terça-feira, 3 de dezembro de 2019

E a próxima narrativa da Globo, como será?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

A construção de narrativas artificiais, com elementos de verossimilhança para corromper a Verdade e impor conceitos, tendências e mentiras, é a principal missão da extrema mídia. O problema maior é quando tal manobra é bem sucedida, não por força das táticas de comunicação, mas por incompetência analítica ou erro de leitura das pessoas de bem. É mais irresponsável e otário quem contribui para que prevaleça, no meio ou no final, a versão da História ideologicamente manipulada.

Desde o fim de semana, temos duas narrativas que vêm confundindo a cabeça dos incautos e, também, de muitos que têm a pretensão de se acharem mais inteligentes que o resto da sociedade. A primeira é acreditar na versão de que o Presidente Donald Trump promoverá sanções à exportação brasileira de aço e alumínio aos Estados Unidos da América, em função de uma suposta manipulação cambial para desvalorizar o Real.

A twittada do Trump foi tão eficiente que o Presidente Bolsonaro quase caiu no conto do titular da Casa Branca. Na verdade, em busca de uma nada fácil reeleição, Trump apenas faz discurso para agradar seu eleitorado. Como diria o caboclo, “nothing more than that”... Só que a narrativa vendida jogou Trump contra o “amigo” Bolsonaro... O importante é que nosso mercado pouco ligou para a narrativa manipulada...

A segunda narrativa para boi dormir diz respeito a mais uma tragédia anunciada na gigantesca favela paulistana de Paraisópolis. A morte de nove jovens entre 14 e 23 anos, que nem moravam no local, foi usada midiaticamente para mais uma manobra da guerra psicológica de desmoralização da Polícia. Na abordagem picareta, a causa do problema não foi um baile funk (chamado de pancadão) sem a menor organização de segurança. A PM é sempre mal vista nestes eventos.

O Governador de São Paulo caiu feito patinho. João Dória escalou a Delegacia de Homicídios e a Corregedoria da Polícia para cuidar do caso. Os PMs que atuaram na favela já foram afastados das ruas (ou seja, foram unidos preventivamente, embora o discurso oficial tente insinuar o contrário). O noticiário já induz a interpretação de que a PM foi a responsável pelas mortes. Na realidade, a maioria das vítimas foi pisoteada. Os jovens não por tiros (cuja suspeita recairia nas armas dos policiais e não dos traficantes que faturam alto com o pancadão).

Além da narrativa midiática esquerdista, tem outra que não resolve nada o problema: a simples criminalização do Funk. Os pancadões nas “comunidades” são a principal manifestação cultural “consumida” pela maioria dos jovens da maior cidade do País. A tendência também vale para o Rio de Janeiro e outras regiões com grande índice de pobreza. Alguns até acham curioso que a garotada de classe média e alta – que teria acesso a outras opções de lazer - entre nesta balada funkeira. É o marketing das gravadoras, do rádio e da televisão. Por isso, ao baile funk não vai só bandido – como alguns preferem imaginar.

Nesta segunda-feira, a Globo explorou as narrativas Trump e Paraisópolis. Curiosamente, neste mesmo dia, foi anunciado que a Globo tiraria do ar um de seus melhores programas. O “Como será?”, apresentado pela consagrada gente-boa Sandra Annenberg e co-produzido pela Fundação Roberto Marinho. A cúpula da Globo só pode estar mesmo muito perdida, ao acabar com um programa que aborda Educação, Inovação e Empreendedorismo Social. As boas notícias e iniciativas eram mais importantes que algumas derrapadas ideológicas do excelente programa. Perde o público com a decisão burríssima dos gênios “globais”.

O mais lamentável é a incompetência da suposta concorrência. Se Sílvio Santos fosse tão genial quanto dizem, deveria contratar toda a equipe demitida da Globo para fazer um programa idêntico no SBT. Mesmo que SS diga que gostaria de ter só um “jornalismo de notícias boas”, ele não investe um centavo em um programa nos moldes do “Como Será?”. Ruim com a Globo? Pior com as outras que fingem disputar mercado com ela.

As empresas de comunicação brasileiras promovem pancadões no nosso cérebro... É uma merda a falta de alternativa cultural, educacional e informativa do povo brasileiro. Justamente por isso, os criminosos e os políticos corruptos fazem a festa...

