terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Decidi Plagiar



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Fábio Chazyn

Sou uma criança, entre outras 40 milhões de crianças pobres até 14 anos. Me trouxeram p’ro Mundo sem pensar bem e ainda por cima me deram o encargo de ser o futuro do Brasil. Até agora só conseguí dar murro-em-ponta-de-faca...

Estava na delegacia esperando para ser autuado por porte ilegal de arma-de-fogo, quando um jornalista, querendo cavar seus 15 minutos de fama, veio me dar lição-de-moral me dizendo p’ra sair dessa vida, que eu ia morrer, que o crime não compensa...

Ví no rosto do repórter que ele era boa gente e, então, resolví que eu também deveria dar um conselho p’ra ele. Foi aí que eu disse p’ra ele que eu já cansei de ouvir esse papo. Contei que estava armado porque vendo droga e que ganho muito fazendo isso. Eu disse que, antes de ser traficante, eu trabalhava numa oficina.

Sabe no que deu? perguntei.

Denunciaram o dono da oficina porque eu estava trabalhando lá. Ele me pagava legal, eu tinha minhas coisas, meu tênis, tinha tudo... Mas ele teve que me mandar embora p’ra não ir preso. Acho que ele está até hoje respondendo na justiça por ter dado emprego a um menor.

Depois eu fui trabalhar numa feira. Trabalhei com um moço que tinha uma barraca de frutas ajudando como carregador e entregador. Depois de uns 6 meses aconteceu a mesma coisa que na oficina e tive que sair.

Contei que não sei quem é meu pai e que minha mãe é uma coitada. Eu tava tentando trabalhar honestamente, e até estudava direitinho. Mas não conseguí ir em frente e acabei arrumando uns bicos no tráfico que me ajudaram a sustentar a minha casa.

Por isso é que eu disse p’ro repórter p’ra dar conselhos p’ros safados que ganharam os votos dos brasileiros-de-bem que acham que menor não pode trabalhar, mas pode roubar, matar e traficar.

Contei que entrei nessa vida porque quero um tênis, mas sem trabalhar não posso comprar; quero comer um sanduíche no Bob’s, mas também não posso; quero ir no cinema e também não posso. Então já que não posso trabalhar como gente, vou traficar. Pelo menos assim tenho dinheiro.

Que me desculpe o resto dos brasileiros, mas já tô muito ocupado com o presente p’ra poder aceitar ser também o futuro do Brasil...

Plagiado por Fabio Chazyn, um brasileiro privilegiado que ainda sonha em ajudar a resgatar o Futuro do Brasil.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sobre o texto a Dilma diria: Se não pode ir no Bob’s, que vá no Mac Donald's; ora pois.
Se o Loumari estava de férias com a dilma em Paris ou em Portugal com o lula, ele pode corroborar minha piada.