segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Lula e o Golpe da Carne



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

E o “pilantra” continua aprontando das “suas”.  Não se passou  um mês da sua  soltura da prisão, determinada pela maioria dos “Supremos Ministros”, que ele colocou ou conquistou  lá dentro do STF, e o “cara” já recomeça a manipular a verdade, distorcer fatos, e mentir descaradamente.

Fiquei pasmo quando li no twitter do “encantador de burros”: ”Não é possível que o Brasil seja o país com o maior rebanho de gado do mundo e o povo pobre não pode comprar carne. No meu tempo de governo, o povo tinha orgulho de poder comprar picanha pro churrasco e hoje não consegue nem meio quilo de carne moída”.

Ora, para governo desse contumaz mentiroso e manipulador da verdade, para início de conversa, a carne de picanha bovina jamais foi de fácil acesso ao pobre. Sempre foi churrasco  para rico, inclusive no “seu” tempo de governo. Sou gaúcho e até considerado bom churrasqueiro,por alguns, pertencendo à  “classe média”.

E mesmo assim jamais consegui me dar ao luxo de usar picanha nos churrascos que assei. Somando ao problema do seu alto preço, esse tipo de carne não é meu  “chão”, e sempre preferi  carnes bem mais acessíveis, como costela, fraldinha, ou vazio, inclusive pelo melhor sabor que essas carnes têm. Sempre tive em mente que a  picanha seria para consumo de  rico, ou pobre “sem noção”.

Mas é evidente que essa repentina e “salgada” majoração do preço da carne boviva,chegando a 40%, e que levou de arrasto todas as outras espécies de carnes, com certeza não foi nenhuma alta causada por fenômenos de “altas” no seu ciclo produtivo, como aumento da ração e outros insumos. Com absoluta certeza foi uma decisão “só” POLÍTICA.

E quem teria tomado essa decisão “política” sobre o preço da carne? Teria sido o fazendeiro? Ou o pequeno produtor rural de carne bovina?

É claro que essa decisão “política” não saiu do produtor do boi “in natura”, do boi “em pé”. Essa decisão partiu diretamente “lá de cima”, artificialmente . E certamente a partir dos controladores dos grandes frigoríficos que traçam a política dos preços da carne.

Agora surge algo interessante para se “trabalhar”. O Presidente  Bolsonaro,ou a cúpula do seu governo, teria alguma ligação ou interesse próprio na alta da carne? Parece que não.

O mesmo não se pode dizer em relação à cúpula do PT,que tem grande” intimidade” com os negócios da carne. Nos escândalos de corrupção envolvendo os “Irmãos Batista”, do grande conglomerado empresarial integrado pelo Frigorífico FRIBOI, o maior do Brasil, veio à tona a estreita ligação desse grupo empresarial com o ex-Presidente Lula da Silva, pelo que algumas “más línguas” garantem que Lula seria o seu “dono oculto”.

Mas em relação ao pessoal do PT, essa ligação “carinhosa” com a carne não se restringe a Lula. Tantos os seus filhos, quanto a ex-presidente Dilma, também do PT, teriam adquirido enormes fazendas povoadas de muito gado.

Resumidamente, esse “golpe” do Lula, relativamente ao preço da carne, se não fosse “burro”, talvez pudesse ser considerado “genial”. O “cara” vai para o seu “twitter”, menos de um mês após ser  solto, e lança a culpa da estupenda alta da carne no “pé” de Bolsonaro, que nada tem a ver com esses negócios, nem poderes políticos, como governante, suficientes  para interferir sobre os preços da carne..

Essa “pecha” lançada sobre Bolsonaro, apesar de totalmente improcedente, vazia de qualquer fundamento, certamente tem força para produzir  enorme impacto junto  ao rebanho de  “burros encantados” por Lula, e nos delinquentes “petezinhos” de carteira. É evidente que junto a “esses”, o desgaste político de Bolsonaro funcionará.

Quem não lembra da  ex-President(a) Dilma Rousseff, como “garota propaganda” da carne brasileira (da Friboi), pegar o Airbus presidencial e voar aos Estados Unidos para vender carne brasileira através do Presidente Obama, outro “esquedopata” local, eleito l através de uma opção  do “Grupo de Bilderberg”, criador da “Nova Ordem Mundial”, e que por sua vez  foi o principal preparador da candidatura de Obama, mediante utilização de vários filmes de “Hollywood”, provocando  uma espécie de “lavagem cerebral” no povo americano, onde o Presidente  era sempre um “mocinho”?  E “negro”?

Mas enquanto Bolsonaro na verdade poderia ter algum desgaste político com  essa alta da carne, ocorrida em seu governo, e de pessoalmente não se beneficiar em nada com essa alta, por faltar-lhe qualquer vínculo com esse setor, ao contrário de Lula, o “marginal” ex-Presidente  acredita num efeito exatamente oposto em relação à sua pessoa, tanto do ponto de vista político, com o fortalecimento da sua pretensa candidatura à Presidência,na próxima eleição, quanto ao fato de que estaria enchendo as suas “burras” de mais dinheiro, mediante o envolvimento pessoal que ele e os “seus” teriam  com os negócios da carne.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Segundo o blog O Giro de Notícias, a dança foi numa roda de macumba.

Vexame - o que foi que Lula fez agora (O Giro de Notícias)
https://www.youtube.com/watch?v=-uDLU-kO3kI