Felizmente, Globo & afins estão com os dias contados. A Era do Consumo privilegiado evolui para a Era da Democratização via Digitalização. Estamos na transição. A mudança é inevitável. “O desenvolvimento da Democracia, a partir de agora, está ligado à possibilidade de se gerar, armazenar e difundir informação e conhecimento” – como bem lembra o livre-pensador Fábio Chazyn.

Por isso, a sociedade brasileira precisa debater, incansavelmente, seus problemas e soluções. Não podemos embarcar em “narrativas”. Temos de buscar, conhecer e praticar a Verdade – por mais dolorosa que possa ser. A prioridade é Projeto Estratégico de Nação. Depois, reformas imediatas e possíveis, até a elaboração de uma Nova Constituição Federalista de verdade.

Vamos trabalhar. Narrativas babacas não podem atrapalhar... O futuro? Como será?

Ovo de Natal



Leia o artigo de Afanasio Jazadji: Processo contra os “Marinho” da Globo, no RJ

Veja também o artigo de Fábio Chazyn: De volta ao Futuro

Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7





Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 3 de Dezembro de 2019.

6 comentários:

Loumari disse...

VEJA O QUE CHINA FEZ C/ A SOJA NO BRASIL!

https://www.youtube.com/watch?v=XOsNaRj8taE&t=28s


OBS: Brasil, país dos maiores sábios do mundo. Dos mais intelectos do globo. Os bolsominios vêem a China segundo seu intelecto, a China deixou de ser comunista, é agora democrática, capitalista, bom parceiro para os negócios do Brasil, houve tolos que escreveram que a China depende do Brasil, da soja do Brasil. A vossa arrogância, a vossa prepotência, vos torna cegos ao ponto de serem enfiados por todos orifícios e serem bem aniquilados pelos chineses sem se darem conta disso. Quanto mais ignorante é povo, excelentes negócios para os inteligentes. Ah! China! Enfiou ao Brasil e tachou bem mesmo.
Escreviam os tolos: China depende da soja do Brasil. Brasil é celeiro do mundo. A China não depende de ninguém. Ela chega, enfia o pau no ofício posterior do tolo brasileiro e leva toda a soja que ele deseja pagando apenas um preço simbólico só para não ser visto como ladrão. O chinês tem sua honra.
Vire o Carrossel.

Loumari disse...

Confabulações

A sociedade 24 horas

«As três coisas mais defíceis do mundo são: guardar um segredo, perdoar uma ofensa e aproveitar o tempo». Benjamim Franklin.

MILHÕES de pessoas, em especial nos centros urbanos, já descobriram que a vida se tornou uma correria vertiginosa e cansativa. A vida moderna está cheia de tensões novas: é preciso correr para apanhar voo, há prazos a cumprir, temos que levar as crianças à escolinha e buscálas na hora certa... a lista não tem fim!

«Não me surpreende que o cansaço tenha sido chamado de praga da vida moderna».

No passado, a vida era mais simples e havia menos correria. As pessoas em geral viviam mais em harmonia com os ciclos da natureza:
«o dia era para trabalhar e a noite, para a família e o descanso».

Hoje, vários factores contribuem para que as pessoas se sintam cada vez mais cansadas e fatigadas. Uma coisa que eu penso que contribua para isso é que as pessoas dormem menos. E uma das descobertas que mais contribuiu para a diminuição das horas de sono foi a «luz eléctrica».

Simplesmente ligado a um interruptor passamos a controlar a duração do «dia» e logo as pessoas começaram a ficar acordadas até mais tarde.

Outros avanços tecnológicos, como a rádio, a TV, o computador e a Internet, também ajudam a diminuir o tempo de sono das pessoas. As TVs ficam no ar 24 horas por dia. É comum os apaixonados pelo cinema ou fãs de desporto chegarem ao posto de trabalho sonolentos e cansados depois de ficarem até altas horas da noite assistindo aos seus programas favoritos.

Os Smartphones e as infindáveis distrações que oferecem, também fazem com que milhões de pessoas fiquem acordadas até tarde. Naturalmente, esses produtos não são maus em si mesmos; contudo, sem dúvidas «servem de incentivo extra para que algumas pessoas desconsiderem a necessidade de descanso».

