sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

O Supremo, os Impostos e a prisão de Al Capone



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

A tradicional  “macaquice” brasileira em relação a  outras coisas importantes que se passam no Primeiro Mundo, de modo muito especial nos Estados Unidos, chegou a extremos  jamais vistos.

A surpreendente  decisão do Supremo Tribunal Federal –STF, de “criminalizar” a retenção  ou sonegação do imposto ICMS, sujeitando o infrator a processo criminal e prisão, não condiz com a tolerância exacerbada desse tribunal em relação aos  outros crimes bem  mais graves que aprecia, especialmente contra o erário, dentre os quais a corrupção, ativa e passiva, envolvendo importantes empresários, autoridades públicas, e políticos, ou seja, gente de “colarinho branco”.

Nesse exato sentido a Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia e Ministério Público Federal, conseguiu devendar desvios de muitos  bilhões dos cofres públicos, garantindo alguns que os ladrões do erário  teriam conseguido “roubar” em torno de 10 trilhões de reais, durante o “reinado” PT/MDB, de 2013 a 2018, quantia essa correspondente à quase o DOBRO do Produto Interno Bruto -PIB, do Brasil.                                                                                                      

E somente  para se ter uma rápida ideia da magnitude  dessa quantia, o Governo estima  “poupar” cerca de 800 bilhões, em 10 anos, com a reforma da previdência que está fazendo, sacrificando enormemente as futuras gerações de aposentados, porém respeitando os benefícios já concedidos. Se colocarmos na ponta do lápis ,essa “poupança” estatal, sacrificando os futuros aposentados, absurdamente ela estará representando cerca de 8% do que foi roubando do erário ,de 2003 a 2018. É um disparate que fere a decência pública  e a lógica. Enquanto isso a Lavar Jato “comemora os 5 “bi” recuperados. “Só” fica faltando recuperar mais “nove trilhões, novecentos e noventa e cinco bilhões  de  reais “(R$ 9.995.000.000.000,00.

Dessa esdrúxula “suprema” decisão, dois aspectos merecem destaque. O primeiro  certamente reside no  temor que “eles” têm dos cofres públicos  sofrerem algum abalo, algum “esvaziamento”, com a sonegação fiscal, colocando em risco inclusive a “saúde” financeira das  bilionárias folhas de pagamento dos Tribunais Superiores de Brasilia, que pelas suas naturezas  absolutamente nada produzem de riquezas econômicas, mas consomem “para ninguém  botar defeito”, não só em relação aos  seus generosos vencimentos  em “espécie” ,mas principalmente  em mordomias  e outras vantagens,  sem paralelo  em qualquer outra parte do mundo.            

Nesse sentido os tribunais das diversas  Justiças competem ,”pari passu”, com as Casas Legislativas e os Tribunais de Conta da União e dos Estados, dentre outros órgãos públicos, todos, sem exceção, de caráter “parasitário”, meramente burocrático, mas a partir das suas investiduras tendo a ousadia de criar um clima  de terror sobre a sociedade produtiva. É exatamente  isso o que o STF fez em relação  à sua recente decisão sobre o recolhimento  do ICMS .

A segunda consideração que merece destaque  se trata da “macaquice”, da imitação, da cópia barata, de um tribunal subdesenvolvido, do STF, de imitar a Justiça dos Estados Unidos no episódio  da prisão do “gangster” ítalo-americano  AL CAPONE (Alphonse Gabriel “Al”Capone), que liderava o contrabando e a venda de bebidas alcoólicas durante a Lei Seca nos “States”, nos anos 1920/30, e que  foi  preso, julgado e condenado, não pelos outros  incontáveis crimes  mais graves que cometeu, inclusive diversos  homicídios, como autor ou mandante, mas por SONEGAÇÃO DE  IMPOSTOS.

Essa, então, passou a ser a “política” jurisdicional do Supremo: gente importante e “amiga” pode roubar do erário à vontade. Mas é proibido sonegar imposto!!!

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

7 comentários:

ELTON PORTELA disse...

Outra vez li um comentario que traduz tudo isso:
"SONEGAR IMPOSTOS NO BRASIL, PODE SE CONSIDERAR, LEGÍTIMA DEFESA"
Simples assim.

Anônimo disse...

No automóvel, a peça trocada é igual à desgastada.

Anônimo disse...

É a nau dos insensatos prossegue sem rumo,sem destino, com os condenados sujeitos a danação eterna.

Anônimo disse...

É a nau dos insensatos segue sem rumo,sem destino, e os condenados sujeitos a danação eterna.

Anônimo disse...

E a nau dos insensatos,segue sem rumo, sem destino com os condenados sujeitos a danação eterna.

Anônimo disse...

A danação eterna dos brasileiros: pagar impostos exorbitantes pra sustentar uma cambada de ordinários improdutivos e refestelafos no poder ad aeternum.

Chauke Stephan Filho disse...

No futuro, a palavra "Brasilismo" será o nome de uma doença social. Seus principais sintomas: o STF, o Congresso, a censura politicamente correta, a desigualdade, a pobreza, a corrupção, o subdesenvolvimento.

Sua causa histórica: a nigriciação colonial do Brasil.

E agora, para tornar incurável esse mal, recomeçaram o tráfico negreiro em pleno século XXI.

Nosso futuro é negro. Salve-se quem puder!