segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Photoshop para o Dorian Gray Brasileiro



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Melhor que desenhar é fazer um retrato a óleo.

Por que a classe média, roubada, ignorada e cuspida pelo judas ciário, continua indo se manifestar nas ruas na esperança de comover dona Onça?

Nestes tempos de brutal crise econômica e financeira, as manifestações são um programa barato e ainda viável para fazer um social.

Enquanto isso, a felina se auto convence de que as “instituições estão funcionando !”

Funcionando para quem cara-pálida ?

Para o cão egresso, para o urubusário, para os bancos “bonzinhos”, para os implantadores da Nova Ordem Mundial ?

O glorioso Exército Brasileiro pode estar em seu perigeu. Mas até por inércia de movimento, resistirá a uma geração de glúteos flácidos.

Será que os ilustres senhores generais ainda têm coragem de se olhar no espelho ?

Vendo a Pátria se esvair em sangue, ultrajada e satirizada, continuarão em seu labirinto ?

O ditado espanhol nos ensina: “O valente não elimina o cortês !”

Até quando ?

Esperaremos os ataques de vândalos, orquestrados pelo Foro de São Paulo ?

A Argentina agoniza; seu povo só pensa em dólares. O BRASIL é pujante.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Anônimo disse...

Lamentavelmente, tal qual ocorre no Chile, as FFAA brasileiras se deixaram INTIMIDAR pelo movimento esquerdonazista, após o término do regime militar!
Tanto assim que aqui seria praticamente impossível as FFAA tomarem a atitude dos militares bolivianos, que mandaram um tiranete cair fora!

Anônimo disse...

A dona Onça só vai agir se houver confronto nas ruas,por enquanto, a esquerdalha só ameaça!A renúncia de Evo Morales baixou a "bola" do Lula que saiu da cadeia com a corda toda,incitando à violência.

Anônimo disse...

Aqui seria impossível, porque as Constituições desses países devem ser diferentes nesse quesito. Além disso, sempre líamos que as "repúblicas de bananas" em torno do Brasil facilmente apelavam a golpes militares, desestabilizando suas instituições.