Além de os dias se tornarem mais «longos», o próprio ritmo da vida parece estar acelerado – novamente a tecnologia deu uma mãozinha: pode-se almoçar num continente e jantar noutro. Naturalmente, ninguém pode alterar o ritmo acelerado do mundo. Porém, cada um de nós pode fazer ajustes que nos permitirão levar uma vida mais calma e equilibrada. ® Dhinoutamalelane!

Por: Lello Fijamo (lellofijamo@gmail.com)

Artigo publicado no jornal: Diário da Zambézia 02 de Dezembro de 2019

Edição n° 3.103

Loumari disse...

OUTRAS FORMAS DE SODOMIA

Vivemos numa era em que o Homem não mede meios para atingir seus objectivos particulares. Uma verdadeira temporada onde o comportamento da nossa sociedade pode ser comparada com o vibrar que acontecia com os habitantes de Sodoma e Gomorra.

Hoje experimenta-se tudo, mesmo com consciência de que a experiência fere os princípios socialmente aceites. É muito triste quando alguns grupos da sociedade fazem uso de forma inadequada da expressão que foi atribuído ao Nicolau Maquiavel: “não importa qual foi o caminho tomado, desde que o resultado seja vitorioso, ou seja, qualquer iniciativa é válida quando o objectivo é conquistar algo importante”.
Trago esta frase a propósito do recentes episódios que surpreenderam a sociedade, como o caso dos candidatos a carreira de magistratura judicial, que tentaram usar vias fraudulentas, inspirados numa interpretação errada da expressão Maquiavélica para passar as provas de qualificação. Ou seja, queriam qualificar-se para a classe da magistratura judicial que é uma classe tão nobre e de respeito, usando meios fraudulentos. Ah, Deus nos acuda.

O outro episódio não menos grave está relacionado com a detenção pela nossa polícia de alunos do ensino secundário que portavam exames do nível secundário antes da sua realização, ou seja, os alunos já iam na sala do exame com perguntas e respostas dos exames.
Há tantos outros atropelos a moralidade que a nossa sociedade está vivenciando, que merecem reflexão profunda. Não esperava que um conhecedor de matéria de direito e candidato à vaga de juiz e procurador fosse “cabulador”, até porque sempre tive impressão que os testes de direito fossem com consulta.

É caso mesmo para questionar que futuros Doutores da lei a sociedade espera? Há tanto défice da moral. Se calhar alguns desses candidatos a magistratura judicial que foram desclassificados por fraude podem estar a seguir a carreira de advocacia.

Que segurança terá o cidadão de que esse advogado (cabulador) o vai defender com propriedade e competência, caso tenha um problema de matéria de direito? A outra coisa que inquieta é de ver meninos que frequentam a 10ª e 12ª classes, a se preocuparem em passar de classe usando vias improprias.

Que qualidade de candidatos ao ensino superior o país espera? Precisamos de nos impor como sociedade com medidas que acabam com “sodomismo”. Emprego neste texto a palavra sodomia não para me referir as práticas carnais não naturais, que constituíam pecados graves, que aconteciam em Sodoma e Gomorra, mencionada na Bíblia em gênesis 19 e 18, mas sim para trazer a consciência a tamanha imoralidade que vivem vários extratos da nossa sociedade. As muitas incursões de conduta imoral que estão a fustigar a sociedade, mostram que os soft e hard construtores sociais desmobilizaram-se das suas obrigações.

Perdemos o sentimento de vergonha e esquecemos até os decretos divinos. Estamos a perder os códigos do projecto de vida que nos identificam como cidadão e nação. Podemos mudar a podre decisão existencial, temos tempo para mudar sim, basta esquecer o “sodomismo”, e passarmos a ter o projecto de vida que tenha atributos como humildade, caridoso, devoto. Precisamos como sociedade ter virtudes como temperança e prudência. Deixemos de transformar os nossos dias em Sodoma e Gomorra.

Por João Saltiel

Artigo publicado no jornal: Wamphula Fax - Nampula, 02 de Dezembro de 2019 Ano XVII
Edição número 3473

Director: Jerónimo C. Júnior


O homem de hoje pensa que pode alcançar a liberdade dominando e mais realizado que pode dominar os outros.
O conceito de "serviço" está longe.
Não sabemos como lavar os pés. Sabemos apenas polir os sapatos para alcançar a potência.

