quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Areia na Engrenagem


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Tentarei fazer algo de útil. Alertar nosso querido Mito sobre ineficiências em áreas vitais do governo; por incompetência ou má fé.

Fariseus de todo jaez repetem o mantra: “Não precisamos de voto impresso porque as urnas eletrônicas são confiáveis !”

Ao mesmo tempo, os semi-urubus tendem a não aceitar a validação de assinaturas digitais para a formação de um novo partido político.

Dois pesos e duas medidas.

Os sábios entendem que toda corrente tem a força de seu elo mais fraco.

No atual momento tecnológico do mundo, quem não tiver sua identidade digital é um natimorto.

Nosso órgão governamental encarregado do assunto é incapaz de atender as necessidades presentes.

O assunto é de “urgência urgentíssima”.

Se não for resolvido imediatamente, criaremos, talvez, um gigante de pé de barro.

Por favor, pelo amor de Deus melhor dito, vejam o depoimento de um dos mais brilhantes especialistas no estudo da segurança digital.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Anônimo disse...

As ponderações de Romeu Tuma Junior no livro "Assassinato de Reputações" sobre o controle absoluto das informações do cidadão foram feitas em relação a governos petistas, mas, embora o RIC não tenha sido implementado, a carteira de habilitação já tem os dados do RG e CPF e as digitais; o formulário do imposto de renda quer o número do título de eleitor do contribuinte; a biometria para as eleições parece mais uma maneira de conseguir o objetivo do RIC sem assustar a população, mas só se fala do voto impresso. O governo Bolsonaro, ao enfatizar a diminuição do domínio do Estado sobre o cidadão, parece ter esquecido esses arquivos que se cruzam e dão ao governo controle total sobre a população, inclusive porque esses bancos de dados uma vez instalados servirão a governos democráticos ou totalitários.

[(Com o RIC - Registro de Identidade Civil) Eles queriam centralizar em seu banco de dados todas as informações relativas ao cadastro de identidade civil e federal. A PF com isso nas mãos seria maior que a CIA e a KGB juntas. (...) Se esse sonho do Márcio Tomás Bastos se realizasse, eles teriam acesso, num clique, a todas as informações sobre a carteira de habilitação, carro, imposto de renda, Ministério da Fazenda, nota fiscal paulista... tudo sem ordem judicial. E sob o lindo pretexto de se criar um registro único, para que você não precisasse mais ficar andando com um monte de documentos. (...) E mais: eles estavam atrás dos dados de todos os eleitores. É UM BANCO DE DADOS QUE PROVAVELMENTE SERÁ ABSOLUTO: vão linkar até a rede de dados da Receita, é o monopólio absoluto da informação.]

https://professordiegodelpasso.files.wordpress.com/2016/05/tuma-junior-assassinato-de-reputac3a7c3b5es.pdf