sábado, 11 de janeiro de 2020

Cousas do Brazil “excêntrico” de FHC


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

“Nós vivemos em um País que é excêntrico. Estamos longe do centro... Porque se meter no centro, se você não é chamado para isto?”... Eis a mais recente declaração do Príncipe dos Sociólogos, o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele é um dos excêntricos que ajudou a fundar o PT e, graças ao seu modo governar, criou as bases estruturais para a petralhada promover, junto com aliados do PMDB, PP e afins, a maior roubalheira da História – que arrasou a economia brasileira. O legado de FHC é “excêntrico”.

Dicionários definem, sinteticamente, o termo excêntrico: “1) que se desvia ou afasta do centro; 2) situado fora do centro. Mas a palavra também pode ser sinônima de bizarro, esdrúxulo, esquisito, estapafúrdio, estrambótico, estranho”. No sentido conotativo, o adjetivo excêntrico classifica quem age de modo estranho e incomum. O excêntrico também se refere a um comportamento desnecessário. O excêntrico foge ao que é culturalmente definido como “normalidade”. Em síntese, pejorativamente, o excêntrico é um anormal.

Na entrevista a O Globo, FHC usou o termo excêntrico para reclamar que o governo Bolsonaro errou ao apoiar o ataque dos EUA que matou o General Soleimani – sósia do senador petista Humberto Costa – e considerado um terrorista pelo forte candidato à reeleição Donald Trump. Mas o real problema de FHC com a excentricidade é que ele vive aficionado com a idéia-fixa de inventar uma candidatura de “centro” para a sucessão presidencial de 2022. Não será fácil a missão de criar um personagem que finja não ser próximo do extremo petralha ou da esquerda envergonhada da social cleptocracia.

O gênio da raça Fernando Henrique Cardoso se transforma em um “gagacê” simplesmente porque não suporta um Presidente que “foge à normalidade” como Jair Messias Bolsonaro. FHC preferia elogiar seu irmão gêmeo Luiz Inácio Lula da Silva, porém não pode mais. O kamarada $talinácio desmoralizou a honradez e não serve de exemplo positivo para ninguém. FHC nem pode concordar, publicamente, que o “inimigo-amigo” nada mais fez que aproveitar o legado do antecessor (o próprio FHC).

FHC deveria lamuriar, com mais intensidade e sinceridade, sobre as “excentricidades” brasileiras. Tipo: Capimunismo, privataria, crime institucionalizado, corrupção sistêmica, impunidade, insegurança, injustiça e por aí vai... A bronca é livre, FHC!

Mas, em vez de tagarelar, faz que nem o Lula: vai namorar, FHC...

Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7




Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Janeiro de 2020.

3 comentários:

Anônimo disse...

É claro que FHC deixou um legado positivo que foi o Plano Real,mas com esse excêntrico apoio a Lula,ficou desmoralizado.Hoje todos os que apoiam Lula,inclusive a imprensa, caem em desgraça!

Vanderlei Lux disse...

FHC, o demiurgo escroque das frases feitas.

Para FHC, "candidato de centro" é somente eufemismo para mais Lula, mais Haddad, enfim, mais do mesmo. Todo mundo sabe.

Até hoje ainda me pergunto o que "esquenta" as costas de FHC na lava-jato. Nem mesmo a bombástica entrevista de Miriam Dutra (com quem FHC teve um caso e um filho) à Folha de São Paulo lá pelos idos de 2016 sequer respingou água nas costas "quentíssimas" de FHC.

Mas meu caro Jorge Serrão, fique esperto: É óbvio ululante que, para FHC, qualquer pacto nacional sobre "candidato de centro" teria que passar pela libertação de Lula. E isso ele já conseguiu. Resta saber agora se esses dois dinossauros ainda vão continuar resistindo à extinção petista, causada pela catástrofe do cometa Dilma Rousseff.

Rodrigo Almeida disse...

Ótimo, gostei