Don Tonino Bello


Senhor, livra-me da presunção de saber tudo. Da arrogância de quem não admite dúvidas. Da dureza de quem não tolera atrasos. Do rigor daqueles que não perdoam fraquezas. Da hipocrisia de quem salva princípios e mata pessoas ".

Don Tonino Bello

❤️Paz

❤️Luz

❤️Amor

❤️Alegria

❤️Jesus Cristo

Loumari disse...

El ataque frontal de la nueva era es contra los pastores - maestro Pepe González

https://www.youtube.com/watch?v=MtLalzyUxRc&t=29s

CRISTÃO INDIGNADO disse...

Trump tem um comportamento tipo vai e vem, como um pêndulo. Até a base conservadora americana desconfia de sua competência.

A Argentina sim teve a sua moeda desvalorizada rapidamente, de 8 para 50 pesos por dólar. Assim fica fácil exportar e difícil importar. Mas no Brasil o caso é o oposto. Desde o Plano Real a moeda brasileira está supervalorizada. A inflação foi detonada via concorrência dos importados, com uma ajudinha do cambio “flutuante” (mão de ferro do BC). A consequência inicial foi uma quebradeira geral e posterior desindustrialização. Com este cambio é impossível concorrer com produtos manufaturados chineses. Em torno do ano 2000 o dólar custava 4 reais, o mesmo preço de hoje. Não sei que obsessão é essa do BC em manter o cambio assim. A exportação no Brasil hoje é de empregos para o resto do mundo, e claro, produtos primários de baixo valor agregado.

Qualquer ser pensante concorda que a “kultura” do Pancadão é de uma degradação de fazer inveja à Sodoma e Gomorra. Movido a álcool, drogas, armas e sexo, explícito. Toda música é composta por harmonia, melodia e ritmo, mas os fanqueiros conseguiram fazer “música” apenas com ritmo e melodia, repetitiva. A Rede Globo adora! Ninguém pode discordar, pois os negros estão sofrendo um processo de canonização no mundo ocidental. A velha tática Gramscista da cisão social: uns são definidos como eternas vítimas e outros como eternos opressores cuja divida histórica impagável devem pagar, um tal de "homem branco”. Isso já foi consolidado nos EUA, os resultados atingidos são ótimos na questão do combate ao racismo. (sarcasmo)

Engraçado que o negro no Brasil não é mais o que sempre foi, brasileiro. Agora, artificialmente, o negro brasileiro passou a ser africano, afastando assim qualquer possibilidade de patriotismo e amor à bandeira nacional. Os mulatos são a prova cabal de que, no Brasil, o amor fala mais alto do que qualquer ladainha comunista. Assim como a palavra “sexo” foi substituída por “gênero”, a palavra “mulato” foi substituída por “pardo”. Nunca devemos usar o linguajar comunista, caso contrário, perdemos o argumento antes mesmo de começar a discussão.

Anônimo disse...

OS EEUU COM SEU PODERIO BÉLICO E ECONOMICO,TEM INVESTIMENTOS NO MUNDO TODO, NÃO SE IMPORTANDO COM IDEOLOGIAS RADICAIS DESDE QUE CONSIGA BONS LUCROS, PARA MANTER O PADRÃO DE SUA POPULAÇÃO COMO UM DOS MELHORES DO MUNDO.O NOSSO PRESIDENTE BOLSONARO IMAGINA QUE O PRESIDENTE TRUMP INVESTIRÁ BILHÕES E TIRARÁ NOSSO PAIS DESTE SUFOCO, QUE AINDA SE PROLONGARÁ ATÉ O FIM DE SEU MANDATO.LEDO ENGANO, MESMO PORQUE O PRES. TRUMP, JÁ PASSOU O BRASIL PRA TRÁS DANDO PREFERÊNCIA À ARGENTINA PARA ADOÇAR O SEU BICO. PELO ANDAR DA CARRUAGEM TEMOS QUE FICAR ESPERTOS, CASO CONTRARIO SEREMOS TOSQUIADOS MESMO PORQUE OS EEUU SÓ FAZEM AMIZADES ONDE PUDEREM LEVAR VANTAGEM ACIMA DE TUDO.