma sobre seus problemas e soluções, por conhecerem de eletricidade só aquela que sai das tomadas!

Anônimo disse...

Os policiais não aguentam mais a situação de impunidade dos bandidos e perseguição a profissionais honestos, tanto que é alto o número de suicídios na corporação (reportagem disse que o número de policiais suicidas é maior do que os mortos em serviço).