segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

“De volta para o Futuro”


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

O  título deste artigo pode parecer uma metonímia, ou uma impossibilidade física como a "quadratura do círculo",  o que em se tratando  de física,  posso concordar, não se pode ir para frente andando para trás.
No entanto,  discordo  frontalmente quando se trata do campo das ideias.
Que o diga  Robert Zemeckis, diretor  do "blockbuster" de 1985 com  Michael J.Fox,  do qual emprestei o título acima, para dar resposta a um colunista daquela revista, que um dia foi a mais prestigiada do país, e hoje oferta sua assinatura com oitenta por cento  de desconto para tentar manter-se viva, que em seu artigo, diz que com o atual governo, estamos regredindo.
Distânciando-nos cada dia mais do futuro radiante que vinha sendo plantado  pelos esquerdistas, há  mais de três décadas
Amigos, aí vem o interessante:
Estamos mesmo voltando ao passado,  por exemplo: crianças vão voltar a nascer meninos ou meninas em lugar de algo indefinido  a ser classificado no futuro, enterrando a ideologia de genero  funesta  que já matou pelo menos duas  crianças inocentes no país, vitimas  de suas duas mães ou pais ( quem sabe o que eram) inconformados/as  com o sexo da criança.
Volta-se a ensinar nas escolas (agora sem partido) o amor à Pátria, em lugar de ao Líder no poder.
Os valores familiares  estão em alta.
É devolvido ao povo o direito de defesa, um estado que proibe  que seus cidadões possuam armas para defender-se, é  associado aos bandidos que os defendem e são defendidos por ele.
Aos  trancos e barrancos, a  honestidade deixa de ser sinônimo de  estultície, passa  a ser um postulado, apesar do aparelhamento da justiça nessa ilha de impunidade, onde se abrigavam "Cesares Batisttis"  de todo mundo. O atual governo  luta insessantemente para condenar  corruptos, até em seus mais altos escalões.
Obras  fantasmas de governos passados, que serviam apenas para  engrossar a conta  de nossos antigos governantes  e empreiteiros em bancos Suiços e outros paraísos fiscais, são terminadas pelas Forças Armadas, suas almas vão para o paraíso, acaba a mamata dos políticos e a assombração do povo.  
Apoiando o agro negócio em lugar de combatê-lo com movimentos socias de interesse globalista, como o MST.
(Hoje  de cada  quatro pratos  de comida servidos no mundo, um  é brasileiro).
Acontece então, esse  verdadeiro milagre; vamos céleremente para frente, andando "filosóficamente" para trás.
Ainda de acordo com o mesmo colunista  da revista desvanecente, o partido lançado por nosso presidente, Aliança pelo Brasil, é  o mais retrógado  da história da República e o mais pretensioso(como no original).
Parabéns presidente! esse é o andar para trás  que  nós,  os brasileiros de bem queremos
Andando para frente, os governos anteriores quase nos transformaram em uma Venezuela gigante.
Como o personagem do filme  que viajou ao passado para  consertar o futuro, Bolsonaro como um neo Marty McFly, está voltando às raízes para garantir a esse país o futuro que merece. 
The Begining.
H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

2 comentários:

Unknown disse...

O plural de cidadão...é CIDADÃOS...cidadões é coisa da Dilma...

Anônimo disse...

Como é a seleção para o partido que o presidente pretende criar, para não repetir o oportunismo socialista observado no PSL, que serve para ocupar o espaço de verdadeiros conservadores e sabotar o governo ao abandonar o presidente nas votações mais decisivas? Li que o emedebista (!) Paulo Skaf está ajudando o presidente a implementar o Aliança pelo Brasil, e um youtuber disse que o novo partido já está infiltrado por petistas (!).
Capitão Durval Ferreira sempre lembra que lista de assinaturas costuma ser criada por políticos para cadastrar as pessoas para objetivos desconhecidos.
Um comentarista disse que a esquerda repete propositalmente erros gramaticais para espalhar o erro e implodir também essa manifestação tradicional da unidade cultural da nação (vide as reformas ortográficas recentes, rejeitadas pelos portugueses).
Li que a princesa Isabel, quando soube que perderia o trono para a República, coroou Nossa Senhora Aparecida Raínha do Brasil. Por isso podemos entender o esforço dos padres redentoristas, cooptados pela agenda revolucionária, em fazer "concursos" para mudar a coroa de Nossa Senhora e destruir mais esse objeto representativo da tradição.