domingo, 22 de dezembro de 2019

A Vingança dos Velhinhos



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

“Si vieillesse pouvait et jeunesse savait...”

Na Era Digital, aparentemente os mais velhos saem perdendo. Mas na prática, a história é outra.

Quem não estuda os acontecimentos do passado comete os mesmos erros.

A forma sutil de insubordinação à truculência dos governos e às violências dos bancos nos ensinou Gandhi: a resistência pacífica.

No Brasil, a melhor forma de expressá-la foi na peça de teatro com Procópio Ferreira em que o personagem casa-se com uma megera. Ele consegue domá-la com docilidade e obstinação. Ela mandou-o fazer (passar) um cafezinho; ele o fez dezoito (?) vezes errado até que, desesperada, a mulher foi fazer ela mesmo.

A imposição da “biometria” por bancos “bonzinhos” e pela Justiça Eleitoral é impossível para quem, pela idade, perdeu suas impressões digitais.

"Há! Mas poderá ser feita com a palma da mão ou pelo reconhecimento da íris !” dirá algum molecote.

Em casos extremos, recomendamos um bom advogado para fazer valer o princípio constitucional segundo o qual “Ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer algo a não ser em virtude da Lei”.

Um poderoso do passado, zombou: “Lei, ora a Lei..” Acabou tendo que se suicidar!

Os de hoje limpam o traseiro com as páginas da carta magna.

Nada como um dia após o outro. Vejam o caso do Rio de Nojeira.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Anônimo disse...

Se é difícil fazer o reconhecimento pela digital, mais ainda pelo contato reconhecível de toda a palma da mão. Caso os idosos sejam obrigados ao cadastro do Grande Irmão, a opção é anular seu voto, pois ninguém quis eleger um auxiliar do Anticristo. Mesmo o banco de DNA, começa pelos bandidos reconhecidos e vai marcando também os "suspeitos", o que poderá englobar potencialmente toda a população (não esquecemos que o herói relativista que está fazendo isso é um maçon). A receita da ciência e da tecnologia passou do ponto e se tornou desavergonhadamente psicopática.