segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Um “partido” no sentido lato da palavra


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Enquanto nosso presidente, alheio aos “imbroglios” causados por membros do PSL, como um neo Marco Polo, trilha os modernos caminhos da seda e da tecnologia buscando recursos para nosso país, membros da sigla inclusive de sua família, estão envolvidos em uma trama de disputa de poder em um enredo de fazer corar o pobre Hamlet.

Nele, bruxas, vaticínios, traição e mentiras, são a moeda corrente, mas estes são apenas os bastidores.

A grande farsa é encenada perante a nação por onze mequetrefes fantasiados de juízes com direito à transmissão direta para todo país.

Uma farsa por definição, é uma representação onde situações ridículas e ardilosas, são encenadas por atores mambembes em apenas um ato.

Já no palco iluminado do STF, a pantomina não tem fim.

Na semana passada, assistimos mais um ato, onde os atores vomitaram sobre a plateia uma verdadeira diarreia verbal com pedaços mal digeridos de “juridiquês”, (desculpem a imagem escatológica) na tentativa de justificar o injustificável.

Teatro de fancaria, onde exibiram brilhantemente seu comportamento ardiloso, não no sentido da esperteza, mas no de: cheio de arapucas prontas para aprisionar cérebros incautos.

Os amáveis leitores com razão pensarão: “Não foram todos os onze”, e tem razão.

Não seria uma farsa se não houvesse, os “mocinhos”.

Eles são necessários para dar uma aparência de legalidade, não se enganem.
Seria cômico não se tratasse do futuro de uma nação, onde as Forças Armadas parecem estar em coma profundo e população mesmerizada pela mídia à serviço dos globalistas interessados em manter a América Latina no atraso e humilhada. Entre suas armas, contam com a lábia e a cobiça dos políticos.
Equador, Peru, Bolívia, agora Chile e Argentina estão sendo abordados pelas hostes de Maduro e Raul Castro infiltradas.

Organizar manifestações, criar desordem pública, instalar o caos, são as ordens vindas dos globalistas.

Castro e Maduro são meros marionetes que enviam seus agentes disfarçados de emigrantes ou ajuda médica.

O objetivo é mesmo dos cercos medievais, sufocar o inimigo, no caso o Brasil.

O botim é o maior da história da humanidade: Minérios em quantidades inimagináveis, agricultura e pecuária suficientes para matar a fome do mundo, água potável para saciar a toda sede existente e um povo dócil,  (parodiando Zé  Ramalho: Povo marcado , gado feliz) fácil de ser “levado no tapa”.    Em uma palavra, poder.

Erraram no detalhe, o povo uma vez dócil, deixou de sê-lo nas últimas eleições.
Quando este artigo for publicado, a sorte da Argentina já terá sido decidida. Se escolherem errado saibam, não choraremos por ti Argentina.

Temos um presidente que sim, precisa de um partido coeso para chamar de seu, mas com partido ou sem, tem uma meta, e não vai se desviar dela.
Tenho um amigo que compara o Brasil com um elefante dormindo com formiguinhas (seus países vizinhos) segundo ele, a maior preocupação delas deveria ser adivinhar para que lado ele vai se virar, o resto, inclusive a farsa do STF a serviço da impunidade, é papo furado.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Nenhum comentário: